Biografia Rubro-Negra: Capítulo 18 – Nova excursão à Europa e o pré-Carioca de 80

[et_pb_section admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”row”][et_pb_column type=”4_4″][et_pb_cta admin_label=”Chamada à Ação” title=”Leia o capítulo anterior:” button_url=”https://www.mundorubronegro.com/flamengo/biografia-rubro-negra-capitulo-17-a-taca-guanabara-de-1980″ url_new_window=”on” button_text=”#17 – A Taça Guanabara de 1980″ use_background_color=”on” background_color=”#000000″ background_layout=”dark” text_orientation=”center” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid” custom_button=”off” button_letter_spacing=”0″ button_use_icon=”default” button_icon_placement=”right” button_on_hover=”on” button_letter_spacing_hover=”0″] [/et_pb_cta][et_pb_code admin_label=”Código”]<script async src=”//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js”></script> <!– 1 –> <ins class=”adsbygoogle” style=”display:block” data-ad-client=”ca-pub-2554634565970791″ data-ad-slot=”1881517466″ data-ad-format=”auto”></ins> <script> (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({}); </script>[/et_pb_code][et_pb_text admin_label=”Texto” background_layout=”light” text_orientation=”left” use_border_color=”off” border_color=”#ffffff” border_style=”solid”]

Antes do embarque para faturar mais um bom dinheiro no velho continente, Zico foi submetido a exame. Como era esperado, sua lesão era grave e ele ficaria em tratamento no Brasil, podendo se juntar à equipe mais para frente. Paralelamente, a diretoria anuncia que está negociando com Fumanchu e Chico Spina para reforçar o elenco.

Fumanchu acertou sua vinda pro Mais Querido
Fumanchu acertou sua vinda pro Mais Querido

Sem sua maior estrela, o time vai muito mal no Troféu Teresa Herrera. Na semifinal, empate com o Sporting Gijón, por um a um, gol de Tita. Na disputa de pênaltis, derrota de quatro a dois. Nunes e Adílio desperdiçaram suas cobranças. No Brasil, chegam propostas do Barcelona e do Valencia por Zico. Novamente, Marcio Braga rechaça as investidas européias.

Na disputa do terceiro lugar, a equipe não se encontrou e foi goleada pelo Porto, por quatro a um. Nunes marcou o gol de honra. Como não podia deixar de ser, choveram críticas a atuação dos cariocas. A imprensa espanhola ridicularizou as atuações. Pior, depois do vexame, os organizadores dos próximos compromissos ameaçaram diminuir a cota do clube se Zico não jogasse.

Insatisfeito com o rendimento do time, Coutinho resolve barrar Júlio César e escalar Sivaldo na ponta esquerda. No Brasil, a Diretoria acerta a venda de Cláudio Adão para o Fluminense, por oito milhões de cruzeiros. E para animar a torcida, dois reforços são anunciados: Fumanchu, vem por empréstimo de um ano do América do México. E Lico, por seis milhões, vem em definitivo do Joinvile.

Da Espanha a equipe foi para a Itália, onde enfrentou o bom time do Peruggia. Recuperando-se dos resultados ruins, o Flamengo venceu por um a zero, gol de Tita.

A próxima parada era a Bélgica, na disputa de mais um amistoso. Empate em dois a dois (gols de Adílio) com o Royal Antwerp. Mas a grande notícia vinha do Brasil. Zico, recuperado de sua contusão, estava embarcando para a Europa. Junto vinha o recém chegado Lico.

Scout do amistoso contra o Royal Antwerp
Scout do amistoso contra o Royal Antwerp

De volta a Espanha, para a disputa do Troféu Filipe das Astúrias, a equipe começou a mostrar sua verdadeira força de campeão brasileiro. Na semifinal, contra o Real Sociedad (base da Seleção Espanhola) vitória categórica de dois a zero, gols de Zico e Adílio.

Na decisão, outra boa partida e o título do torneio. Dois a um no Levski Spartak, com dois gols do galinho. Este jogo marcou a estréia de Lico, que entrou aos 35 minutos do segundo tempo no lugar de Nunes.

Convocados por Telê Santana para o amistoso diante do Uruguai, Tita e Júnior voltam ao Brasil para defender a Seleção. Assim que o jogo acabar, a dupla volta para a Europa, pois o Flamengo iria brigar pelo bicampeonato do Troféu Ramon de Carranza.

Na semifinal, uma partida duríssima, contra o Dínamo Tbilisi (bom time soviético, que contava com vários jogadores na Seleção da URSS). Nunes e Adílio marcaram, no empate de dois a dois. Nos pênaltis, deu Flamengo, por quatro a três.

Antes de tentar o bicampeonato, a diretoria se encontra com o zagueiro Luis Pereira. Dono de seu passe, o defensor negocia a ida para o rubro-negro. O acerto fica próximo.

Na decisão, o Fla bate o Bétis, por dois a um, com mais dois gols de Zico. O prestígio do Flamengo estava recuperado. E o galinho, com mais uma série de brilhantes atuações e gols decisivos seria alvo da cobiça de vários clubes europeus.

Na volta ao Brasil, Coutinho promete o inédito Tetracampeonato Carioca. Telê elogia o futebol de Tita. E Luis Pereira acerta o seu contrato com o clube. Quem poderia parar o Flamengo?

No próximo texto: O Primeiro turno do Carioca de 80. Até lá!

 


Gustavo Roman é jornalista, historiador e escritor. Autor dos livros No campo e na moral – Flamengo campeão brasileiro de 1987, Sarriá 82 – O que faltou ao futebol-arte? e 150 Curiosidades das Copas do Mundo. Conhecido como um dos maiores colecionadores de gravações de jogos de futebol, publica toda quinta-feira, aqui no MRN, a série “Biografia Rubro Negra 1978-1992”, onde conta a saga do período mais vitorioso da história do clube mais querido do mundo.

[/et_pb_text][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Notícias do Flamengo

Blogs