A análise das receitas no balanço de 2020 do Flamengo

Balanço do Flamengo | Jeff Farah –– Após abordar o resultado do exercício e o prejuízo de quase R$ 107 milhões que o Flamengo teve, vou desenvolver novo artigo sobre o balanço. Neste, tratarei das receitas, já que, como apontei no texto anterior, a queda dessas foram a principal razão do déficit.

A primeira análise que se faz na receita é olhar seu comportamento histórico (análise horizontal).

O gráfico abaixo traz a receita operacional líquida (sem impostos) do Flamengo ao longo dos últimos 11 anos em valores reais (descontando a inflação) e podemos notar a queda em 2020.

Do mesmo autor: Perda de austeridade ou apenas ano atípico?

- Advertisement -

Abaixo, um comparativo do crescimento ou decréscimo entre a receita operacional líquida real do Flamengo (desconsiderando a inflação) com o ano imediatamente anterior.

Assim, observa-se que após o maior salto positivo do período (2019), houve a maior queda (2020).

Um dos motivos da queda é o regime de competência: receitas são lançadas no momento em que se faz jus a elas, independentemente do recebimento do dinheiro.

Para facilitar a compreensão desse conceito fundamental para entender um balanço leia este post: Entenda o lançamento de receita e despesa no regime de competência

Assim, como a temporada do ano passado só terminou neste ano, parte da receita não aparece no balanço de 2020 e só aparecerá em 2021.

Exemplo: direitos de imagem do Brasileirão 2020 dos jogos que o Flamengo teve mando e foram disputados em 2021. 

Mas se a temporada de 2020 não tivesse sido esticada até 2021, o que aconteceria com a arrecadação?

Veja também: Flamengo 1987: A velha alegria de ser rubro-negro

O gráfico abaixo mostra a receita operacional bruta real com esse ajuste. Mesmo com a queda, o ano de 2020 teria sido o segundo maior da série histórica. A queda seria de 23,7%.

No gráfico abaixo, a principal queda foi em bilheteria, o que se justifica pelos jogos sem público devido à pandemia.

Por sua vez, a receita de patrocínios cresceu. Os valores foram trazidos para 2021pelo IPCA e 2020 contém receitas como se a temporada não tivesse sido prorrogada.

Abaixo temos a composição das receitas em 2019 e 2020 (sem o ajuste).

A maior arrecadação nos 2 anos foi a venda de jogadores. Já o maior crescimento em participação no resultado veio de Patrocínio/Publicidade.

Mesmo sem poder ir ao estádio, o pagamento de ST apresentou crescimento.

Portanto, o Flamengo teve queda significativa de arrecadação, porém, extremamente relacionada com os efeitos da pandemia.

A venda de jogadores foi essencial, a diretoria conseguiu bom resultado com patrocinadores e a Nação fez seu papel mantendo o ST.

Sabe de onde vem o dinheiro do Flamengo?

Resolvi adicionar mais uma info neste post em que analiso as receitas.

O gráfico abaixo mostra a COMPOSIÇÃO DAS RECEITAS do Flamengo por grupo de 2013 a 2020 (com ajuste das das receitas q só serão apuradas em 2021 pela expansão da temporada)

Precisamos do seu apoio para fazer o melhor site de jornalismo sobre o Flamengo. Clique AQUI e saiba como se tornar nosso apoiador!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here