20 piores contratações do Flamengo no século XXI

MRN Informação | Paulo Oliveira e Diogo Almeida — Diego Alves, Gerson, Arrascaeta, Filipe Luís e Gabigol são alguns dos craques de um Flamengo cada vez mais vencedor e que investe melhor. Quem acompanhou o clube ao longo dos anos 2000, no entanto, sabe que as coisas nem sempre davam tão certo assim.

Então, até para evitar que os erros do passado voltem algum dia, hoje vamos relembrar as 20 piores contratações do Flamengo neste século.

Oscilando entre momentos de grandes investimentos em jogadores de qualidade indiscutível que não renderam e temporadas inteiras de salários atrasados e bagunça administrativa muitas vezes afetava a performance dentro de campo.

Não deixe de ler também: Conheça a história dos seis rubro-negros citados no samba da Estácio

Nossa lista conta também com nomes que não tiveram muito destaque ao longo de suas carreiras. Em contrapartida, elencamos atletas que foram grandes nomes do futebol brasileiro, mas que pouco contribuíram com o Mais Querido.

Com certeza sua mente vai explodir ao ouvir falar pela primeira vez de alguns deles! Outros “perebas” que podem até deixar aquela sensação de terror se você lembrar de algumas de suas partidas 😨… No fim das contas, nos perguntaremos até se não somos masoquistas! 🤷🏽‍♂️😂

Nos comentários cite outros nomes que você gostaria que estivessem nesta lista!

Vampeta

Vampeta chegou ao Flamengo no segundo semestre de 2001 com o status de quem podia elevar o patamar do meio-campo rubro-negro. Entretanto, o volante não conseguiu corresponder às expectativas e deixou o Flamengo após módicos 16 jogos.

A trajetória de Vampeta no Mais Querido é mais lembrada pela famosa frase “eles fingem que pagam e eu finjo que jogo”.

Aluspah Brewah

O jogador serra-leonês chegou ao Flamengo em 2004 e foi o terceiro africano da história do clube. Logo chamou a atenção nos treinos por sua grande velocidade. Aluspah chegou a correr 100 metros em 10 segundos e 20 centésimos. A marca atingida seria capaz de colocá-lo numa final de Jogos Olímpicos nos 100m rasos.

Entretanto, a passagem do estrangeiro pelo Flamengo foi tão rápida quanto ele próprio. Aluspah não chegou a disputar partidas oficiais pelo clube já que seu visto de trabalho não foi expedido a tempo de inscrevê-lo no Brasileirão.

Dill

O atacante Elpídio Barbosa, mais conhecido como Dill, chegou ao Flamengo em 2004 para fortalecer o elenco na temporada. O centroavante levantava certa expectativa por ter tido boas passagens por Goiás e Botafogo.

No Flamengo, Dill não encontrou seu bom futebol e defendeu o Manto Sagrado apenas 9 vezes. A passagem de Elpídio ficou marcada pela eliminação da Sul-Americana 2004. Após dois empates contra o Santos, a disputa da vaga ficou para as penalidades e o centroavante desperdiçou sua cobrança.

Negreiros

Negreiros talvez esteja no top 5 desta lista de piores contratações. Ele chegou em 2004 para reforçar a artilharia do Fla após conquistar a artilharia do Brasileirão da série C pelo Rio Branco-PR. O atacante chegou com moral e com aval do treinador Abel Braga.

Logo na sua primeira partida, Negreiros marcou o gol da vitória contra o Santa Cruz e levou o Flamengo para as quartas de final da Copa do Brasil. Ao final da partida, foi chamado de “fenômeno” por Abel Braga.

Entretanto, o resto da trajetória de Negreiros passou longe de ser fenomenal. O atacante não caiu nas graças da torcida e acabou fazendo apenas 15 jogos e marcando 4 gols. Deixou a equipe ao fim da temporada e não deixou saudades.

Dimba

Em 2004, a contratação de Dimba talvez tenha sido a que mais levantou expectativas na torcida do Flamengo. O jogador chegava após ter sido artilheiro do Campeonato Brasileiro de 2003 com impressionantes 31 gols.

Sua chegada não foi bem aceita no elenco que cobrava os salários atrasados. Na época, o goleiro Júlio César chegou a reclamar publicamente da situação.

– Se eles tinham dinheiro para contratar Dimba, deveriam ter regularizado nosso salário – declarou Júlio

Não demorou muito tempo para a torcida perceber que o “esforço” feito para contratar Dimba não havia valido a pena. O centroavante não correspondeu às expectativas e marcou apenas 14 gols em 37 partidas. Pressionado pela diretoria e pela torcida, o jogador deixou o Flamengo ao fim de 2004.

Marcos Denner

Marcos Denner chegou ao Flamengo em 2005 pra brigar pela vaga de titular no ataque rubro-negro. Em época de “vacas magras”, o atacante veio do Criciúma e tinha rápida passagem pelo futebol sul-coreano. Além disso, o jogador vinha empolgado para defender o seu clube do coração.

Entretanto, o sonho de Denner não foi como ele esperava. O centroavante não conseguiu repetir a fase artilheira que teve no futebol catarinense e marcou apenas dois gols em 12 jogos. Saiu do Flamengo após 3 meses para defender o Fortaleza.

Adrianinho

Adrianinho chegou ao Flamengo em 2005 com moral, após um bom Campeonato Brasileiro de 2004 defendendo o Paysandu. Paulista de Jundiaí e revelado pela Ponte Preta, Adrianinho já foi recebido no Fla com a lendária camisa 10.

Porém, com o passar do tempo, a moral de Adrianinho foi acabando assim como a paciência da torcida. As atuações ruins fizeram com que o meia perdesse espaço muito rapidamente.

E as oportunidades acabaram totalmente com a chegada de Celso Roth, que considerou a qualidade do jogador como insatisfatória. O meia atuou 15 vezes e não marcou nenhum gol.

Horacio Peralta

O uruguaio Peralta chegou ao Flamengo como uma grande dúvida para a temporada de 2006. A desconfiança se fazia presente por conta da revelação de que o jogador teria sido “comprado por DVD” pela diretoria. Nosso exemplo digital na lista de piores contratações do Flamengo.

Peralta até mostrou certa habilidade em seus primeiros jogos. Pouco tempo depois a expectativa tornou-se pressão pra cima do jogador. Seu condicionamento físico e sua irregularidade em campo faziam com que a torcida pedisse sua saída.

A gota d’água foram os problemas disciplinares. Saiu após jogar apenas 12 partidas e marcar 3 gols. Peralta acabou por fazer uma carreira sólida e vitoriosa no futebol mexicano.

Walter Minhoca

Walter Minhoca foi o primeiro reforço pedido pelo treinador Ney Franco durante a sua passagem pela Gávea. Grande destaque do Ipatinga na Copa do Brasil de 2006, foi mais um nome da chamada “República do Pão de Queijo”.

No Flamengo, Minhoca não conseguiu mostrar o bom futebol e logo começou a ser cobrado pela torcida. O meia atuou 18 vezes com a camisa do Flamengo e não marcou nenhum gol

Entre os torcedores, Walter Minhoca é considerado o percursor da famosa “República do Pão de Queijo”, instaurada no Flamengo em 2006 quando o clube contratou diversos jogadores vindo do Ipatinga, a pedido de Ney Franco.

Léo Medeiros

Léo Medeiros foi mais um membro da “República do Pão de Queijo”. O volante que também atuava na lateral, chegou para reforçar o Flamengo na temporada de 2006.

No início, Léo chegou a conquistar a vaga de titular na lateral, porém, devido sua irregularidade, o jogador acabou perdendo espaço. A chegada de Paulinho, também ex-Ipatinga, contribuiu para que o atleta ficasse no banco.

Em 2007, Léo Medeiros voltou a ter espaço na equipe titular e chegou a usar a camisa 10 em algumas partidas. Mesmo com mais oportunidades, Léo não caiu nas graças da torcida e acabou saindo da equipe. Foi emprestado para o Athletico e para o Bahia, mas também não conseguiu se firmar.

Pelo Flamengo foram 60 jogos e apenas 6 gols.

Hugo Colace

O argentino Hugo Colace chegou ao Flamengo em 2007 com a recomendação de Mancuso, jogador que marcou época na Gávea. Sendo assim, o jogador chegou com status de quem podia ajudar o Rubro-Negro.

Hugo estreou contra o Vasco e não demorou muito para dar seu cartão de visitas, o argentino entrou no segundo tempo e com apenas 9 minutos em campo, foi expulso após uma entrada forte em Marcelinho.

A tragédia só não foi maior pois o Flamengo venceu a partida por 2 a 1. Após a estreia, Hugo Colace não recebeu muitas chances e saiu do clube de forma decepcionante, tendo atuado apenas 5 vezes.

Clayton

O volante Clayton chegou ao Flamengo cercado de expectativas após boa passagem pelo Botafogo. No alvinegro, o volante era um dos principais jogadores do meio-campo e carregava a braçadeira de capitão.

Teve desentendimentos com a diretoria do Botafogo e assinou com o Flamengo no início de 2007. No Mais Querido, Claiton não conseguiu emplacar boas atuações e 6 meses após sua chegada, foi envolvido em uma troca com Cristian e acabou parando no Athletico Paranaense.

Defendeu o Manto Sagrado por apenas 21 jogos e marcou um gol.

Sambueza

Rubens Sambueza chegou ao Flamengo em 2008 sendo considerado uma grande promessa do futebol argentino. O jogador caiu nas graças da torcida antes mesmo de entrar em campo.

Porém, a fase de “xodó” de Sambueza não durou muito tempo. De agosto de 2008 até janeiro de 2009, o argentino disputou apenas sete partidas e não marcou gols.

No dia 29 de janeiro de 2009, o empresário de Sambueza anunciou a rescisão do atleta com o Flamengo e consequentemente o seu retorno ao River Plate.

Dênis Marques

Dênis Marques retornou ao Brasil em 2009 e escolheu defender as cores do Flamengo. Na memória do torcedor estava a boa passagem que o jogador teve pelo Athletico Paranaense.

Dênis chegou cercado de expectativas e era apontado como um jogador capaz de formar dupla com Adriano Imperador, entretanto, foram as atuações apagadas e os poucos gols que marcaram a passagem do atacante que compôs o elenco campeão brasileiro de 2009.

O centroavante defendeu o Manto Sagrado em 18 oportunidades e marcou 5 gols.

Val Baiano

Val Baiano chegou ao Flamengo no segundo semestre de 2010 para ocupar a vaga no ataque deixada por Adriano e Vágner Love. Val chegava com moral após boa passagem pelo Grêmio Barueri em 2009.

O jogador que chegou para ser artilheiro demorou cerca de 4 meses para marcar o seu primeiro gol pelo Mais Querido. Ao decorrer do tempo, colecionou lances bisonhos e gols perdidos.

Val Baiano fez 18 jogos pelo Flamengo e marcou apenas 3 gols.

Rodrigo Alvim

O lateral-esquerdo Rodrigo Alvim chegou ao Flamengo após passar 4 temporadas na Europa e seu desempenho o coloca como uma das piores contratações do Flamengo no século com certeza. Esperava-se que o jogador indicado por Mozer pudesse ser um reserva imediato para Juan.

O jogador teve um começo razoável mas não conseguiu conquistar a confiança da torcida. Após a saída de Juan para o São Paulo, Rodrigo Alvim era cotado para ser titular, porém, acabou perdendo a vaga para Egídio e posteriormente para Renato Abreu e Ronaldo Angelim, que jogaram improvisados.

Alvim rescindiu seu contrato com o Flamengo em julho de 2012, tendo disputado 27 jogos e marcado dois gols.

Alex Silva

Alex Silva chegou ao Flamengo em 2011 após 3 temporadas no Hamburgo, da Alemanha. O jogador veio com a fama de xerife e na memória dos rubro-negros estava a ótima fase que o “Pirulito” teve no São Paulo.

No Mais Querido Alex não conseguiu nem de longe repetir o bom futebol mostrado em temporadas anteriores. O zagueiro fez um Brasileirão muito irregular e em 2012, após brigas com a diretoria, acabou sendo afastado. Foi emprestado e retornou em 2013 mas não foi aproveitado.

Carlos Eduardo

Carlos Eduardo chegou ao Flamengo para ser o grande craque do time em 2013, que carecia de jogadores com característica de criação.

O jogador que veio cercado de expectativas rapidamente mostrou que não iria corresponder a elas. Carlos Eduardo não conseguia exercer o seu papel de criação e nem ajudar o time na recomposição. Logo ganhou a fama de “sem vontade” por parte da torcida. Posteriormente, perdeu o posto de camisa 10 da Gávea e, assim, passou a atuar com a camisa de número 20.

No dia 14 de maio de 2014, Carlos Eduardo rescindiu o contrato com Flamengo e não deixou saudades. O meia fez 41 partidas e marcou apenas 1 gol.

Lucas Mugni

Mugni chegou ao Flamengo como grande promessa do futebol argentino e com status de quem podia elevar o nível da equipe. Em sua primeira partida, Lucas Mugni foi ovacionado ao sair de campo e certamente aumentou ainda mais a expectativa da torcida com relação ao desempenho do jogador.

Tudo não passou de ilusão. Fora alguns lampejos, Lucas não conseguiu render o esperado e logo ganhou a fama de “sem raça”. O argentino deixou o Flamengo ao fim de 2017, após ter rodado em alguns empréstimos.

Lucas Mugni defendeu o Flamengo em 46 oportunidades e marcou apenas 5 gols.

Conca

Conca não poderia estar de fora da lista de piores contratações do Flamengo. O argentino que marcou época nos rivais Fluminense e Vasco, chegou ao Flamengo em 2017 e animou muito a torcida, que acreditava que a seca de títulos importantes iria chegar ao fim.

O meia chegou ao Flamengo lesionado e o Rubro-Negro, que havia acabado de inaugurar o Centro de Excelência em Performance do Ninho do Urubu, ofereceu suas instalações para ajudar na recuperação do atleta.

Conca só fez sua estreia no dia 14 de junho de 2017 (após 10 meses afastado dos gramados, e a 5 no clube), porém, mesmo estando apto para atuar, Conca acabou não sendo muito utilizado.

O argentino deixou o Flamengo após 28 minutos jogados e nenhum gol.

Piores contratações do Flamengo: veja mais!

Reprodução/Rede Globo

Notícias do Flamengo

Blogs