Compartilhar:

A possibilidade de ser titular e protagonista no time com a segunda maior torcida do Brasil foi menos sedutora para Michael do que a oportunidade de jogar no Flamengo, destino preferido da grande maioria dos jogadores neste momento no futebol brasileiro. “É um sonho sendo realizado”, explicou o empresário do jogador, Eduardo Maluf, sobre a escolha. O Mundo Rubro Negro analisa nessa reportagem os motivos que transformaram Michael na revelação do Campeonato Brasileiro que não quis o Corinthians e preferiu jogar no Flamengo.

— Ficou muito claro, assim como aconteceu com o Gustavo Henrique e com o o Pedro Rocha, que o desejo do Michael era jogar no Flamengo. Nós temos percebido nesse período em que o mercado da bola se movimenta que há vários jogadores que têm hoje como plano de carreira atuar vestindo a camisa do Flamengo, pelo que o Flamengo oferece de tranquilidade financeira e pelo nível técnico do grupo que o Flamengo está montando. Empresários dizem isso, alguns jogadores manifestam também. — disse o comentarista do Sportv Paulo César Vasconcellos, ao comentar o desfecho da negociação.

Veja os principais pontos que pesaram na escolha do jogador:

PROJEÇÃO

Gerson estava esquecido na Europa. Só não foi convocado para a seleção brasileira para não desfalcar o Flamengo em um momento decisivo da temporada, segundo o próprio técnico Tite. Gabigol já tinha sido artilheiro do Brasileiro em 2018 pelo Santos, mas só voltou à seleção jogando pelo Flamengo. São dois exemplos, mas há muitos outros de jogadores que se destacaram e ganharam uma nova projeção a partir do Flamengo. Michael aposta que poderá seguir o mesmo caminho.

PARTE FINANCEIRA

O Flamengo é, inegavelmente, o clube mais rico do futebol brasileiro nesse momento. Com isso, pode oferecer os melhores salários — e a garantia de pagá-los em dia. O Corinthians vive uma instabilidade financeira. Fechou o ano com déficit de mais de R$ 140 milhões e tem a dívida por seu estádio como uma bomba-relógio que pode estourar a qualquer momento. Michael preferiu o certo ao duvidoso.

JORGE JESUS

O técnico português conseguiu fazer a grande maioria dos jogadores renderem mais do que haviam conseguido em qualquer outro momento da carreira. Michael é um jovem jogador em formação e sua contratação teria sido solicitada pelo técnico português. A expectativa é de que seu futebol possa evoluir como, por exemplo, o de Bruno Henrique, que marcou no ano quase tantos gols quanto já havia anotado no resto da sua carreira e, aos 28 anos, chegou pela primeira vez à seleção brasileira.

MAIOR CHANCE DE TÍTULOS

Após bater todos os recordes possíveis no Campeonato Brasileiro do ano passado e conquistar a Libertadores e o torneio nacional em menos de 24 horas, o Flamengo larga como grande favorito a repetir em 2020 o sucesso que teve em 2019. Todo jogador sonha marcar seu nome em um grande clube com a conquista de títulos, e quem chega ao Flamengo neste momento tem grande chance de escrever seu nome nesta galeria.

CALENDÁRIO

Embora a princípio Michael, apesar de ser uma das contratações mais caras da história do clube, não chegue para ser titular, principalmente se nenhum jogador da temporada passada sair — a situação de Gabigol é a mais delicada no momento –, a perspectiva é que neste ano o Flamengo adote um rodízio muito maior de jogadores. Primeiro, porque está qualificando o elenco para ter reservas considerados mais nivelados com os titulares. E segundo, porque o calendário pode impor desfalques em uma grande parte da temporada — só a Copa América deve desfalcar o clube de alguns dos seus principais jogadores por 10 a 11 rodadas do Brasileiro. Segundo PVC, Michael pode ser usado tanto no lugar de Bruno Henrique, que pode ser chamado para a seleção brasileira, quanto na de Arrascaeta, nome certo da seleção uruguaia.

ESTRUTURA

Desde que concluiu a construção do Ninho do Urubu, no fim de 2018, o Flamengo passou a possuir a estrutura mais moderna do futebol brasileiro. Isso se refletiu no ano passado na rápida recuperação de lesões dos jogadores, que ficou patente na semifinal da Libertadores, quando Arrascaeta operou o joelho e entrou em campo após somente 19 dias, e Diego voltou, ainda em outubro, de uma grave lesão que prometia deixá-lo sem jogar até 2020.

TRANQUILIDADE

O ano de 2019 foi marcado por ruidosos protestos de torcedores de boa parte dos clubes brasileiros. Até o Palmeiras, que vinha de um título brasileiro e terminou em terceiro no ano passado, viu seus torcedores protestarem no CT e nas arquibancadas e cobrarem jogadores do clube nas ruas pelo desempenho na temporada. Com o atual cenário do Flamengo, é improvável que Michael sofra com esse tipo de problemas.

Compartilhar: