25 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, novembro 25, 2020

Autógrafo

Tô no saguão do hotel, de bobeira e aparece o Pet pra sentar no sofá e ler jornal. Sim, Petković, Dejan, o próprio.

Por Hermínio Correa

Então… Aos 40 anos já me convenci, há muito tempo, de que não jogo porra nenhuma de futebol. Mas havia um tempo lá pelos anos 90 que eu me esforçava para tal (ou me enganavam para tal). Pois bem…

Estava ainda no Futsal e treinava na AGAP (Associação de Garantia ao Atleta Profissional) em Belo Horizonte. Era pivô, treinado pelo irmão do Moacir (um volante que jogou no Atlético, Corinthians, Atlético de Madrid, Flamengo etc), mas que se dane, não é isso que importa na história.

Por conta da Associação, era muito comum atletas e ex-atletas prestigiarem os campeonatos e certa vez foi lá o tal grande ídolo de uma das grandes torcidas mineiras ver uma das finais de campeonato.

Veja também: Quem és tu?

Aquela confusão do caramba, gente se matando por foto e autógrafo e eu na minha, cansado depois do jogo, querendo minha medalha pra seguir o rumo de casa. Mas sei lá porque o tal ídolo me vê e solta algo tipo:

– Ô mininu, cê qué um autrógofo?!

– Ué, pode ser…

– Qual seu nome?

– Hermínio.

– Tá e sua mãe como que chama?

– Eunice.

O autógrafo saiu “Para Eunice um abraço do “fulano de tal”.

Veja também: Emoção no Maracanã: um Brasil x Alemanha com meio time do Flamengo

O ano é 2010.

Eu estava em São Paulo, dia 05 de Maio. Hotel de concentração do Flamengo, dia de Jogo de volta pelas oitavas de final da Copa Libertadores. O Corinthians favoritaço classificado com a melhor campanha da fase de grupos e o Flamengo tendo entrado na rabuda, pior campanha dentre os 16. Mas também pouco importa que tenhamos nos classificado aquele dia (esse dia foi loko). Não é esse o tema, de novo…

Tô no saguão do hotel, de bobeira e aparece o Pet pra sentar no sofá e ler jornal. Sim, Petković, Dejan, o próprio.

Não tinha quase ninguém mesmo… lá fui eu:

– Pet, com licença, um autógrafo por favor.

– Clarrrrrrrrrrrrro (sérvio né). Qual seu nome?

– Hermínio.

– Quê?

– É Hermínio, Pet.

– Ahn Ok.

Sem entender meu nome, o autógrafo saiu apenas, “Petkovic”. Seco e direto.

Chupa mãe! Nessa você perdeu…

Não deixe de ler também

Leia também

Notícias do Flamengo

Filmes relembram a conquista da Libertadores de 2019 pelo Flamengo

Diversas produções exaltam a Glória Eterna rubro-negra na Libertadores 2019

Flamengo e Athletico vão se enfrentar no Estádio Kleber Andrade, em Cariacica, pela ida da semifinal do Brasileirão Sub-17

Flamengo e Athletico vão se enfrentar no Estádio Kleber Andrade, em Cariacica, pela ida da semifinal do Brasileirão Sub-17

“Maradona, o Flamengo te ama, hoje e sempre”; entenda o contexto da faixa exibida em 1991

Em 1991, após prisão de Maradona, Flamengo exibiu faixa em apoio ao craque

Ex-Flamengo, meia Gabriel é anunciado como reforço do CSA

O jogador foi pouco aproveitado no Coritiba e chega ao clube alagoano para disputar a Série B O meio campista Gabriel Santana, ex-atleta do Flamengo,...

Patrocinador cancela contrato milionário com o Flamengo

A TIM cancelou patrocínio que chega ao valor de R$ 4 milhões ao Flamengo após vice acusar Landim de não repassá-lo para a parceria com o SESC/RJ

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Blogs

23 de Novembro de 2019. Lima. Peru. Um ano da Glória Eterna

O Flamengo é o que não se explica. Há um ano, a América voltava a ser pintada de vermelho e preto, em um roteiro digno de cinema

Voamos todos na parábola de Diego

Sempre temi o destino de ser um morto soprado de inveja nas bancadas da eternidade, ressentido por um auge tardio do Flamengo

23 de Novembro ficou marcado na história rubro-negra

Nem a vitória parcial do River tirou a certeza de que aquele dia seria abençoado, afinal foi no mesmo dia 23 de novembro

O Flamengo existe porque a vida não basta

Cada um viu um filme diferente. De alguma forma, porém, todos aqueles filmes eram o mesmo. O mosaico do que é ser Flamengo

Quatro marcados, cinco perdidos: o “Pênalti para o Flamengo!” assusta em 2020

Vitinho perde o 5º pênalti do Flamengo em 2020; na temporada, o aproveitamento do clube carioca em cobranças de pênalti é inferior a 50%