Compartilhar:

Twitter: @Yago_Martins23

Novo centroavante foi um pedido de Jorge Jesus, que terá o “bom problema” para resolver no ataque do Flamengo


Na manhã chuvosa desta sexta-feira (17) no Rio de Janeiro, o atacante Pedro desembarcou no aeroporto do Galeão, na Ilha do Governador, para assinar contrato de uma temporada com o Flamengo. O atleta foi cedido por empréstimo, com passe fixado, pela Fiorentina da Itália.

Leia: Após visita ao CT, torcida do Flamengo critica Léo Moura: “Não é ídolo”

Recebido por alguns torcedores, inclusive o ilustre “Chapolin” que o entregou uma placa, Pedro chegou com seus familiares e representantes. O próximo passo é realizar os exames médicos e assinar o contrato. Seguranças do Flamengo também estavam presentes no local.

NEGOCIAÇÃO EM 2019

O desejo do Flamengo contar com Pedro se iniciou na temporada passada. Na época, o rubro-negro ofereceu ao Fluminense, antigo clube do atleta, uma proposta na casa dos 12 milhões de euros. Pela rivalidade local, o clube das Laranjeiras não aceitou a oferta.

Acabou que dias depois, a Fiorentina fez uma proposta menor por Pedro, e acabou levando o atacante por 11 milhões de euros. Presidente do Fluminense, Mário Bittencourt afirmou que só negociaria com o Flamengo pelo valor da multa rescisória.

PASSADO RUBRO-NEGRO

Em meio a nova negociação deste ano, vazaram algumas fotos de Pedro vestindo a camisa do Flamengo. O jogador jogou futsal pelo rubro-negro na infância, e chegou a ser campeão junto com Bruno Guimarães, atualmente no Athletico-PR.

Pedro se junta a Gustavo Henrique, Pedro Rocha, Michael e Thaigo Maia, como reforços do Flamengo para o restante da temporada.

Revelado pelo Fluminense, Pedro subiu aos profissionais em 2016 e teve como grande temporada o ano de 2018, quando foi artilheiro do time, virou ídolo da torcida e chegou a ser convocado para a seleção brasileira. Ao todo, o atacante disputou 93 partidas pelo Tricolor e anotou 31 gols. Em seu auge no Flu, estava sendo negociado com o Real Madrid, mas uma grave lesão o tirou dos gramados durante um longo período. Na Fiorentina foram apenas quatro jogos, e nenhum gol marcado.

Compartilhar: