Compartilhar:

O quarto capítulo da série Biografia Rubro-Negra avança pelo Brasileirão de 1974 depois do amistoso contra o Flu de Feira de Santana, a jornada teve seu ponto alto contra o Inter

BIOGRAFIA RUBRO-NEGRA – CAPÍTULO 4 :: Por Gustavo Roman

Antes de voltar a campo pelo campeonato o time aproveitou a estada em Salvador para viajar até Feira de Santana e enfrentar o Fluminense local num amistoso. Joubert fez várias experiências e só colocou os titulares em campo nos 45 minutos iniciais. Os gols foram marcados por Geraldo, de falta e Paulinho. O lateral-direito Alcione, em período de testes na Gávea, jogou o tempo todo para poder ser melhor avaliado pela Comissão Técnica.

Leia antes: Biografia Rubro-Negra – Capítulo 3: O início do Campeonato Brasileiro de 1974

Sétima Rodada

O próximo adversário era o América. Chamava atenção o duelo entre os irmãos Zico e Edu. Destaques de seus respectivos times. Doval finalmente havia renovado seu contrato e estava a disposição de Joubert. Chiquinho e Dario, recuperados de lesão também estavam prontos para o confronto. A única notícia ruim vinha da seleção. Com o corte do goleiro tricampeão do mundo Félix, Renato foi convocado. Isso queria dizer que o jovem Canterele seria o titular da meta Rubro-Negra.

E o Fla não decepcionou. Venceu de virada. Luisinho faz 1 a 0 para o América. Arílson e Paulinho foram os autores dos tentos. Os dois pontos conquistados levaram o time da Gávea muito perto da ponta da tabela ao lado de Inter e Grêmio. A torcida começava a sonhar com algo maior.

Oitava Rodada

Contra o Inter seria um dos poucos jogos importantes dessa tediosa e longa fase de classificação. Afinal, estariam frente a frente em Porto Alegre Inter e Flamengo. Dois dos líderes do grupo. O Rubro-Negro contava com importantes voltas. Como Dario, confirmado no comando do ataque. Doval ficaria no banco. No último treinamento antes da viagem Joubert decidiu que Geraldo, melhor fisicamente, começaria jogando. Com Zé Mário ficando como opção.

E realmente foi um jogaço. A equipe carioca foi superior nos 30 primeiros minutos. Com Zico desfilando toda sua inteligência e visão de jogo pelo Beira-Rio. O goleiro Schneider salvou os donos da casa em pelo menos três oportunidades. Em finalizações de Zico, Dario e Geraldo. Quem não faz, leva. Aos 30, Pedrinho cruzou. A zaga Rubro-Negra falhou. Dorinho tocou sem chance para Cantarele.

Logo aos três minutos do segundo tempo o Fla chegou a igualdade. Dario achou Zico no meio da zaga. O Galinho ajeitou o corpo e bateu longe do alcance de Rafael. Depois, Dario e Lula ainda perderam oportunidades claras de dar a vitória a seus times. Mas o empate ficou de bom tamanho. E mostrou que o Mengo não estava mesmo para brincadeira.

Nona Rodada

Como a Seleção estava jogando amistosos na preparação para a Copa do Mundo o campeonato deu uma diminuída no ritmo. O que significava uma oportunidade a mais para os clubes faturarem. O Flamengo,por exemplo, foi até Unuarama jogar contra o time local. O estádio estava lotado. E a renda foi excelente. Só o que não agradou foi o futebol dos Rubro-Negros. Derrota de 1 a 0. E mais uma prova que o time só ligava a chave quando o jogo era pra valer.

Adivinhem o que aconteceu? O time foi para Curitiba enfrentar o Atlético Paranense. E voltou a jogar bem. A equipe já havia perdido algumas chances quando, aos 23 minutos, Dario lançou Zico, que driblou o goleiro e fez o primeiro. Aos 40, o Galinho deu a assistência para Paulinho marcar o segundo. A etapa complementar foi um sufoco para o Flamengo, que acabou recuando em demasia e deu espaços para a reação do Furacão. Aos 26, Sicupira descontou. Cantarele ainda teve muito trabalho. Mas o time carioca na base da raça conseguiu segurar a vitória.

Décima Rodada

Contra a Desportiva, Joubert pode contar com a volta de Vanderlei a lateral-direita. Além dele, Zé Mário ganhou nova chance na vaga de Geraldo. Uma vitória colocaria o Fla como líder no geral (entre os 40 times do campeonato). E muito bem cotado para a sequência da competição.

E não foram só os dois pontos que vieram. Eles vieram com mais um show de bola do time. Com Doval de volta no lugar de Dario, o Mengo aproveitou o fator casa e mandou no jogo desde o começo. Aos 19, Paulinho tomou a bola de Adalberto e lançou para Zico, que só tocou na saída do goleiro. O domínio era tanto que a Desportiva não chutou uma vez sequer contra a meta de Cantarele. Depois de perder algumas chances, veio o segundo tento. Aos 39, Arílson cobrou falta sofrida por Paulinho com perfeição. 2 a 0. O líder do campeonato não diminuiu o ritmo na etapa final. Logo aos 8, Paulinho cruzou e Doval se antecipou a marcação e empurrou para as redes. Aos 18, Arílson fez toda a jogada e deixou Doval livre. Sem goleiro. O gringo fez e definiu o placar. 4 a 0.

Décima Primeira Rodada

Em Florianópolis, o Flamengo foi defender sua liderança diante do Avaí. Os mandantes assustaram logo no primeiro minuto. Cantarele que havia falhado no lance, se recuperou e salvou. Aos 37, foi a vez do camisa 1 do Avaí falhar na reposição e entregar a bola nos pés de Zico. Aí, não tem perdão. Ele emendou de primeira e balançou o filó. Seis minutos depois, Cantarele saiu mal da meta e Jaime salvou em cima da linha. Nos 45 minutos finais os donos da casa pressionaram. Mas o Fla soube se segurar. E garantiu mais uma vitória para a conta.

Biografia Rubro-Negra na TV MRN

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Alexandre Vidal / Flamengo

Não deixe de ler também

Compartilhar: