Compartilhar:

O vice-presidente de Futebol do Flamengo, Marcos Braz, foi questionado na entrevista coletiva após a apresentação do atacante Pedro se a chegada dos novos reforços não inibirá ainda mais o uso de atletas formados na categoria de base no time principal do Flamengo. Na resposta, Braz disse que usar a base é importante, mas ganhar é mais importante ainda.

A gente entende a importância da divisão de base, a gente entende a importância do sub-20, mas as pessoas têm que entender a importância do Flamengo ganhar. Esta é a questão central. A questão central do clube, da grandeza do Flamengo, da história do Flamengo, é ser vencedor. E pra ser vencedor, nós precisamos dos melhores. Se os melhores estiverem no mercado ou na divisão de base, serão trazidos para o elenco os melhores possíveis. É importante falar que o elenco profissional do Flamengo campeão da Libertadores e brasileiro tinha 40% de jogadores da base. Se eu tô errando, tô errando um percentual muito pequeno. Se eles eram protagonistas ou não, é uma outra situação, Mas o Flamengo vem, sim, dando importância pra base, dando importância a qualquer tipo de jogador que possa contribuir com a gente. Eu entendo a sua pergunta, mas a minha resposta é fácil. O Flamengo precisa e deve vencer, nos 124 anos. O caminho a gente vai ajustando.

Dos 14 jogadores que entraram em campo na final da Libertadores no ano passado, nenhum era formado na base do clube — um grande contraste em relação a 1981, quando o Flamengo venceu a competição com 8 jogadores formados na Gávea como titulares. Atualmente, a base tem sido usada mais como fabrica de talentos para exportação, e o dinheiro da venda de atletas nos últimos 4 anos foi fundamental para montar o time multicampeão do ano passado e para contratar os 5 reforços que chegaram nesta janela.

Fora os jogadores que estão disputando o Carioca e podem ser integrados ao grupo, o elenco do Flamengo que se reapresenta na próxima segunda-feira tem apenas três atletas formados na base do clube: o goleiro César, o zagueiro Matheus Thuler e o atacante Lincoln.

Compartilhar: