Compartilhar:

“Hoje ninguém duvida que ele mudou o futebol brasileiro”, diz João de Deus

Em entrevista para “A Bola TV” o auxiliar técnico João de Deus fala sobre a curta, porém vitoriosa, passagem pelo Flamengo.

João fala sobre os títulos conquistados no Flamengo, a saudade que tem de Portugal e o motivo da comissão técnica ter escolhido o Rubro-Negro quando deixaram o Al-Hilal, entre outros assuntos. Confira os destaques: 

Acesse agora useartillero.com e concorra a uma camisa irada na promoção de lançamento do site!

Motivo de ter escolhido o Flamengo 

Foi como o Mister disse recentemente. Escolhemos o Flamengo porquê era o clube que nos daria todas as condições de conquistar a Libertadores e disputar o Mundial. Mas não imaginávamos que seria com essa proporção, os próximos dias serão para pensarmos no que de bom realmente aconteceu.” 

Facilidade de implementar o estilo de trabalho no futebol brasileiro 

“Os jogadores do Flamengo são profissionais ‘de mão cheia’, o que você pede para fazerem, eles executam. Sem questionar ou qualquer tipo de problema. Toda a estrutura profissional que acerca o clube também é pensada dessa forma, isso ajuda a progredir e a evoluir. Ficamos muito à vontade para fazer nosso trabalho.” 

Quebra de paradigmas no futebol brasileiro 

“Quando chegamos aqui, havia muitas críticas. Muitas pessoas criticavam e duvidavam, hoje ninguém duvida que ele (Jorge Jesus) mudou o Flamengo e, de certa forma, o futebol brasileiro.” 

Confiança no título da Libertadores 

“Confiava na vitória mesmo com a derrota até os 43 do segundo tempo. Por dois motivos, primeiro que nós perdemos apenas dois jogos: para o Bahia e o Emelec. Quando se ganha muitas vezes a tendência não é de derrota, ainda mais em um jogo que é da vida de todos nós. E depois pela grande fase do Gabigol (risos). Mas, falando sério, pelo andar do segundo tempo eu tinha certeza que faríamos um gol mais cedo ou mais tarde, ainda bem que aconteceu. Foi muito bacana para todos nós.” 

Tamanho do título para ele 

“O título mais importante que eu tinha na carreira era a Taça de Portugal com meu Vitória (de Setubal), mas em termos de grandeza e importância sem dúvidas a Libertadores é maior. Espero que a próxima conquista seja o Mundial.” 

Marcado na história do Flamengo 

“Para ser sincero eu não tinha tanta noção do que era o futebol brasileiro e o Flamengo, estava acostumado a trabalhar em clubes portugueses. Não imaginava que existia um clube com essa dimensão, com tanta torcida, com tanta gente por trás. Para falar a verdade, acho que eu só tive a noção do que era o Flamengo quando fomos recebidos e desfilamos pelas ruas do Rio de Janeiro.” 

Pedido de Pablo Marí 

“No futebol nunca temos certeza, mas sabíamos que as características do jogador (Marí) casavam bem com as características do time e por isso pedimos a contratação dele. Mas não sabíamos se ele se adaptaria a uma realidade completamente diferente. Felizmente ele se adaptou bem” 

Futuro em outro lugar 

“Essa decisão é do Mister. Eu e meus colegas pensamos que no que ele decidir está bem decidido. Como foi quando ele aceitou vir dirigir o Flamengo. Para nós nesse momento o foco é nas três partidas restantes (do Brasileirão) e fazer uma boa campanha no Mundial e quem sabe trazer mais um troféu.” 

Saudade de Portugal 

“Essa é a única situação que me causa desconforto aqui no Rio, sinto falta da minha mulher e dos meus filhos. É um problema que consigo lidar em uns dias muito bem e outros dias nem tanto. E, claro, também tenho saudade da minha cidade, Setubal, apesar do Rio ser uma cidade linda (risos). Estou tentando convencer minha esposa e meus filhos, que estão na escola, para viajarem ao Catar.”

Sonho ainda não realizado 

“Bom, meu sonho é continuar conquistando títulos. Agora nos acostumamos a vencer (risos), meu sonho é esse, profissionalmente, claro.” 

Veja na íntegra


Não deixe de ler também

Compartilhar: