Compartilhar:

Luxemburgo, Zé Ricardo e Reinaldo Rueda treinam alguma equipe atualmente, enquanto Muricy tornou-se comentarista

O Flamengo vive um momento especial sob comando de Jorge Jesus. Porém, o passado recente do rubro-negro foi recheado de escolhas questionáveis na comissão técnica.

Prova disso é que seis dos últimos 10 técnicos do Flamengo estão, atualmente, desempregados. O levantamento foi feito pelo jornalista Marcos Paulo Lima, do Correio Braziliense.

TécnicoPeríodoAtualmenteAproveitamento no Fla
Luxemburgo2014-2015Vasco60,5%
Cristóvão Borges2015Sem clube46,3%
Oswaldo de Oliveira2015Sem clube 50,0%
Muricy Ramalho2016Comentarista57,7%
Zé Ricardo2016-2017Internacional62,6%
Reinaldo Rueda2017Chile52,7%
PC Carpegiani2018Sem Clube70,6%
Maurício Barbieri2018Sem clube64,0%
Dorival Júnior2018Sem clube66,7%
Abel Braga2019Sem clube71,1%

Sem deixar saudades pelo Flamengo, Cristóvão Borges está desde 2017 sem trabalhar, quando também não fez um bom trabalho no Vasco da Gama. Com isso, o técnico está sem trabalhar desde março daquele ano.

Acesse agora useartillero.com e concorra a uma camisa irada na promoção de lançamento do site!

Oswaldo de Oliveira é outro que não coleciona bons trabalhos após deixar a Gávea. Desde 2015, quando saiu do rubro-negro, passou por seis equipes, sendo quatro brasileiras: Sport, Corinthians, Atlético-MG e Fluminense.

Não se sabe ao certo se Muricy Ramalho deixou a carreira de treinador. Fato é que o ex-jogador é comentarista do SporTV desde novembro de 2016.

Em 2017, após demitir Zé Ricardo, o colombiano Reinaldo Rueda assumiu a equipe. O Flamengo chegou nas decisões da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana, mas acabou com o vice em ambas as competições. Em janeiro de 2018, o treinador optou por aceitar uma oferta da Seleção Chilena, onde está até os dias atuais.

Bons aproveitamentos

Os últimos quatro treinadores do Flamengo antes de Jesus até apresentam bons números, mas o rendimento abaixo do esperado pela diretoria e troca de diretoria foram motivos para a quebra do trabalho.

Paulo César Carpegiani chegou após Rueda ter ido para o Chile. Com uma primeira fase de Libertadores irregular e resultados ruins até no Estadual, o técnico campeão em 1981 foi sacado do comando, mesmo com mais de 70% de pontos conquistados.

A aposta da vez foi Maurício Barbieri, que até teve bons momentos no Flamengo. Antes da Copa de 2018, liderou o Brasileirão por várias rodadas.

Porém, após queda de produção e eliminação na Copa do Brasil, o então presidente Eduardo Bandeira de Mello mandou o técnico embora com 64% de aproveitamento. Ele assumiu Goiás e América-MG depois, sem sucesso.

No fim do Campeonato Brasileiro de 2018, Dorival Júnior foi escolhido para tentar salvar o ano rubro-negro. Apesar de não conseguir tirar a taça do Palmeiras, os 66,7% de aproveitamento, boa parte da torcida aprovou o trabalho do treinador, que não trabalha desde então. Ele se recupera de um câncer na próstata e já planeja retornar aos gramados.

O último treinador antes da “era Jesus” somou 71,1% dos pontos antes de pedir demissão. Abel Braga, aposta de Rodolfo Landim no começo do ano, não conseguiu agradar e foi demitido após campanha questionável na Libertadores.

Para efeito de comparação, Jorge Jesus, campeão brasileiro e continental, tem 77,8% de aproveitamento. São 33 jogos, com23 vitórias, oito empates e apenas duas derrotas.

Não deixe de ler também

Compartilhar: