Compartilhar:

Após a Taça Guanabara vencida pelo América, o segundo turno do Carioca começa com uma estreia nada fácil

BIOGRAFIA RUBRO-NEGRA – CAPÍTULO 9 :: Por Gustavo Roman – Twitter: @guroman

A estreia não seria nada fácil. Afinal, a tabela marcava o duelo contra o América, campeão da Taça Guanabara. No coletivo apronto, 2 a 0 para os titulares. Gols de Zico e Paulinho. O Galinho ainda perdeu um pênalti e sentiu uma leve fisgada na coxa, deixando o campo e iniciando o tratamento intensivo. Era dúvida para o jogão. Afinal, o Flamengo havia sido o único time a derrotar a equipe de Campos Sales.

Chegou agora? Leia a saga desde o início! >> Um 1973 para esquecer e o começo de 74; Zico vira titular com Joubert

E a dose se repetiu. Dessa vez com requintes de crueldade. O Rubro-Negro fez sua melhor partida no campeonato e goleou o América por 4 a 1. O início do jogo até deu a impressão que os campeões da Taça Guanabara iriam manter o embalo, pois exerciam um domínio territorial. A partir dos 15 minutos, quando Doval perdeu a primeira chance, o panorama se alterou completamente. Aos 21, Zico, de falta, obrigou o goleiro Rogério a se esticar todo para mandar para fora. Aos 28, o camisa 10, em tarde infernal, tabelou com Geraldo e abriu o placar. Aos 44, Doval quase ampliou. Rogério salvou. Nos 45 minutos finais o que se viu foi um massacre do Fla. Com menos de um minuto Doval perdeu gol feito. Aos cinco, Geraldo finalizou para boa defesa de Rogério. Aos 15, Zico bateu rente a trave. Aos 17, não teve jeito. Geraldo saiu enfileirando seus marcadores e rolou para o Galinho, que só teve o trabalho de completar para as redes. Aos 31, Zé Mário fez a jogada e Doval marcou o terceiro. Aos 33, o mesmo Doval perdeu chance clara. Completamente livre. Aos 39, Luisinho mostrou seu faro de artilheiro e diminuiu. E aos 42, Paulinho lançou Doval, que fechou o placar. Goleada e faixa do campeão devidamente carimbada.

Segunda Rodada

O próximo adversário seria o Madureira, que havia batido o Flamengo no primeiro turno. Com Arílson machucado, Joubert resolveu dar nova chance a Rogério, finalmente recuperado de contusão. Mas claro que antes disso, aproveitando um intervalo de 10 dias entre uma rodada e outra a equipe ia faturar com amistosos. A primeira parada foi em Campo Grande, onde o time enfrentou o Comercial. Antes , contudo, o país parou para ver a despedida de Pelé (na Vila Belmiro, diante da Ponte Preta). E era de Santos que chegava a notícia de que o Peixe iria investir pesado na contratação de Zico como substituto do Rei. Os cartolas trataram logo de rir e rechaçar a ideia. No coletivo, dois a dois. Gols do galinho para os titulares e de Rui Rei e Edson para os suplentes. Geraldo voltou a ser o melhor em campo. O jovem parecia estar amadurecendo.

O amistoso que mais parecia um treino para o Fla e um jogo oficial para o Comercial terminou empatado em 1 a 1. Sena, aos 42 minutos do segundo tempo, faz 1 a 0 aproveitando falha de Ubirajara. Aos 45, Zico deixou tudo igual com um golaço depois de driblar cinco marcadores. 1 a 1.

Blog Memória Rubro-Negra :: Emmanuel do Valle: Os 40 anos do título brasileiro de 1980, parte 1: tempo de mudanças

Contra o Madureira a zebra chegou a aparecer no Maracanã; Afinal, com um minuto de jogo Paulo César driblou Humberto Monteiro e fez 1 a 0 para o Tricolor Suburbano. O Mengo acordou e quase empatou já na saída de bola, com Zico. Geraldo, aos nove e Rodrigues Neto, aos 12 acertaram a trave. Aos 29, Doval foi calçado na área. Pênalti que Zico cobrou com perfeição. Aos 38, o Galinho fez o segundo. Batendo falta com imensa categoria. Foi 0 quadragésimo quarto gol do camisa 10 na temporada. Na etapa complementar, o Fla recuou e esperou os contragolpes para matar o confronto. Aos 14, Doval faz o terceiro. Quatro minutos depois, Zico deixou Doval livre para marcar o quarto. Aos 36, Humberto Monteiro centrou da direita e Rodrigues Neto de números finais a goleada. Cinco a um. O fantasma estava mais do que exorcizado. E como o Vasco (0 a 0 com o Bonsucesso) e o Fluminense (0 a 1 contra o mesmo Madureira na rodada anterior) o Flamengo era líder do turno.

Terceira Rodada

Três dias depois o time já estava em campo de novo. Dessa vez o adversário era o Campo Grande. Joubert manteve o onze titular que havia marcado nove gols em dois jogos. Só não contava com uma retranca tão eficiente do campusca. O Flamengo batalhou. Perdeu inúmeras chances. E acabou perdendo seu primeiro ponto no returno. 0 a 0. A equipe da Gávea agora dividia a liderança com o Vasco, com 5 pontos ganhos.

Quarta Rodada

A tabela marcava justamente o encontro entre os dois líderes da competição. Flamengo e Vasco fariam um jogo de balançar os alicerces do Maracanã.

E foi realmente um jogão. O Cruzmaltino foi melhor no primeiro tempo. Esse domínio foi ainda maior depois que Geraldo teve que ser substituído aos 15 minutos. Aos 29, Luís Carlos cruzou. Roberto Dinamite dominou no peito. Enganou a marcação de Jaime e bateu sem chance para Cantarele. O goleiro Rubro-Negro, aliás, foi o grande destaque do primeiro tempo com defesas sensacionais. Joubert arrumou o time no intervalo. O Fla começou a pressionar e a perder chances. Aos seis foi Rodrigues Neto. Aos oito, Zico. Aos 22, Doval. Aos 33, saiu o gol de empate. Zico cobrou falta da entrada da área e colocou a bola no ângulo de Andrada. O empate deixou as duas equipes ainda na liderança com seis pontos ganhos. Um a frente de Botafogo e de América e dois a frente do Fluminense.

Quinta Rodada

A partida contra o Bonsucesso foi disputada e sofrida até o fim. Logo aos cinco minutos Nílton cortou com a mão um centro de Paulinho. Zico ajeitou. Cobrou. E, para surpresa de todos, o goleiro Pedrinho espalmou. Esse lance abalou psicologicamente o Flamengo. Rodrigues Neto ainda acertou a trave depois da cobrança de um escanteio. Mas o Bonsucesso ameaçava mais. Aos 12, Miguel cruzou e Mário, de cabeça, fez 1 a 0 para a zebra. Que ainda se segurou por todo o primeiro tempo. Na etapa final, o Fla voltou com Vanderlei na lateral-esquerda. Passando Rodrigue Neto para a ponta-esquerda. Edson deixou o time. Aos 10, Ivanir substituiu Doval, mal no jogo. E o próprio Ivanir empatou de cabeça aos 14. Zico, Rodrigues Neto e Ivanir perderam boas chances. Aos 33, houve um pênalti claro de Jaime em Mário. Aos 37, Zé Mário, de bicicleta, e quase da entrada da área fez um golaço e selou não só a vitória como também a liderança para o time da Gávea.

Sexta Rodada

O clássico era contra o Botafogo e contra a escrita. Na véspera, América (1 a 0 no Fluminense) e Vasco (2 a 0 no Madureira) haviam vencido e chegado aos nove e oito pontos ganhos respectivamente. Ao Flamengo, só a vitória interessava. A partida foi disputada do início ao fim. O Mengo sempre atacou mais. Porém, o time dirigido por Zagallo sempre incomodou nos contragolpes. No fim das contas, o 0 a 0 foi justo. Duro foi ver Zico deixar o campo depois de forte pancada no tornozelo. E a classificação do campeonato ficou assim: Flamengo e América com 9 pontos. Vasco (com um jogo a menos) e Botafogo com oito. O título ficaria com uma delas.

Sétima Rodada

Em jogo adiado da quinta rodada o Vasco empatou com o Fluminense e também chegou aos nove pontos ganhos. A última rodada seria de arrepiar. Os jogos seriam os seguintes: Flamengo x Fluminense. Vasco x América e Botafogo x Campo Grande.

Ajude a divulgação rubro-negra de qualidade: Seja apoiador do MRN e participe do nosso grupo de Whatsapp.

Como sábado era feriado de finados, a FERJ marcou o fla x flu para a sexta a noite. O Tricolor, já sem chance alguma, entrou em campo apenas para cumprir tabela e complicar o adversário. E conseguiu. O clássico foi equilibrado. O Flu teve duas chances aos 22 minutos com Gil e Silveira. Cantarele fez milagre nas duas. O Mengo respondeu com boas chegadas de Ivanir e Paulinho. Zico, bem marcado, esteve apagado. O panorama não se alterou na etapa final. Ivanir chegou a carimbar o poste de Félix. Mas o time das Laranjeiras foi sempre perigoso nos contragolpes. O 0 a 0 acabou deixando o Rubro-Negro na liderança com 10 pontos. Porém o título do segundo turno iria depender dos resultados dos outros jogos.

Não deu. O Botafogo bateu o Campo Grande (1 a 0) e o Vasco venceu o América (2 a 0). Com estes resultados o Vasco foi campeão do segundo turno com 11 pontos ganhos. Flamengo e Botafogo terminaram logo atrás com 10. América, campeão da Taça Guanabara e Vasco, portanto, já estavam garantidos na decisão do campeonato. Restando a Flamengo, Fluminense e Botafogo vencer o terceiro turno e beliscar a derradeira vaga na decisão carioca.

Assista o programa Biografia Rubro-Negra

Compartilhar: