Compartilhar:

Giuliano afirma que ficou “constrangido” após não conseguir entrar no Maracanã com os comprovantes necessários

Durante o Fla x Flu, válido pela semifinal da Taça Guanabara, um sócio-torcedor se manifestou nas redes sociais alegando que não havia conseguido entrar no Maracanã. Em contato com o Nação Rubro-Negra, programa de associados do clube, o atendente sugeriu que o torcedor chamasse a polícia.

Em contato com a reportagem do Mundo Rubro-Negro, a assessoria do Flamengo afirmou que o atendente foi demitido do clube. Além disso, ainda salientou que “já está atuando neste caso” e que “está mudando o atendimento”.

Em sua conta no Twitter, Giuliano Cosenza, estudante de 22 anos, afirmou que mostrou o comprovante da compra, o cartão de crédito e mesmo assim não conseguiu entrar no Maracanã. A solução encontrada foi comprar a entrada de um cambista por R$ 120. Assinante do plano Amor, o torcedor paga R$ 169,80 por mês. “Me senti constrangido com a situação. Foi chato ser barrado na entrada do jogo com ingresso comprado e com todos os comprovantes”, desabafa.

Guiliano ainda pretende processar o clube pela situação. “O pior serviço de sócio do Brasil, Não posso aceitar esse tratamento ridículo só por ser meu time do coração”, publicou em rede social.


Histórico negativo

Não é a primeira vez que o atendimento do programa de sócio-torcedor do Flamengo é alvo de críticas nas redes sociais. Na própria publicação de Guiliano, diversos torcedores se manifestaram afirmando que já passaram por situação parecida. Um deles, aliás, ofereceu a indicação de um advogado.

Além de problemas para acessar o Maracanã, associados também reclamam do tempo de atendimento, mau tratamento dos funcionários do clube e dificuldade na hora de comprar ingressos, entre outros pontos.

Compartilhar: