Contra o Peñarol, Flamengo precisará superar histórico negativo em jogos decisivos de fases de grupo da Libertadores

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Quando chegou ao último jogo de uma fase grupos precisando do resultado, o Flamengo conseguiu passar apenas em 1981 e 2010.

 

Após desencaminhar sua classificação antecipada esta noite, ao perder de virada para a LDU, o jogo decisivo para as pretensões do Mais Querido na Libertadores 2019 acontece dia 08 de maio contra o Peñarol, em Montevidéu. Ambos os times precisam de ao menos um empate para avançarem.

Considerando os triangulares semifinais de 1982 e 1984 análogos à uma fase de grupo e somando-os à edições 2010, 2012, 2014, 2017 e 2019, o clube chega pela sétima vez na história apostando todas as fichas no último jogo de uma fase de grupos para se classificar. Apenas me 2010 a mistura de “dever de casa” e combinação de resultados trouxe a vaga para a Gávea.

1981, ano da estreia e do título, precisa ser incluído como um exemplo de superação. Flamengo e Atlético Mineiro empataram no topo da tabela na primeira fase. Pelo regulamento, apenas um dos quatro times desse grupo, que contava também com a presença dos gigantes Olimpia e Cerro Porteño, se classificava.

O jogo desempate terminou em 0x0 aos 37 minutos e o Flamengo foi declarado vencedor porque o clube mineiro contava apenas com seis jogadores, um a menos do que previa a regra. Após Reinaldo ser expulso por uma entrada criminosa em Zico, Éder, Chicão, Palhinha e Cerezo forçaram suas expulsões. Leia mais sobre em Não fale espanhol: a tentativa de tapetão do Atlético-MG e um pouco mais de 1981.

Abaixo, um breve resumo de como foram as outras participações do Flamengo na Libertadores.

1982

De acordo com o regulamento, o Flamengo, por ser o atual campeão, só entraria na fase triangular da competição, que precedia às semifinais. Assim sendo, na última partida dessa etapa, o time foi para o jogo final contra o Peñarol precisando vencer por qualquer placar para que a classificação viesse no saldo de gols. Perdeu por 1×0 para os uruguaios com 90 mil pessoas no Maracanã.

 

1983

Fez 6 pontos na fase de grupos. Ficou em segundo mas apenas o primeiro classificava. No caso, o Grêmio, com 11 pontos. Uma participação realmente pífia. Mesmo sem o grande astro Zico nos dois últimos jogos – o Galo se transferiu para a Udinese depois da conquista do Brasileiro no dia 29 de maio -,  o time ainda mantinha alguns dos campeões de 1981, como Raul, Marinho, Andrade e Adílio…

 

1984

A segunda fase era triangular e valia como semifinais. O Flamengo precisava vencer o Grêmio no jogo de desempate – ambos terminaram com 9 pontos mas o Grêmio tinha a vantagem do empate por ter feito melhor saldo de gols. O jogo foi em São Paulo. Diante de 40 mil pessoas, a maioria esmagadora torcendo pelo Flamengo, o Grêmio conseguiu seu objetivo com um empate sem gols e disputou e perdeu a finalíssima contra o Independiente. Faltou um golzinho para que o clube disputasse mais uma final.

1991

Invicto na fase de grupos com 9 pontos. Foram três vitórias e três empates. Depois passou pelo Táchira com facilidade, impondo um 8×2 no agregado, nas quartas caiu para Boca em La Bombonera após ser derrotado por 3×0, antes havia vencido por 2×1 no Rio.

 

1993

Duríssima fase de grupo. O Flamengo classifica-se em primeiro com o mesmo número de pontos de América de Cáli e Atlético Nacional. Naquele ano, três dos quatro times se classificavam em cada grupo. O Internacional sobrou. Após eliminar o Newell’s Old Boys, o Mengo caiu para o futuro campeão São Paulo.

https://www.youtube.com/watch?v=25y7fFX0cX4

 

2002

A pior participação do Flamengo na competição. Os adversários eram Once Caldas, Olimpia e Universidad Católica, e o Mais Querido somou apenas quatro pontos e terminou em último lugar.

2007

Apenas o Santos somou mais pontos do que o Flamengo na edição 2007 da Libertadores da América. O Rubro-Negro fez 16 pontos. Nas oitavas jogou contra um modesto Defensor, no Uruguai, e tomou uma paulada de 3×0. Na volta, os 2×0 não foram suficientes. Apesar de consciente do papelão em Montevidéu, não há como negar que pelo menos um terceiro gol no Maracanã teria saído se não fosse a péssima arbitragem do argentino Héctor Baldassi.

https://www.youtube.com/watch?v=E1BH6FwwbmU

 

2008

O grupo era formado pelos peruanos Cienciano e Coronel Bolognesi e pelo Nacional, do Uruguai. O Fla classificou-se em primeiro novamente, com 13 pontos. Nas oitavas, aconteceu o que ninguém esquece: show na Cidade do México e vexame no Maracanã. Não é preciso dizer mais nada sobre esta Libertadores.

 

2010

Foi uma primeira fase complicada, porém, o escrete rubro-negro, que ainda contava com Adriano Imperador e Vagner Love no comando de ataque, pulou para as oitavas em segundo depois de uma combinação de resultados (venceu o Caracas no Maracanã e contou com o empate entre os rivais Universidad Chile e Universidad Católica). Finalmente a sorte parecia estar ao nosso lado…

Eliminou o Corinthians, com um gol qualificado salvador de Love no Pacaembu e soube que seu adversário das quartas seria a mesma La U que o derrotara no Chile e arrancara um empate no último minuto no Maracanã. Foi derrotado em casa por 2×3 e ganhou em Santiago por 2×1. Não foi suficiente. Ficou o gosto amargo de mais uma eliminação.

 

2012

Após eliminar o Real Potosí, do Peru, numa altitude de 4 mil metros, o Flamengo chega novamente à fase de grupos da Libertadores após um ano afastado da competição. E  o time deixou para resolver tudo na última rodada. Precisava vencer o classificado Lanús no Engenhão e torcer para que o Emelec não vencesse o Olimpia, no Paraguai.

Este dia foi um dos mais dramáticos e traumatizantes para os flamenguistas. No Rio, o serviço foi feito: 3×0. Até os 43 minutos do segundo tempo o placar em Assunção ficou parado no 1 a 1, e tudo parecia se encaminhar para um final feliz para o Mengão.

Foi aí que com um chute forte Mena desempata para o Emelec. Mas milagre parecia ter acontecido: o Olimpia voltou a marcar, aos 46. Dois a dois! Leo Moura dava entrevista como classificado no gramado do Engenhão quando o time de Guayaquil, aos 48 minutos e no último lance dos acréscimos do jogo, fez seu gol da classificação. 2×3 e o Fla estava humilhante e inacreditavelmente desclassificado.

 

2014

O clube em plena reconstrução financeira. Não contava em nenhum roteiro vencer a Copa do Brasil de 2013 e assim ganhar o direito de jogar a Libertadores do ano seguinte. O Flamengo caiu junto a Bolívar, León e Emelec. O time da Gávea não era bom e ninguém acreditava muito em uma campanha longínqua na competição.

Entretanto, não estava nos planos perder e empatar em casa para o pequeno Bolívar. Como em outras fases de grupos, o Flamengo deixou para encaminhar sua classificação na última rodada: era preciso vencer o mexicano Léon em casa mas o resultado foi mais uma vexaminosa derrota.

2017

As dores da Libertadores de 2017 ainda machucam o coração rubro-negro. O time venceu todas as partidas em casa mas chegou ao último jogo da fase de grupos precisando de uma combinação de resultados para seguir adiante. Se vencesse ou empatasse com o San Lorenzo, no El Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires, estaria classificado.

Em caso de derrota, somente perderia a vaga com uma improvável vitória do inconstante Atlético Paranaense frente à Universidad Católica, em Santiago do Chile. Assim como em 2012, todo o revés veio nos minutos finais das duas partidas. Fla e Católica perderam seus jogos e as respectivas classificações. Não tem como esquecer.

 

2018

O Clube de Regatas do Flamengo, desde a edição anterior, já contava com um forte time, se comparado com a maioria esmagadora dos seus rivais. A saga de pelo menos se classificar para as oitavas obteve sucesso, apesar de não ser nada fácil. O time não foi derrotado mas empatou quatro dos seus seis jogos.

Vinicius Junior foi o responsável por uma das vitórias mais incríveis do Flamengo na história da Libertadores, ao sair do banco para fazer dois gols espetaculares contra o Emelec, em Guayaquil. Nas oitavas, nova decepção (quantas vezes usamos essa palavra hoje?) com a derrota por dois a zero em casa, diante do rival doméstico Cruzeiro. A vitória no jogo da volta, no Mineirão, por 1×0 não adiantou rigorosamente nada.

 

 


Você pode contribuir com o nosso projeto:

Via Paypal:

 

 

Via Transferência Bancária:

Banco do Brasil:
Agência 3652-8
Conta Corrente 43937-1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Notícias do Flamengo

Blogs