Compartilhar:

Lucas Tinôco, do MRN Informação

Flamengo estuda ir à Justiça após torcida tricolor cantou “time assassino”, em alusão à tragédia ocorrida no Ninho do Urubu há quase um ano.

O primeiro Fla-Flu do ano terminou com polêmica nas arquibancadas. Em duas oportunidades no jogo, a torcida do Fluminense cantou “time assassino” para o Flamengo, em alusão à tragédia ocorrida no Ninho do Urubu há quase um ano e agora o rubro-negro estudar ir à Justiça contra os rivais.

O artigo 213 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva considera multa e perda de campo em casos de “desordem na praça de desporto”, caso o julgamento considere o Fluminense culpado. Por enquanto, a denúncia é apenas um hipótese e outras medidas cabíveis também são estudadas pela diretoria do Flamengo.

Não foi a primeira vez

Após o incêndio, no ano passado, aconteceram seis Fla-Flus. No sétimo, depois que o Flamengo ganhou a Libertadores e o Brasileiro e a torcida tricolor já não podia mais se referir ao cheirinho ou outra provocação, parte dos tricolores resolveram ofender a memória das dez vítimas da tragédia do Ninho fingindo se importar com o que aconteceu com elas, quando na realidade buscam apenas um argumento clubista para ofender o torcedor rubro-negro.

A ofensa é ainda mais grave porque o Flamengo jogou com um time formado quase que exclusivamente por jogadores formados na base do clube, com jogadores que conheciam e conviviam com os garotos que perderam as vidas no incêndio do Ninho.

Um exemplo do impacto causado pelas ofensas pôde ser percebida na saída de Yuri Cézar do campo. O jogador, que tem sido um dos mais bem avaliados nesse início de temporada, deixou o campo chorando.

Repercussão

Vários veículos de imprensa repercutiram a ocasião, repudiando os atos e mostrando, por exemplo, as falas do treinador Mauricio Souza na coletiva pós-jogo.

A repercussão fez com que o Fluminense emitisse uma nota de repúdio às ofensas. A mesma, no entanto, não se limitou somente a repudiar os atos, mas também contou com um posicionamento vitimista.

O comunicado também denunciou um suposto tratamento diferenciado da imprensa e da opinião pública ao clube, já que outras torcidas — a do Vasco é citada nominalmente — teriam entoado o mesmo grito ou outros cânticos ofensivos sem que houvesse o repúdio geral manifestado desde ontem. “Não aceitamos que o Fluminense seja mais uma vez rotulado num caso onde todas as torcidas, sem exceção, estão envolvidas.”

A íntegra da nota pode ser lida no site do Fluminense.

Compartilhar: