A última derrota do Flamengo por W.O. aconteceu no dia 18 de maio de 1998. Diretoria descartou novo episódio contra o Palmeiras

MRN Informação | Bruno Guedes – Twitter: @eubrguedes

Em meio ao surto de Covid-19 que assola sua delegação, aumentaram as possibilidades do Flamengo sofrer um W.O. (walk over) contra Palmeiras, adversário de domingo (27). Mesmo com a negativa de Rodrigo Dunshee de Abranches, vice-presidente Geral e Jurídico do Flamengo, que isso possa ocorrer, esta poderia ser apenas a sexta vez na História rubro-negra. A última foi há 22 anos, contra o Vasco

LEIA MAIS: Em quarentena, entenda o porquê de Juan ter ficado no Equador

O último W.O. aplicado contra o Flamengo aconteceu no dia 18 de maio de 1998, segundo o site especializado em números flaestatistica.com. Curiosamente foi para o seu maior rival, o Vasco da Gama, no Campeonato Carioca. A diretoria se recusou a entrar em campo por ser contrária às ideias da FERJ. Marcada por muitos eventos deste tipo, aquela edição ficou famosa por constantes mudanças de datas das partidas. Por conta disso, os clubes acabavam não comparecendo ou boicotando os jogos. 

Já o primeiro W.O. na história do Flamengo foi contra o Bangu, em 22 de setembro de 1912, mas a seu favor. Ao todo, o Rubro-Negro tem 14 jogos marcados por W.O., sendo 8 vitórias, 5 derrotas e um 1 indefinido, esse último justamente no Cariocão de 98, contra o Fluminense. Ambas equipes não compareceram a campo conforme determinação da FERJ, que aplicou um inédito W.O. duplo. Ou seja, uma vitória e uma derrota para cada equipe.

Os dois clubes se solidarizaram ao Botafogo, que dias antes havia se recusado a jogar contra o Vasco. Em represália, a federação transferiu o duelo do Maracanã para Moça Bonita. Por intermédio da Liga Carioca, entidade que reunia o trio contrário à federação, os dois clubes conseguiram então uma liminar para não entrarem em campo naquela quarta-feira. E assim ocorreu.

MAIS NOTÍCIAS: ”Flamengo fez bobagem e agora está pagando o preço”, afirma comentarista sobre casos de Covid-19

O termo Walk Over, que gerou o W.O., segundo os historiadores, tem origem nas corridas de cavalo. Quando não havia competidor, ele e seu jockey eram obrigados a largar até cruzar a linha de chegada “caminhando” pela pista, ou seja, “walk over the grass”. No futebol, quando ocorre um W.O., o time que não comparece ao jogo acaba perdendo por 3 gols a 0.

Até o fechamento desta matéria, o Flamengo tinha apenas 17 jogadores aptos a entrar em campo contra o Palmeiras neste domingo: Cesar, João Lucas, Ramon, Natan, Thiago Maia, Gerson, Arrascaeta, Guilherme Bala, Pedro, Lincoln e Lázaro. Após o surto de Covid-19 que tirou 16 jogadores do time, a direção convocou sete atletas da equipe sub-20 para completar o elenco. O clube tentou adir a partida, mas a ideia foi rejeitada pela CBF e pelo STJD. A direção alegar ter apenas 12 atletas disponíveis para entrar em campo.

O problema pode se repetir contra o Independiente del Valle, na quarta-feira (30). Dos 29 jogadores de linha disponíveis para a Libertadores, o Flamengo tem 9 atletas de linha em condições. Segundo a Conmebol, um time pode entrar em campo com no mínimo sete atletas para não sofrer o W.O.


W.O. NA HISTÓRIA DO FLAMENGO (flaestatistica.com)

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Reprodução / O Globo