Compartilhar:

O ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello, em entrevista ao canal Venê Casagrande nessa segunda (4), falou sobre sua passagem no Mais Querido, contratação de Dario Conca, comemoração de sexto lugar no Campeonato Brasileiro, sobre a possível renovação de Diego Ribas com o Rubro Negro, entre outros tópicos.

Sobre Conca, que teve baixo rendimento no Flamengo, o ex-presidente afirmou: “Depois que você sabe o resultado é muito fácil. Quando o Conca foi para o Flamengo, foi cercado de uma expectativa muito grande. Não lembro de nenhuma crítica. Mas, claro, ele teve problemas médicos. Se eu pudesse voltar atrás, não faria. Mas isso qualquer um, né? Tudo que foi feito no Flamengo foi com as melhores intenções.”

Comemoração de sexto lugar

“O objetivo ali era a fase de grupos da Libertadores. Foi um ano difícil, a gente tinha perdido o jogador principal, que era o Paolo Guerrero. O que estávamos comemorando ali era a vitória e a classificação.”

Pandemia

“Com a pandemia, não é só o Flamengo [que vai perder]. Todas as empresas, todos os clubes vão sofrer com isso. A gente não deve colocar à frente nenhuma consideração de ordem econômica. O Flamengo vai sofrer, tem que se preparar pra isso, mas não vai sofrer sozinho. Talvez o Flamengo sofra menos do que os outros clubes.”

Renovação de Diego

Bandeira começou com elogios a Diego: “O Diego Ribas é um exemplo de jogador”, que continuou: “Pelo que eu conheço do Diego Ribas, eu renovaria sem nenhum problema. Não sei se ele quer, não sei como estão as coisas. É um jogador fantástico, é um craque dentro de campo e um líder. Me orgulho de ele ter vindo para o Flamengo na nossa administração. Mas, claro, chega um momento que o jogador pede pra ir embora, quer abandonar a carreira, mas não acho que seja o caso do Diego.”

Ilha do Urubu

“A Ilha do Urubu foi um seguro que o Flamengo fez. Eu tenho excelentes lembranças da Ilha do Urubu. O nosso aproveitamento lá foi melhor do que nos outros estádios. Em 2016, o Flamengo mandou quase todos os seus jogos pelo Campeonato Brasileiro fora do Rio. Jogar em casa a gente praticamente não jogou, e isso era uma situação complicada pra nós. Então, nós tínhamos que buscar. A parceria com a Portuguesa foi extremamente interessante pois conseguimos um lugar no Rio, o melhor gramado no Brasil porque nós reformamos. Instalações confortáveis, 20 mil lugares. Não era ideal, não era o Maracanã, mas era o que a gente tinha.

Vontade de voltar ao Flamengo

“Voltar a ser presidente não está nos meus planos”.

Crédito da foto destacada: Alexandre Vidal e Fernando Azevedo – Fla Imagem

Compartilhar: