25.6 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, novembro 23, 2020

Biografia Rubro-Negra – Capítulo 3: O início do Campeonato Brasileiro de 1974

Após a excursão, o Fla começou bem o Campeonato Brasileiro de 1974. No entanto, os problemas de Joubert para escalar o time titular continuava

Na volta da excursão, muitas reclamações sobre o cansaço. E problemas. Paulinho, emprestado pelo Bonsucesso, foi devolvido. Mesmo tendo ido muito bem nos jogos. O problema? Não havia dinheiro para comprá-lo ou para estender o empréstimo. Além disso, Doval permanecia sem acordo para a renovação de seu contrato.

Os 40 clubes do Campeonato Brasileiro foram divididos em dois grupos de 20 cada. Em 19 rodadas, eles se enfrentariam dentro de seu próprio grupo. Classificando-se os 10 primeiros colocados. Além deles, também avançariam os dois clubes com maior pontuação (excetuando-se os 20 classificados) independente do grupo. E dois clubes com a maior renda e média de público.

Não deixe de ler: Biografia Rubro-Negra – Capítulo 2: Fla viaja para o Zaire, Grécia e Arábia Saudita finalizando preparação para o Brasileiro de 1974

Na segunda fase, os 24 times seriam divididos em quatro grupos com seis integrantes. De novo os jogos aconteceram em turno único. E apenas o campeão de cada chave avançaria ao quadrangular final. Lá, os 4 times se enfrentariam em três rodadas. E quem somasse o maior número de pontos seria o campeão brasileiro de 74.

O Grupo A foi formado por: Grêmio, Flamengo, América, Vitória, Inter, Atlético-pr, Vasco, Bahia, Coritiba, Paysandu, Tiradentes, Remo, Olaria, América de Natal, Botafogo, Fluminense, Desportiva, Sampaio Corrêa, Itabaiana e Avaí.

No B estavam: Atlético-mg, Cruzeiro, Guarani, São Paulo, Santos, Náutico, Operário-ms, Corinthians, Portuguesa, Fortaleza, Goiás, Palmeiras, Rio Negro, Sport, América-mg, Ceará, Nacional de Manaus, Santa Cruz, CSA e CEUB.

Para o primeiro compromisso no campeonato, o Fla teve que viajar até o Maranhão para enfrentar o Sampaio Corrêa. E teria que jogar com vários desfalques. Moreira, Fred, Afonsinho estavam fora dos planos de Joubert. Rogério e Doval continuavam sem contrato. E Paulo César Caju estava na Seleção. Com isso, o treinador escalou Rondinelli na lateral-direita. Luís Carlos na zaga. Geraldo no meio de campo. No ataque, Vicentinho e Julinho nas pontas. Um time bastante jovem e modificado. Mas que contava com os gols de Dario e o talento de Zico para fazer bonito.

Primeira Rodada

Isso acabou sendo mais do que suficiente para derrotar o Sampaio Corrêa na estreia. Logo aos dois minutos, Julinho bateu forte e perdeu a primeira chance rubro-negra. Aos 15, o mesmo Julinho cobrou escanteio da direita. Rondinelli, que aparecia pela primeira vez como titular, testou forte para fazer 1 a 0. Jogando sempre com facilidade pelas pontas, o Fla poderia e deveria ter ampliado a vantagem. Mas errou demais nas finalizações e o placar se manteve na primeira etapa.

Nos 45 minutos finais, empurrado por seus torcedores, o Sampaio foi mais ofensivo. Aos 26, Dionísio, emprestado pelo Flamengo, driblou Luís Carlos e finalizou sem chance para o goleiro Renato. 1 a 1. Quatro minutos depois, Zico decidiu a partida. Fez grande jogada individual e deixou Dario cara a cara com goleiro Orlando. O folclórico atacante teve tranquilidade e deu ao time carioca os primeiros dois pontos no Campeonato Brasileiro de 74.

Segunda Rodada

A boa fase da equipe continuou. Em Natal, o Fla bateu o América por 2 a 0. Mantendo assim a liderança do grupo. Atuando diante de um adversário preocupado apenas em se defender, o Mengo mandou no jogo. Aos 26 minutos, Rondinelli cobrou falta da direita. Dario testou e mandou para o fundo das redes. Quando tudo levava a crer em uma vitória tranquila, Geraldo foi expulso por jogada violenta. Então Joubert se viu obrigado a sacar Julinho e colocar Zé Mario em campo. Mesmo com um homem a menos, o time conseguiu controlar o jogo e não sofrer ataques perigosos do América. Faltando dois minutos para o apito final, Zico lançou Vicentinho, que marcou e deu números finais ao confronto.

Terceira Rodada

Diante do Vasco, Joubert foi obrigado a escalar Jaime na zaga no lugar de Chiquinho, resfriado. O time tentou manter o embalo. E partiu para o ataque. Logo aos quatro minutos, Zé Mário driblou Alfinete e cruzou. Dario ajeitou de cabeça e Zico fuzilou. Estufando as redes de Andrada. O Gol perturbou o Vasco, que errava muitos passes. O Fla poderia ter ampliado a vantagem aos 15, com Zico e aos 18, com Arílson. Mas em ambas as chances Andrada salvou. O Fla diminuiu seu ritmo. Aos 34, Miguel tabelou com Amarildo. Renato salvou na hora da finalização. Aos 44, Roberto cobrou falta que ele mesmo sofrera e empatou a peleja. O time de São Januário foi superior na etapa complementar. Porém, o resultado não mudou. 1 a 1 no clássico dos milhões

Quarta rodada

Rondinelli, duramente atingido pelo zagueiro Miguel, fez exames e ficou constatado uma fissura. Ele teria que parar por um mês. Desfalcando a equipe nesse período. Para solucionar o problema da lateral-direita (Vanderlei estava servindo à Seleção Brasileira de juniores) a diretoria tratou de renovar o contrato de Aluísio. Mesmo fora de ritmo, o atleta já estava escalado para o compromisso diante do Tiradentes, no Maracanã. Outra boa notícia foi o acerto com o Bonsucesso para que Paulinho fosse mais uma vez emprestado ao clube. Dessa vez até 31 de julho. Essa contratação vinha em ótima hora. Afinal, Dario, machucado, também seria desfalque contra a equipe do Piauí. Doval ainda não havia renovado seu contrato. E Rogério seguia machucado.

Veja também: O dia em que tudo começou

Aproveitando a folga de uma semana (coisa rara) o treinador tratou de marcar um coletivo (o primeiro desde a excursão). O resultado não foi dos melhores. Empate de 1 a 1 entre titulares e reservas. Zico e Ademir foram os marcadores.

Tudo mudou quando era para valer. Comandado por Zico, o Flamengo goleou o Tiradentes no Maracanã. Os visitantes vieram fechados na defesa. Como era esperado. Aos 17 minutos, o Galinho enganou seu marcador e deixou Liminha livre. O volante driblou o goleiro e marcou o primeiro. Na sequência Zico serviu Vicentinho, que bateu para fora. Aos 20, o camisa 10 da Gávea deixou Paulinho na cara do gol. Infelizmente, a finalização também foi para fora. No intervalo, Joubert sacou Vicentinho e pôs Geraldo em campo. A mudança melhorou o Fla. Só que a primeira chance foi do Tiradentes. Miltão chutou e Renato fez excepcional defesa. Aos 17, Aluísio cruzou na cabeça de Zico. Aí, não tem perdão. 2 a 0. Aos 24, Paulinho marcou o terceiro, depois de bom passe de Zé Mário. Aos 35, Botelho carimbou o poste Rubro-Negro e quase diminuiu. Aos 45, Zico lançou Paulinho. O ponta driblou o goleiro Toinho e deu números finais a partida. 4 a 0.

Quinta Rodada

A boa atuação de Geraldo deixou Joubert com uma dúvida para o confronto diante do Bahia em Salvador. Jogaria Vicentinho ou o jovem apoiador? O treinador usaria os coletivos da semana para resolver. Com as grandes atuações no ano, Zico começou a ter seu nome especulado na Seleção Brasileira que já estava treinando para a Copa da Alemanha. Na parte de renovações, Rogério e Doval seguiam sem contrato. O caso do argentino era pior. Afinal, em poucos dias acabaria o prazo legal para que ele renovasse. E assim a diretoria seria obrigada a fixar seu passe na Federação Carioca de Futebol. As especulações apontavam que este valor seria de inacreditáveis (para a época) de 4 milhões de cruzeiros.

No primeiro coletivo da semana, Zico foi deslocado para o ataque. Para que Geraldo pudesse entrar no meio de campo. Os titulares bateram os suplentes por 1 a 0. Gol de Arílson. Mas o futebol não agradou.

Sabem aquela história do médico e do monstro? Pois era o que acontecia com o Flamengo. Nos jogos o time se transformava. Tanto é que foi a Salvador e bateu o Bahia por 2 a 0, mantendo a ótima campanha no campeonato. Aos 22, Aluísio centrou. O goleiro Buttice falhou e soltou a redonda nos pés de Paulinho, que fez. Aos 8 da etapa final, Zico driblou o arqueiro e marcou o seu.

Não perca o próximo episódio da séria Biografia Rubro-Negra!

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Foto retirada do site Blog Futebol Maranhense Antigo não creditada, do jogo entre o Flamengo e o Sampaio Correa.

Não deixe de ler também

Leia também

Notícias do Flamengo

O documentário que emocionou milhões de rubro-negros; assista

Documentário produzido pela Conmebol tocou no coração dos torcedores do Flamengo. Todos os detalhes na matéria do Mundo Rubro Negro

Pablo Marí revela história após gol do Flamengo na final da Libertadores

Zagueiro no título da Libertadores de 2019, Pablo Marí revelou que a torcida o deixou em choque e precisou perguntar aos amigos o que tinha ocorrido

#23NovembroDay: relembre como foi o dia da conquista da Libertadores

O MRN relembra como foi o dia 23 de novembro de 2019: desde as primeiras horas, até o anoitecer! Flamengo Bicampeão da Libertadores

Atlético-MG e São Paulo empatam, Inter perde e Flamengo ocupa a segunda colocação do Brasileirão

Dentre os quatro primeiros colocados, Flamengo foi o único que venceu nesta rodada. Time de Ceni divide o topo da tabela com o Atlético-MG

Flamengo vence o Pato Basquete e segue invicto no NBB

Na sede de Mogi das Cruzes, o Flamengo enfrentou o Pato Basquete e venceu por 105 a 70, na noite deste domingo, 22

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Blogs

Quatro marcados, cinco perdidos: o “Pênalti para o Flamengo!” assusta em 2020

Vitinho perde o 5º pênalti do Flamengo em 2020; na temporada, o aproveitamento do clube carioca em cobranças de pênalti é inferior a 50%

Os maiores públicos do Flamengo no Maracanã

O estádio jornalista Mario Filho, conhecido como Maracanã, é a casa do Flamengo desde sua inauguração

Para quem acredita no azar do Flamengo

Texto anônimo viraliza com indagações importantes para todos entenderem que o azar é a principal desculpa dos incompetentes; leia

O Flamengo 2020 sofre uma pandemia interna

O Flamengo 2020 escreve o roteiro do São Paulo nos últimos momentos de Juvenal Juvêncio: enorme prepotência e autossuficiência

2019, lembrança boa; 2020, presente possível

Vamos ver se nossa vontade se espalha pelo Brasil e chega ao ninho, para mais uma vez sermos felizes quando chegar o Carnaval