Segundo jornalista Marcos Paulo Lima, do Correio Brasiliense, a Amazon ainda busca um acerto de parceria com exposição no uniforme

Após o anúncio oficial do Banco de Brasília (BRB) como novo patrocinador master do Flamengo, a Amazon ainda está interessada em um espaço no Manto. A informação foi publicada pelo jornalista Marcos Paulo Lima, em seu blog “Drible de Corpo”, no site do jornal Correio Brasiliense. A empresa americana de vendas on-line, que também oferece o serviço de streaming Prime Vídeo estaria negociando com a diretoria do Flamengo para ocupar as mangas do uniforme.

Com um projeto que vai muito além do valor de patrocínio, tendo como objetivo por exemplo, a transmissão de jogos do Flamengo na reta final do Carioca, após a Medida Provisória 984 assinada por Bolsonaro nesta última quarta-feira que assegurou os direitos de transmissão da partida ao clube mandante. Não foram citados quais seriam os valores nem mesmo o tempo de contrato.

Veja também: Por que o presidente do Bahia está animado com a “MP do Flamengo”?

Ainda de acordo com as informações do blog Correio Brasiliense, a gigante digital já buscaria assumir as transmissões da reta final do Campeonato Carioca de 2020. Porém, alguns pontos do texto da MP 984 são divergentes e existe incerteza jurídica. De acordo com Rodrigo Mattos, do UOL, o Flamengo vendeu seus direitos de transmissão via streaming em meio nacional para a Rede Globo com contrato vigente até o ano de 2024. A Amazon, claro, tem interesse em realizar essas transmissões no Brasil. 

Vale lembrar que o Flamengo continua na busca por patrocínios no short desde a saída do Azeite Royal da propriedade – o Fla processa a empresa de rompimento unilateral e dívida de R$ 1,2 milhão. A Buser foi a última marca estampada nas mangas após a saída decepcionante da Carabao em 2018.

Gostou desse conteúdo? Nós acreditamos ser possível falar sobre o Flamengo com qualidade. Se você também acredita, clique aqui e torne-se apoiador do MRN.

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Divulgação / Amazon

Não deixe de ler também