Compartilhar:

Na tarde desta segunda-feira (03), o técnico catalão Domènec Torrent foi apresentado oficialmente como novo técnico do Flamengo. O profissional assinou contrato até dezembro de 2021, e já comandará os próximos treinamentos, visando a estreia no Campeonato Brasileiro contra o Atlético-MG, neste domingo, às 16h no Maracanã. Inclusive, Domènec já revelou: ”Tenho na minha mente a equipe para o próximo jogo”. Abaixo, o MRN traz outros destaques da coletiva do novo treinador.

Confira trechos da coletiva

”Sinto muito, mas não falo português, agora eu falo portunhol. Mas vou tentar falar um pouco português. Estou muito agradecido a duas pessoas importantes, João Pati e Carlos Leite, ao presidente do Flamengo, Marcos Braz e Spindel”.

“Quero agradecera Pep Guardiola. Foi muito importante esses dez anos de trabalho, de conhecimento. Quando estas com o melhor do mundo, aprendes muito”.

”Quando Guardiola soube do interesse do Flamengo no meu trabalho me disse pra não deixar passar. Que o Flamengo é uma das maiores equipes do mundo e tem um grande time”.

“Na Europa quando você fala de Flamengo é um dos clubes mais importantes do mundo. Todo mundo sabe e é um prazer parte desse clube. O Fla no mundo é um top”.

”Vi a final da Libertadores, o jogo contra o Liverpool, jogos do Brasileirão. Sempre estou interessado nos grandes clubes. No últimos seis meses, eu vi uns 9 ou 10 jogos do Flamengo. Os últimos que vi contra o Fluminense”.

“Para mim é importante como ganhar, não somente ganhar. Tenho na cabeça como é importante para a torcida jogar bonito, ganhar e ser feliz no campo. Quero criar um estilo que o Flamengo jogue igual no Maracanã e em outros campos”.

“Eu respeito muito a Jorge Jesus, ganhou tudo com o Flamengo. Nós temos nosso próprio estilo, pouco a pouco vamos implementar, vamos mudar pouco a pouco, porque tem que respeitar o trabalho do Jorge Jesus e dos jogadores”.

”Eu teria várias ofertas na Europa e na América. Mas quando me falaram sobre o possível interesse do Flamengo eu disse, para tudo. Quando o Flamengo te chama não pode dizer não. Não sei se o Brasil sabe o quanto o Flamengo é respeitado na Europa”.

“Quando fui trabalhar no Barça, Bayern, City, era o mesmo, nós jogamos cada semana três jogos, é o mesmo que vai passar com o Flamengo. Estou acostumado. O mais importante nas primeiras semanas é ver como estão os jogadores”.

“Nós precisamos de tempo, cada treinador precisa de tempo. Mas para mim o estilo não é a formação, o estilo é se você quer a bola, se você é ofensivo, se é ganhador. Eu creio que é impossível estar no Flamengo e não ser ganhador”.

“Rafinha foi muito importante no Bayern, na Alemanha. Fazem 4 anos que não falo com ele, mas tenho muito respeito profissionalmente, o que ele demonstrou na Alemanha é que é um ganhador. Ele é muito respeitado na Europa. Estou ansioso para trabalhar com ele novamente”.

“Muitos jogadores me chamaram por telefone para saber o que eu ia fazer, se tinha alguma possibilidade. O Flamengo tem um perfeito scout, time de análise. Eu venho aqui a trabalhar e os mais importantes no clube são os dirigentes”.

”Gostei muito que Jorge Jesus quando perdia a bola, em seguida tentava recuperar. Queremos jogar nesse sentindo, ser muito agressivo quando não temos a bola. Jorge Jesus deu um passo a mais no Brasil de jogar pressionando muito em cima, é um time muito compacto e vencedor”.

Créditos de imagem destacada: Divulgação/Flamengo

Compartilhar: