Compartilhar:

Veja as notas e análises da aliviante vitória do Flamengo diante do Coritiba, pela terceira rodada Campeonato Brasileiro 2020

Notas atribuídas por torcedores da comunidade MRN – Pensar Flamengo

As expectativas nas duas rodadas do Brasileirão 2020 foram frustantes para o torcedor do Flamengo que esperava um convincente e firme início de campeonato. Não era para ser diferente: para quem mandou e desmandou na edição anterior a queda de rendimento foi um baque na auto-estima da galera rubro-negra.

Os rubro-negros mais ressabiados sempre nos ensinam que flamenguista não tem um dia de paz, não é mesmo? Pois bem, em menos de um mês a Magnética foi assombrada com a perda de seu grande comandante e messias idealizador de uma sonhada hegemonia. E em lugar do mestre Jorge Jesus, a aposta no catalão Domènec Torrent, que até virou meme musical e até camisa da Artillero. Um dia antes do jogo desta rodada, outro choque de realidade: o multicampeão Rafinha aceitou a proposta do Olympiacos.

As primeiras duas rodadas do Brasileirão 2020 foram uma verdadeira via crucis para quem achou que estava tranquilão no paraíso. Na estreia, a derrota em casa para o Atlético Mineiro acendeu a luz amarela de atenção. Logo depois veio o acachapante três a zero, fora o baile, do fraco Atlético Goianiense. Os reveses fizeram com que parte da torcida do Flamengo já começasse a pedir a cabeça do recém-chegado ex-assistente de Guardiola.

Na noite deste sábado, no Couto Pereiro sem torcida, veio o alívio. Mesmo sem ser mágico e plástico, o escrete vermelho e preto trouxe os três pontos de Coritiba. O mandante chegou a assustar, no entanto, foi o Flamengo que mereceu a vitória, mesmo que magra, desde o início da contenda. O próximo compromisso do Flamengo é também um grande desafio: os comandados de Domènec Torrent duelam contra o Grêmio, no Maracanã, na próxima quarta, às 19h15.

Leia agora as análises individuais e notas dos jogadores concedidas pelo time de colaboradores do MRN:

NOTAS DA PARTIDA

César: Há um bom tem sem entrar em campo, César não foi exigido, mas quando foi preciso, como no lance do início do jogo no erro do Rodrigo Caio, ele se saiu bem. Boa saída de jogo com os pés, mesmo nos momentos em que o Coritiba subiu a marcação. Nota: 7,0.
Por Danton Freitas

João Lucas: Uma atuação correta do garoto. Às vezes fica a impressão de que falta ele mesmo acreditar em si, acreditar no potencial que tem e no que pode fazer. Na maior parte do tempo fez o seu feijão com arroz pecando apenas no posicionamento muito para dentro da área, deixando a lateral direita da zaga do Flamengo livre para descidas do adversário. O Coritiba aproveitou esse espaço nos primeiros 15 minutos, mas depois, com o domínio total do Rubro-Negro, João tocou curto e, ao menor sinal de aperto, jogava a bola para frente sem medo de ser feliz. No segundo tempo, quando o Coxa ficou com menos um, o lateral se soltou muito mais e chegou a dar um cruzamento perfeito para Pedro, entre os zagueiros, marcar. Infelizmente o bandeirinha achou um impedimento milimétrico, mas o lance deixou boa impressão. Nota: 6,0.
Por Edson Lira – Twitter: @Edsonjslira

Rodrigo Caio: Passa bem pelo momento ruim da equipe. Continua em um bom nível de atuação. Hoje não foi muito exigido, fez outra boa partida, tendo uma falha apenas em um lance confuso com Léo Pereira. Bem na marcação direta mais uma vez. Nota: 6,0.
Por Marcio Marcondes – Twitter: @mjmarcondes

Leo Pereira: Continua saindo para dar combate no meio campo de forma exagerada e deixando espaços atrás quando não ganha a jogada. De positivo teve bons cortes em bolas altas e ligações diretas do Coxa. Nota: 5,0.
Por Miguel Peters – Twitter: @miguelpeters

Filipe Luís: Mesmo com o time fazendo mais uma partida abaixo do que pode render o lateral esquerdo mostrou que possui uma leitura tática muito acima da média. Na defesa, apesar da pouca velocidade esteve muito bem posicionado na maioria dos ataques adversários pelo setor e por isso pouco sofreu. Nas oportunidades em que conseguiu chegar a linha fundo, cruzou duas ou três bolas rateiras na área que quase terminaram em gol. Nota: 7,0.
Por Marcelo Franco – Twitter: @FrancoMarcelo_

Arão: Jogou melhor hoje fazendo o que vinha fazendo , o time por um todo tem na memória o que precisa ser feito, tá faltando força e preparo melhoramos e vamos melhorar muito. Nota: 6,5.
Por Ricardo Bitencourt – Instagram:@drbitenco

Gostou desse conteúdo? Nós acreditamos ser possível criar conteúdo de qualidade sobre o Flamengo. Se você também acredita, clique aqui e torne-se apoiador do MRN.

Gerson: Ao contrário dos dois jogos anteriores, hoje nosso vapo vapo foi discreto. Errou muitos passes e, com isso, não dava continuidade nas jogadas. Se movimentou bem, mas hoje foi aquele dia que errou tudo que tentou. Nota: 6,0.

Everton Ribeiro: Até os 15 minutos iniciais ficou preso na direita sendo um suporte para João Lucas. Após essa fase inicial, com a inversão do Arrascaeta e Gabigol, Everton pôde flutuar, pois Bruno Henrique ficou mais do lado direito. No 2º tempo, Everton Ribeiro foi discreto, mesmo assim apareceu em tabelas no ataque, e mais participativo do que no jogo contra o Goianiense. Ainda está longe do ER7 mágico de 2019. Nota: 6,5.
Por Danton Freitas

Arrascaeta: Joga muita bola e deu sinais de que seu bom futebol está voltando. Achou um passe açucarado para Gabriel no primeiro tempo, e foi muito importante acelerando jogadas de ataque. Mais importante ainda foi seu gol brigado e chorado, daqueles que parecem afastar a má fase. Nota: 7,5.
Por Miguel Peters – Twitter: @miguelpeters

Bruno Henrique: Bruno Henrique teve uma partida pouco inspirada. Não teve êxito na maioria dos lances, principalmente no que erra o passe para Gabigol no primeiro tempo. Talvez, o nosso BH precise voltar com o moicano loiro para seus bons tempos voltarem. Nota: 5,0.
Pedro: Pedro teve metade do segundo tempo de jogo, e favoreceu ofensivamente a equipe. Fez um gol que infelizmente estava impedido, mas teve uma boa performance em campo. O resultado do jogo provavelmente seria melhor se tivesse começado como titular. Nota: 7,0.
Por Millena Dourado – Twitter: @falconcrf_

Gabriel: Parece que quem vem jogando é o seu sósia, tamanha a quantidade de gols perdidos frente a frente com o goleiro. Não tem outra explicação. Melhorou sua movimentação em relação a partida anterior, mas muito longe do jogador decisivo que era antes da parada por causa da pandemia. Nota: 5,5.
Diego: Entrou com a clara finalidade de ocupar o meio e fazer valer a prevalência numérica em campo. Também foi orientado a prender a bola e cadenciar o time, algo que Diego Ribas faz com bastante facilidade sempre que é necessário.
Por Ivo Jr – Twitter: @ivofsjr

Domènec Torrent: O Flamengo jogou melhor do que a última partida porque se sobrepôs ao Coritiba ou o Coritiba foi completamente incapaz de criar maior dificuldade ao Mais Querido? Essa é a questão para avaliar o trabalho de Domenec contra o time do Paraná. Parece que os jogadores começam a entender um pouco melhor a movimentação que o espanhol demanda, principalmente Everton Ribeiro, Arrascaeta, Gabriel e Bruno Henrique. Todos apareceram para o jogo e receberam a bola em condições de realizar suas jogadas. Por outro lado, Gerson e Arão continuam embolados no meio campo sem conseguir dar a dinâmica ao jogo que faziam antes. A completa inoperância do Coritiba não da oportunidade para avaliar a parte defensiva. Nota: 6. Nota: 6,0.
Por Edson Lira – Twitter: @Edsonjslira

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Alexandre Vidal / Flamengo

Compartilhar: