Compartilhar:

Lucas Tinôco, do MRN Informação

Galvão Bueno narrará o primeiro grande jogo da temporada na decisão da Supercopa do Brasil entre Flamengo e Athletico Paranaense.

Essa será a primeira vez em 2020 que Galvão participará de uma transmissão. Após infarto antes da final da Libertadores, ele narrou o Flamengo no Mundial mas a Globo ainda prega cautela.

Sendo assim, o comunicador só tem participado de grandes eventos e por isso a emissora aposta nele para a Supercopa do Brasil, no próximo dia 16, às 11h00. Galvão terá a companhia de Júnior e Roger Flores.

Inicialmente a partida seria disputada no início da temporada, dia 19 de janeiro. Porém, a data não batia com os 30 dias de férias que o elenco do Flamengo, obrigatoriamente, precisaria ter.

Histórico da competição

Pouca gente se lembra, mas esta será a terceira edição da competição, criada em 1990. Naquele ano, o Grêmio bateu o Vasco e levou o título.

No ano seguinte, houve a primeira participação do Flamengo no torneio. Campeão da Copa do Brasil de 1990, o time que tinha Júnior e cia acabou derrotado pelo Corinthians.

Há quem diga, no entanto, que a decisão de 2020 será a quarta edição. Isso pelo fato de, em 1992, Flamengo e Paraná, campeões da primeira e segunda divisão do Campeonato Brasileiro, terem feito um amistoso, vencido nos pênaltis pelo Mais Querido.

O Flamengo, contudo, não reconhecia aquele jogo como título até colocá-lo em sua lista de troféus como “Taça dos Campeões Brasileiros”.

A premiação para a partida que marca o retorno da competição ao calendário nacional será de R$ 5 milhões para o campeão e R$ 2 milhões para o vice.

Polêmica entre Flamengo e Globo

Vale ressaltar que essa será a primeira transmissão de um jogo do rubro-negro em 2020, dada a batalha entre clube e TV Globo quanto ao pagamento dos direitos de transmissão.

Enquanto a emissora quer pagar os mesmos R$ 18 milhões que paga aos outros clubes e pagava ao rubro-negro até o ano passado, o Mais Querido usa contas do Campeonato Brasileiro de 2019 para chegar aos R$ 81 milhões, pedida explicada em matéria do MRN.

Compartilhar: