24.6 C
Rio de Janeiro
domingo, janeiro 17, 2021

NOME DO AUTOR

Leonardo Leal

16 POSTS

Chegou

Com ela em mãos, há o povo na rua, o morro em festa, o chão tomado pelo sentimento mais puro de alegria a uma Nação

Palmeiras 1×2 Flamengo – A mais bela lembrança guardada em meio ao terror

E daqui a 15 anos, quando eu for metido a cronista no Mundo Rubro Negro, não vou pesquisar os melhores momentos, para que as palavras tragam apenas a essência da lembrança sincera.

Calos, não cicatrizes

Se convir batalhar, que batalhe. Se há qualidade suficiente para resolver com futebol, o faça.

Dormir, acordar, estar em pé

Léo Leal: "Por mais que a mudança tenha efeitos colaterais, como o desastre da Fonte Nova, é notável que há algo sendo erguido".

Nós e nós mesmos

O Flamengo precisa aprender sobre si mesmo de tempos em tempos. É do seu instinto que isso aconteça na beira do abismo.

Geraldos e o desgosto profundo

Nossa maior derrota: maldita seja essa fumaça, profundo seja o desgosto. Não importa onde esteja, sempre estaremos contigo. E com eles.

Ganhamos, Diego Alves

Neste novo post do "Mengo, Logo Existo", Leonardo Leal dialoga com o goleiro Diego Alves: "Olá, Diego. Já tomou o calmante?"

Autoajuda

Nos momentos difíceis da nossa vida - inclusive a de torcedor - não há mal em abrir o coração para algumas palavras de autoajuda

SPC intangível

Sair de cabeça erguida do Mineirão não apaga o fato de que novamente não deu, assim como nas finais do ano passado: atestado de incompetência

O dia mais feliz da minha vida

Na alegria, o "eu avisei" não é oportunista: Leonardo Leal conta a sua história naquele Flamengo x Cruzeiro que hoje completa 5 anos

Para todos, para nós, Flamengo

No blog "Mengo, Logo Existo", Leonardo Leal disserta sobre a torcida: "O Flamengo nunca deve ser apenas para quem pode. Flamengo é pra quem é Flamengo"

Assombração

Leonardo Leal descreve o fantástico diálogo que o Flamengo teve com seu maior algoz atual. Não deixe de ler e compartilhar.

Aconchego da vó

Bela crônica sobre a recepção e o carinho da torcida rubro-negra que nunca abandona o time no estádio Kleber Andrade, em Cariacica

Crer

Não estamos em condições de garantir nada a nosso favor. Mas temos total liberdade para ter fé e isso não fará mal algum.

Voem alto

Vocês foram escolhidos para representar a camisa mais amada neste planeta. Vistam-na como nós. Sejam como nós.

Vida longa a Zé!

E dentre todas as decisões tomadas desde 2013 pelo nosso time de terno e gravata, a de hoje talvez seja a mais justa e de maior impacto a médio prazo.

Leia Também