Compartilhar:

Neste tempo de pandemia, uma acusação grave assolou os bastidores da diretoria rubro-negra, a empresa Anexa Energia entrou com um processo pedindo R$ 586,9 mil pela quebra de contrato após serviços prestados em uma reforma realizada no Ninho do Urubu. Além disso foi citado uma “mesada” possivelmente pedida pelos dirigentes rubro-negros em troco de uma renovação com a empresa.

O Flamengo divulgou Nota Oficial repudiando veementemente a acusação, alegando que a gestão desconhece a realização de ato ilícito. Além disso, afirmou buscar sempre a transparência com os torcedores, e que este julgamento se trata de um “ataque oportunista da empresa, proveniente de sua irresignação com a rescisão do seu contrato pelo mero inadimplemento das obrigações assumidas e não cumpridas”. Veja mais aqui.

Veja também: Não precisava entrar no holofote assim

Abaixo o documento divulgado pelo clube na íntegra:

O Clube de Regatas do Flamengo vem a público repudiar veementemente alegações de supostos atos ilícitos que constam em nota jornalística publicada nesta terça-feira (26), na coluna do Ancelmo Gois, no jornal O Globo, e reiterar que a atual gestão desconhece qualquer prática ilícita deste tipo. Através da supracitada matéria, o Clube tomou conhecimento de que foi ajuizada uma ação indenizatória por parte da empresa Anexa Engenharia, com base em alegação infundada e desacompanhada de qualquer prova, de que uma terceira pessoa, não identificada, que se dizia “influente junto à diretoria do clube”, estaria pedindo “mesada” para manter um contrato.

Cabe destacar que a acusação foi feita contra terceira pessoa, que absurdamente não foi identificada pelo autor da denúncia, que estaria se apresentando como influente perante à diretoria do Flamengo. Portanto, causou extrema surpresa e desconforto que tenha sido divulgada uma acusação contra terceiro de nome ocultado, como se fosse feita a dirigentes do Clube, havendo um erro material na nota ao atribuir a denúncia à diretoria, quando se tratou de alguém que se dizia ligado à diretoria, o que é muito diferente.

Todas as contratações do Flamengo seguem uma política rigorosa de compliance, tendo o Clube licitado o referido contrato, como admite no processo a mencionada empresa, sendo vencedora por ter ofertado a melhor proposta.

Contudo, o Clube rescindiu o contrato com a Anexa, em dezembro de 2019, após ter constatado que os serviços anteriormente contratados não haviam sido prestados a contento, mesmo estando o Flamengo em dia com os pagamentos. Em outras palavras, nitidamente estamos diante de um ataque oportunista da empresa, proveniente de sua irresignação com a rescisão do seu contrato pelo mero inadimplemento das obrigações assumidas e não cumpridas.

Assim, pautado no princípio da transparência, que norteia os atos da gestão, o Flamengo irá instaurar um inquérito administrativo interno e investigará profundamente as acusações feitas para esclarecer quem se apresenta em nome do clube e tudo mais que possa ser útil ao esclarecimento do caso.

Todos os fatos apurados no inquérito administrativo interno terão a devida divulgação, a fim de que os sócios do Clube possam ter conhecimento amplo e irrestrito de tudo que foi feito pelo Flamengo. Caso seja constatada qualquer irregularidade, os responsáveis serão devidamente punidos.

Diante disso, o Flamengo desde já esclarece que irá exigir à empresa Anexa a indicação da pessoa e a comprovação dos fatos alegados na petição inicial, sob pena de responsabilização cível e criminal, diante do que afiguram ser infundadas e graves acusações lançadas de forma leviana e com o nítido intuito de macular o bom nome e imagem do Clube.

Vale consignar que o Flamengo lamenta o fato de que a imprensa publique nota em jornal de grande circulação fundada com base em denúncia não identificada contra terceiro, como se fosse diretamente imputada a dirigentes do clube, sem que ao Clube tenha sido dado o direito de se manifestar previamente.

Por fim, o Flamengo vem esclarecer ao público em geral que, apesar de óbvio, a ninguém é dado o direito de se manifestar em nome da diretoria e do Clube, sem que apresente poderes especiais para tal fim, mediante procuração ou outro instrumento jurídico próprio para esse fim.

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Foto: Ralph Oliveira

Compartilhar: