Compartilhar:

Próximo do apito final na decisão do Campeonato Carioca, o atacante Michael protagonizou um polêmico drible no volante Hudson, do Fluminense. O camisa 19 do Flamengo partiu para cima do atleta tricolor com uma plástica inusitada, lance que irritou profundamente os jogadores do rival. Segundos depois, o árbitro apitou o fim de jogo, e o rubro-negro sagrou-se campeão Carioca. Assista.

Em entrevista ao canal ”De Sola”, o lateral-esquerdo Filipe Luís revelou que o atacante recebeu uma bronca no vestiário do Mais Querido: ”Ele faz isso nos treinos todos os dias, mas foi no momento errado. A gente falou isso para ele no vestiário. Está errado. Ele faz todos os dias no treino, mas pode ser visto como provocação. Ele é muito importante para a gente, vai para cima toda hora, corajoso demais. Vai para cima de cinco ou seis toda hora, o importante é isso. Se ele provocou, depois ele soube reconhecer”.

O drible repercutiu bastante na imprensa, e para o jornalista Mauro Cezar Pereira, a atitude do atacante do Flamengo pareceu deboche.

Eu penso que o jogador faz o que quiser pra manejar a bola. Mas tem situações que você percebe que o cara está provocando e debochando. E quando você faz isso no fim do jogo, ganhando, claro que os rivais estão incomodados e acho desnecessário. Acho que dá para conversar, dá pra fazer uma graça em direção ao gol. Foi uma jogada meio boba que mais pareceu um deboche. Quando você está em ampla vantagem e tira proveito para uma situação dessa, eu não gosto, parece que quer zombar o adversário“.

Já o ex-jogador e atual comentarista da Band, Denilson, ficou sem entender qual foi o propósito do lance protagonizado por Michael.

Queria entender o que o Michael fez. O que ele tentou fazer? Pensa em um drible feio. Eu não conseguiu entender. Oh, Michael, você está zoando, mano. Pra fazer uma graça dessa, faz certo, pô. O que ele fez? Não sei se ele quer pedalar”.

Créditos de imagem destacada: Reprodução

Compartilhar: