Compartilhar:

Yago Martins, do MRN Informação

Em 2011 e 2018, equipes se enfrentaram em final de Taça Guanabara. Em ambas, o Flamengo saiu vencedor

Na noite desta sábado (22) às 18h, o Flamengo receberá o Boavista no Maracanã pela final da Taça Guanabara de 2020. Será a terceira vez que as equipes se enfrentam em uma decisão de primeiro turno de Estadual, e o Mundo Rubro Negro vai te relembrar ambas as partidas.

LEIA: Nova chance? Berrío é relacionado pela primeira vez em 2020

SEJA SÓCIO TORCEDOR

2011 – Flamengo 1 x 0 Boavista

Técnico do Flamengo na ocasião, Vanderlei Luxemburgo mandou a campo a seguinte escalação:

Felipe; Léo Moura, Wellinton, David Braz e Egídio; Maldonado, Willians, Thiago Neves, Botinelli e Renato Abreu; Ronaldinho Gaúcho.

O JOGO

Foi sofrido e suado. O Boavista valorizou o quanto pôde. Mas novamente, numa decisão entre favorito e azarão, prevaleceu no futebol carioca a tradição. O Flamengo venceu a decisão da Taça Guanabara, num Engenhão lotado, com 41.708 torcedores presentes, e garantiu lugar na final do Campeonato Carioca 2011. Para a festa ser completa e o carnaval começar com uma semana de antecedência, o gol do título e da vitória por 1 a 0 foi do craque Ronaldinho Gaúcho. Numa cobrança de falta com a categoria que sempre marcou seu estilo, ele balançou a rede e tirou o time do sufoco.

PRIMEIRO TEMPO

O Flamengo começou a partida com mais volume de jogo. E empurrava o Boavista para sua defesa. Mas Ronaldinho Gaúcho e Thiago Neves não encontravam espaço e pareciam sem inspiração. O primeiro lance de perigo aconteceu aos 11 minutos, quando Thiago Neves cabeceou para defesa do goleiro Thiago. Aos 15, Léo Moura recebeu sozinho na área, mas chutou à esquerda do gol.

Aos 34, a torcida rubro-negra começou a vaiar e a pedir Negueba. O esquema de Vanderlei Luxemburgo, com Ronaldinho como centroavante, não surtia efeito. Aos 39, o último bom momento do Fla na etapa inicial: Egídio cruzou na área e o goleiro Thiago se esticou para desviar a bola antes de Thiago Neves.

SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo o Boavista voltou mais animado. E o jogo começou a ganhar contornos dramáticos, porque o Flamengo encontrava ainda mais dificuldade para criar oportunidades de gol. Aos 11 minutos, Ronaldinho Gaúcho recebeu cartão amarelo depois de acertar uma canelada em Júlio César.

A estrela do craque brilho enfim aos 28 minutos. Thiago Neves sofreu falta perto da área. Ronaldinho ajeitou com carinho. A expectativa se transformou em explosão de felicidade quando a bola viajou sobre a barreira e morreu na rede, à esquerda do goleiro Thiago, que nem se mexeu. Uma cobrança típica dos melhores momentos da carreira de Ronaldinho: Flamengo 1 a 0. Na comemoração, o jogador rubro-negro puxou a coreografia do “Bonde do Mengão Sem Freio”, um sucesso nos treinamentos e entre os torcedores.

Aos 35 minutos, o atacante Frontini perdeu a cabeça. Atingido por Renato Abreu numa disputa de bola em que o jogador do Flamengo ergueu demais os pés, o atacante do Boavista reagiu com um empurrão. O árbitro Marcelo de Lima Henrique deu cartão vermelho para Frontini.

A torcida do Flamengo passou então a gritar “mais um, mais um”, pedindo o gol que tranquilizasse de vez o time, mas terminou 1 a 0. Ronaldinho Gaúcho, que está pronto para cair na folia, cumpriu o dever de casa e agora pode se divertir à vontade. Ele e toda a Nação Rubro-Negra.

2018 – Boavista 0 x 2 Flamengo

Técnico do Flamengo na ocasião, Paulo César Carpegiani mandou a campo a seguinte escalação:

César; Pará, Réver, Rhodolfo e Renê; Cuéllar, Éverton, Lucas Paquetá, Diego e Éverton Ribeiro; Henrique Douardo.

O JOGO

O Flamengo é campeão da Taça Guanabara. O Rubro-Negro venceu o Boavista por 2 a 0 em um jogo duro, no Kléber Andrade, em Cariacica, neste domingo, e conquistou o primeiro título do ano. O destino quis que o primeiro gol do time da Gávea fosse de um ex-jogador do Vasco. Kadu marcou contra o patrimônio, após cabeçada de Réver e depois Vinicius Júnior fez o gol do título.

PRIMEIRO TEMPO

O primeiro tempo começou com o Boavista tomando a iniciativa. Aos 3 minutos, Controlando a partida, Boavista trocou passes no campo de ataque. Erick Flores, após tabela com Leandrão, arriscou de fora da área. A bola passou perto do gol de César. O Flamengo só conseguiu o primeiro lance de perigo aos 26 minutos, Diego cobrou falta com qualidade por cima da barreira. De mão trocada, Rafael espalmou e fez bela defesa. A melhor oportunidade foi também do Rubro-Negro. Aos 32 minutos, após cruzamento da direita, a defesa do Boavista tirou mal, a bola sobrou para Diego, mais ou menos na marca do pênalti. Ele bateu de primeira. O goleiro Rafael já estava vencido, mas Kadu conseguiu impedir o gol.

SEGUNDO TEMPO

O Flamengo tentou pressionar no segundo tempo. Aos 5 minutos do segundo tempo, o Flamengo quase abriu o placar. Em duas jogadas de Éverton Ribeiro, na primeira, ele lançou Paquetá que finalizou em cima de Rafael. No rebote, cruzou. Dourado cabeceou para fora. Aos 19 minutos, Diego cruzou na área. Leandrão não acompanhou Réver, que ficou livre. O zagueiro cabeceou para trás, buscando Dourado. A bola, porém, bateu em Kadu Fernandes, ex-jogador do Vasco, e entrou. Gol contra que abriu o placar. Aos 32 minutos apareceu a joia do Flamengo. Éverton Ribeiro dominou a bola na entrada da área. Percebeu Vinicius Junior livre. Elivelton dava condição. O atacante desviou de leve, o suficiente para tirar Rafael do lance, dando números finais a partida.

Crédito de imagem destacada: Reprodução

Sobre mim:

Twitter: @Yago_Martins23 | 22 anos, passagens por Rádio RPC, jornal Ilha Notícias e TV Ilha Carioca.

O MRN depende do apoio de leitores como você para continuar fazendo uma cobertura criativa, propositiva e ética do Clube de Regatas do Flamengo. ➡ Junte-se a nós

Compartilhar: