Compartilhar:

Yago Martins, do MRN Informação

Durante esta sexta-feira (15), o coordenador do protocolo nacional e médico da CBF, Jorge Pagura, fez uma transmissão ao vivo no Instagram e comentou sobre as incertas que teremos quando a bola voltar a rolar no Brasil, após a pandemia do novo coronavírus. E durante a live, o doutor citou o atacante Gabriel Barbosa, do Flamengo, como exemplo das mudanças que acontecerá no país.

O barulho do silêncio é a nova tônica que a gente vai ver no futebol. O abraço, a comemoração, “hoje tem gol do Gabigol”, dancinha, isso não vai existir”.

Por outro lado, Pagura assegurou que o futebol será a profissão mais segura de se praticar, quando retornarem as atividades.

Quando liberarem as atividades não vai haver lugar mais seguro do que treino de futebol, jogo de futebol. As medidas que preparamos são altamente restritivas do ponto benéfico para a saúde de todos”.

Em outro ponto da live, o médico deixou entender que a CBF só irá retornar com o público nos estádios, quando for criado uma vacina contra o vírus.

As aglomerações vão ser as últimas a serem liberadas. Provavelmente (público) quando tiver grande percentual da população que ou teve contato e produziu anticorpos IGG ou quando surgir vacina ou tratamento muito eficaz. No plano tem isso (não cuspir), mas não tem multa. Vão ter opções, vão ter totens para se ele precisar assoar o nariz. No toten, tem álcool gel para esterilizar a mão. Apesar de que essa gotícula permanece pouco no ar em ar livre.

Créditos de imagem destacada: Divulgação/Flamengo

O MRN depende do apoio de leitores como você para continuar fazendo uma cobertura criativa, propositiva e ética do Clube de Regatas do Flamengo. ➡ Junte-se a nós

Compartilhar: