Compartilhar:

Veja as notas e análises individuais da derrota do Flamengo diante do Ceará, pela décima rodada do Brasileirão

Notas atribuídas por torcedores da comunidade MRN – Pensar Flamengo

Leia as análises individuais e notas dos jogadores concedidas pelo time de colaboradores do MRN:

Cesar: Não precisou fazer nenhuma defesa difícil nos dois tempos, exceto nos lances que resultaram nos gols. Em gol parecia que ainda estava doente, por mais que os gols sofridos não tenham sido inteiramente por culpa dele, esse goleiro não consegue pegar uma bola sem parecer que está espantando mosquito. Nota: 4,0.
Por Millena Dourado – Twitter: @falconcrf_

Isla: Logo no início do jogo deu sinais do que seria a partida quando fez muito mal um recuo de cabeça para o Cesar. Não acertou quase nada no apoio ao ataque hoje e na defesa foi facilmente vencido pelo ataque adversário. Nota: 3,0.
Matheuzinho: entrou já no fim, mas se mostrou mais ativo e partindo pra cima do adversário, na defesa também se virou bem, não comprometeu. Nota: 6,5.
Por Caroline Menezes – Twitter – @kaka_menezes07

Leo Pereira: Melhorou na leitura da linha e nos cortes, mas foi responsável pelos dois gols do Ceará. Nota: 2,0.
Por Miguel Peters – Twitter: @miguelpeters

Gustavo Henrique: Uma atuação tenebrosa. Inseguro na saída de bola, driblado várias vezes com facilidade, e o pior, ele com aquela altura toda, perde muita disputa no jogo aéreo. Não sei se até agora conseguimos repor a saída do Marí não. Precisava melhorar e muito, se continuar assim, que o Thuler tenha chance. Nota: 1,0.
Por Marcio Marcondes – Twitter: @mjmarcondes

Renê: Assim como a maioria do time esteve muito abaixo na partida de hoje. Não comprometeu defensivamente mas mostrou muita dificuldade na saída de bola, e para piorar, pouco apoiou o lado esquerdo do ataque. Nota: 4,0.
Por Marcelo Franco – Twitter @FrancoMarcelo_

Ajude a divulgação rubro-negra de qualidade: Seja apoiador do MRN e participe do nosso grupo de Whatsapp.

Arão: Cumpriu bem o papel de proteger os zagueiros e até arriscou umas idas ao ataque, porém falhou no segundo gol, o cara passou nas costas dele e ele não acompanhou. Mesmo depois da desorganização do time seguiu bem na proteção da zaga. Nota 5,0. Por Marcelo Batista – Twitter: @Antifa_crf

Thiago Maia: Discreto em campo, mas longe das últimas atuações. Correu muito, lutou, no fim foi abaixo do normal. Nota: 4,0.
Diego: Entrou para dar mais criatividade ao time e servir de armador. Dome também pensou no jogador para alongar os passes e acionar mais o pontas, principalmente vitinho. Mesmo atuando melhor do que a média do time, o experiente camisa dez não conseguiu mudar a narrativa da partida. Nota: 6,0.
Por Welson Alves – Twitter: @welson_fla

Everton Ribeiro: Não conseguiu articular uma jogada sequer. Quanto mais perto da área adversária pior foi seu desempenho. Nos últimos 20 minutos tinha dois palmos de língua para fora e perdeu bolas perigosas no meio-campo que poderiam ter gerado um gol no contra-ataque adversário. Nota: 4,0.
Por Edson Lira – Twitter: @Edsonjslira

Michael: Participou pouco do jogo e errou lances bobos. Não foi capaz de infiltrar na defesa do Ceará. Está cada dia dando mais indícios que é jogador de segundo tempo. Que usa sua velocidade quando o time adversário está cansado. Nota: 3,0.
Pedro: Entrou, nada fez e pouco pegou na bola. Jogou mal como a maioria do time. Nota 2,0.
Por Verônica Coutinho – Twitter: @Vevecoutinho

Vitinho: No primeiro tempo, o jogo se apresentou para que Vitinho aproveitasse a avenida que Samuel Xavier deixava. Mas Vitinho, em uma jornada bisonha, errou tudo o que tentou. No segundo tempo, com Pedro e Gabigol entrando na área, até tentou alguns cruzamentos, sem nenhum sucesso. Fica mais uma partida marcada por uma péssima atuação quando teve a oportunidade de sair como titular. O “sonho de menino” não vai passar disso? Apenas um sonho? Nunca vai virar realidade? Nota: 1,0.
Lincoln: Manteve o padrão da atuação do Vitinho, ou seja, nada que merece ser destacado. Sem Nota.
Danton Freitas

Gabigol: Gabriel Barbosa foi bem participativo no primeiro tempo, saindo para buscar interação ativamente pelo lado esquerdo, porém, as duas chances claras de gol perdidas poderia ter feito a diferença no resultado do jogo. No segundo tempo, mesmo com seu posicionamento mais deslocado da área por conta da entrada de Pedro, não foi efetivo e nem participativo, longe do Gabigol que conhecemos. Nota: 6,5.
Por João Victor – Twitter: @jonvcrf

Domènec Torrent: O time treinado por ele é um arremedo do time de Jorge Jesus. Quem espera um Flamengo dominante, jogando sempre com intensidade, muita movimentação e linhas compactas tirando o espaço do adversário, pode esquecer. Este time não será mais visto e faz parte do passado. Hoje, não há reclamação da escalação inicial que foi bem definida. Porém, Dome insiste no jogo posicional, parecendo mais com um futebol estático, onde os jogadores se prendem as suas posição definidas e parecem não ter permissão de rodar o campo, com exceção do Everton Ribeiro. O primeiro gol do Ceará mostra o erro nesta escolha definida pelo treinador, onde os jogadores marcam por zona e não cada um pegando um jogador do time adversário. Essa marcação não funciona a contento para o time do Flamengo que sempre foi firme na bola área adversária e perigoso na sua bola aérea. Isso, deixou de existir. Flamengo se tornou vulnerável em escanteios e bolas alçadas em sua área, tomando uma quantidade de gols muito alta para qualquer defesa razoável. Outro ponto que o nosso técnico não consegue resolver é que nossas linhas jogam muito longe uma da outra. Deixou de existir a compactação das linhas e o time jogando próximo em um espaço pequeno do campo. Vemos nitidamente um espaçamento entre a defesa e o meio campo, lembrando o tempo do time do Flamengo treinado pelo Abel em que os jogadores pareciam um bando em campo. Para finalizar, Dome precisa se incomodar com a derrota e incutir isso novamente na cabeça dos seus jogadores que no final da partida de hoje parecem que cumpriram apenas um compromisso burocrático. Como foi apelidado nosso time de 2016/2017, modo banana não pode ser aceito nunca mais. Nota: 3,5.
Por Ivo Junior – Twitter: @ivofsjr

Os artigos assinadas não refletem necessariamente a opinião do MRN, sendo de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores.

Ajude a divulgação rubro-negra de qualidade: Seja apoiador do MRN e participe do nosso grupo de Whatsapp.

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Alexandre Vidal / Flamengo

Compartilhar: