Em novo clube, Muralha desabafa sobre passagem no Flamengo

Bruno Guedes
Jornalista e Historiador, é apaixonado por futebol bem jogado. Já atuou na Rádio Roquette Pinto e como colunista no Goal.com. Siga no Twitter: @EuBrguedes

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

MRN Informação | Bruno Guedes – Recém chegado ao Mirassol para a disputa do Campeonato Paulista, o goleiro Alex Muralha desabafou sobre sua passagem pelo Flamengo. Em entrevista ao portal GE nesta segunda, 1º, o jogador disse que até hoje carrega o peso das críticas recebidas em 2017. E revelou: “Eu me senti como um bandido”.

Em setembro de 2017, o Jornal Extra publicou uma capa afirmando que Muralha mudaria de nome. Segundo a publicação, ele não fazia mais por merecer ser chamado pelo apelido. Contudo, o jogador lembra com muitas mágoas sobre o fato, que foi criticado até pela torcida do Flamengo à época:

“Não tem problema querer mudar meu nome. (…) Poderiam ter colocado dentro do jornal, mas colocaram na capa como se fosse um criminoso, um bandido. Um país onde a gente vive tanta coisa, colocar um jogador de futebol como um alvo é muito pesado. Aquilo marcou muito a minha vida. Vou levar isso para sempre, até quando parar de jogar.”, desabafou o goleiro.

LEIA MAIS: Gabigol provoca André Rizek em comemoração e jornalista rebate

Aos 31 anos, o atleta retorna ao clube do interior paulista onde teve rápida passagem em 2014. Entretanto, Alex afirma que ainda sofre sofre com as palavras duras da imprensa. O goleiro culpou parte dos jornalistas pela perseguição que viveu:

“Vocês repórteres têm um peso muito grande para nós atletas. O que vocês falam a maioria das pessoas acredita. Não generalizo, mas alguns pegam muito pesado, e isso tem um impacto muito grande na carreira, na família de um jogador. Sofri muito, carrego até hoje. Saí do Flamengo em 2017 e até hoje carrego isso.”, disse Muralha.

Marcado pelas críticas e sofrimento em família

Alvo constante da torcida, o jogador lembrou que durante muitos anos as pessoas esperavam por um erro seu. De acordo com ele, no Flamengo, acabou sendo perseguido dentro e fora de campo:

“Em certo momento fui o alvo. Todos esperavam um simples erro para atacar. Às vezes, eu tomava gol que qualquer outro goleiro tomaria, mas como era o Alex Muralha era o errado, o pior de todos. Isso vai deixando você pressionado, com a cabeça a milhão e sabendo que não pode errar de maneira alguma.”, desabafou.

Segundo o goleiro, as críticas saíram da esfera profissional e chegaram à pessoal. Alex revelou que até mesmo a sua mãe acabou sofrendo com a perseguição:

“Fui muito criticado e de certa forma atingiu muito a minha mãe. Disse para ela sair, esquecer aquilo, mas mesmo assim ela queria de alguma forma me proteger. Acabou tomando remédios para dormir, aquilo me chateou muito e me pegou. Saíram do futebol e começaram a influenciar minha vida pessoal.”, disse o atleta.

Contudo, Muralha disse que o momento conturbado rendeu ensinamentos:

“Aquilo me deu muitos ensinamentos. Independentemente do que você faça, seja bom ou ruim, vão criticar. Pode ser o melhor, pior ou mediano, mas em algum momento irão lhe apontar o dedo.”, afirmou.

Muralha chegou à Seleção Brasileira em 2016

Alex Roberto Santana Rafael virou Muralha por conta do preparador de goleiros do então Serrano, que hoje tornou-se Prudentópolis, onde o goleiro atuou em 2008. Em 77 jogos pelo Flamengo entre 2016 e 2018, foi Campeão Carioca em 2017 e chegou à Seleção Brasileira no ano anterior.

O goleiro relembrou o momento e afirmou que “mudou a sua vida de jogador”:

“Você fica em choque vendo onde conseguiu chegar, ali (na Seleção) você se sente bem. Todos são muito humildes e tratam bem. É um ambiente diferente, não é fácil chegar numa Seleção Brasileira. E pude ter essa oportunidade, que está para sempre guardada no meu coração.”, revelou ao site.

VEJA TAMBÉM: Tite diz que dois titulares do Flamengo podem estar na próxima convocação, entretanto não confirma

Apesar do que viveu e a maneira como ficou marcado, Muralha se disse grato ao Flamengo. De acordo com ele, sua passagem foi positiva:

“Minha passagem pelo Flamengo considero positiva, para maioria das pessoas talvez não. No meu primeiro ano no clube ficamos quase oito meses sem perder, brigamos pelo título, fui para a Seleção. Fui campeão estadual invicto, brigamos pelo título em todos os campeonatos. Entretanto, o que o Bandeira plantou naqueles anos o clube está colhendo agora. Eu sabia que mais cedo ou mais tarde voltaria a ser o grande clube que deveria sempre ser. Sou grato ao Flamengo.”, declarou o goleiro.

Ajude o MRN a fazer jornalismo rubro-negro. Clique aqui e seja apoiador.

Notícias do Flamengo

Blogs