Flamengo já pagou mais de R$ 1 bilhão em dívidas desde 2013; veja números do balanço

MRN Informação | Bruno Guedes –  O Flamengo publicou nesta quinta-feira, 1º, o balanço financeiro referente à temporada 2020. De acordo com os números, o clube já pagou mais de R$ 1 bilhão em dívidas desde 2013, ano em que mudou seu modelo de gestão. Estes valores são referentes ao chamado endividamento líquido operacional. Mas em 2020, por conta da pandemia e queda de receitas, apenas R$ 67 milhões foram destinados para o pagamento da mesma.

Ao todo, nos últimos oito anos, quando o Rubro-Negro passou por profunda reformulação em sua gerência financeira, já destinou R$ 1,066 bilhão para redução da dívida. Vale destacar que a auditoria feita pela gestão Bandeira de Mello em 2013 apontou um rombo de R$ 750,7 milhões à época. Entretanto, por conta de gastos operacionais e juros, esses valores sofreram várias alterações desde então.

LEIA MAIS: Olho neles: 5 promessas do Flamengo que podem brilhar em 2021

Em 2020, mesmo por conta da pandemia e consequente queda de receitas, foram pagos mais R$ 67 milhões. O valor é menor que o de 2019. Mas o balanço, que é auditado pela renomada Ernst & Young, garante que não houve inadimplência. Entretanto, segundo o relatório, a dívida está controlada levando-se em conta o tamanho da receita do clube.

- Advertisement -

De acordo com os números, o ano em que o Rubro-Negro mais destinou recursos para abatimento do débito foi em 2016, com R$ 200 milhões pagos de uma receita bruta de R$ 409 milhões.

Em 2020, o Flamengo teve um faturamento total de R$ 756 milhões. Contudo, houve queda de 20,5% em comparação ao ano anterior. Isso fez com que houvesse um aumento da dívida líquida. Atingindo assim R$ 440 milhões. Um acréscimo de R$ 102 milhões em relação aos mesmos valores divulgados em 2019.

Os principais responsáveis pela queda de receita foram a diminuição do quadro de sócios-torcedores e a ausência de bilheteria nos jogos. Apenas R$ 92 milhões. De acordo com dados do clube, essa fonte de receita registrou redução de 73% em relação ao ano anterior.

Direitos de Transmissão seguem como principais fontes de receitas

Entretanto, se a dívida do Flamengo aumentou, os direitos de transmissão e a venda de atletas foram as maiores receitas: R$ 264 milhões. Houve também acréscimo por conta de patrocínios e licenciamento, que saíram de R$ 106 milhões em 2019 para R$ 143 milhões no último ano.

Outro importante dado foi quanto à redução dos custos operacionais em 17%. Enquanto no ano anterior à pandemia o clube havia gasto R$ 666 milhões, o documento aponta que em 2020 foi de R$ 552 milhões. Mas vale destacar que essa queda passou por demissões de funcionários e diminuição dos quadros.

DÍVIDA DO FLAMENGO EM 2020:

– Endividamento líquido operacional – R$ 440 milhões

FONTES DE RECEITAS

– Direitos de Transmissão e Prêmios – R$ 264 milhões
– Transferência de atletas – R$ 222 milhões
– Patrocínios e Licenciamentos – R$ 143 milhões
– Bilheteria, ST e Estádio – R$ 92 milhões
– Social e outras – R$ 34 milhões

Acompanhe o jornalista Bruno Guedes no Twitter

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here