Compartilhar:

Treinador rubro-negro participou do programa “Jogo Sagrado”, do Fox Sports, e falou sobre sua experiência no Flamengo

O treinador do Flamengo, Jorge Jesus, participou do programa “Jogo Sagrado”, do canal Fox Sports, desta segunda-feira (9) e falou sobre seu primeiro contato com o Flamengo, sua trajetória até agora, elenco do Mais Querido, críticas e seleções.

O técnico rubro-negro confirmou o interesse do Vasco e do Atlético-MG: “Não era isso que eu queria, tinha outras expectativas esportivas. Sem ofender ninguém, achava que teria que ser uma equipe que brigasse por título. Apareceu o Flamengo, aí foi fácil” Jesus completou: “Chegamos a um acordo facilmente, eu também queria. Me garantiu toda segurança de trabalho e estrutura”. “Eu via os jogos e achava que o Flamengo tinha jogadores para se montar uma boa equipe”, finalizou.

Jesus rasgou elogios ao Flamengo, especialmente ao elenco: “Quando eu cheguei já estavam todos preparados para minha forma de comunicar. Acho que isso foi o pontapé certo para que as coisas começassem bem. Eu sabia que o Flamengo era um dos maiores times do mundo. Se tu não ganhas títulos, nenhum time é valorizado. Ganhar títulos internacionais e não só nacionais.”

Sobre sua possível saída, Jesus afirmou que “o clube nunca vai perder, se tem alguém que perderia seria eu”. Mas revelou que o possível acerto com o Benfica é falso. “É mentira. Não tem ponta de verdade. Todos os anos o meu nome é associado a esses clubes quando o time tá mal. Vou regressar a Portugal, mas não sei quando.”

Confira outras aspas de Jorge Jesus

“Vou acabar em Portugal a minha carreira.”

Futebol brasileiro: “A Europa é o espelho do mundo do futebol, ninguém tem dúvidas disso. Eu conheço os campeonatos da Europa, os mais importantes. Sobre o futebol brasileiro, ele está mais forte. Palmeiras, Grêmio, Internacional. No futebol inglês, o marketing é muito bom. E quando o marketing é bom, às vezes o produto pode ser ruim. Tem qualidade três ou quatro equipes. O futebol brasileiro continua a ter muito talento.”

“O futebol brasileiro devia ser transmitido como a Europa está a fazer. Para a Índia, para a China, para o Japão. O Brasil tinha que entrar neste mercado.”

“Pode (a família fazer voltar para a Europa). Eu nunca pensava em sair de Portugal.”

Jogadores do Flamengo: “Eu os acho muito profissionais. Eu sei que este grupo do Flamengo é fantástico. Os jogadores são fantásticos a ponto de terem influência na minha renovação de contrato. Minha vontade é continuar.” Jesus completou: “Está nas mãos da diretoria do Flamengo”.

“O que mais me preocupei foi trabalhar e ganhar. Não fiquei muito preocupado no que respondi ou no que vou responder. Eu fiz o meu trabalho. Talvez o Valentim (foi mais o que incomodou). Quando falei do patamar, e foi contra o Fluminense, o que eu quis dizer é que estamos disputando todas as taças. O nosso patamar é diferente do Fluminense e de todas as equipes do Brasil. Não estava falando que o Flamengo era melhor que o Fluminense.”

Gabigol e Bruno Henrique: São jogadores muito rápidos, que podem resolver sozinho. Poderiam ser uma boa dupla, e eu não me enganei. É difícil achar melhores. Suarez e Messi, talvez. Dybala e Ronaldo, talvez. É difícil pensar os terceiros.”

“Encontrei nesta equipe um grupo muito responsável.”

“A primeira linha defensiva são os dois avançados.”

Pablo Mari “Foi difícil convencê-lo. Eu o vi jogar na Espanha um playoff. Eu gosto de central canhoto e vi um jogador com 1 metro e 90 e tal, que jogava colado com um zagueiro que foi meu jogador no Sporting. Tive a oportunidade de ligar pra ele. Tentei convencê-lo porque iria para um grande clube, que não teria uma oportunidade tão boa para jogar na Libertadores.”

“Qual é o treinador do mundo que não aceitaria ser treinador da Seleção Brasileira? Qual é o treinador do mundo que não aceitaria treinar o Flamengo? Muito poucos.”

Berrío na lateral-direita: “Foi uma solução que eu tive que improvisar. Eu vinha já há algumas semanas a trabalhar o Berrío nessa posição. Tive que colocar o Berrío em jogo. Foi uma situação de curso.”

Final do Mundial: “Arrascaeta, Everton, Gabi e Gerson não estavam no nível normal deles. Se eles tivessem, nós teríamos ganhado do Liverpool”.

“Nunca teve nada parecido”, Jesus sobre “Olé, olé, olé, Mister, Mister”.

“As equipes argentinas e brasileiras continuam a ser as melhores”.

Jesus se manifesta contra o gramado sintético: “A bola quica com mais facilidade. Não tem razão de ser. Se eu mandasse na FIFA, eu proibiria campo sintético. Tem que ser natural”.

Jorge Jesus volta à beira do campo contra o Barcelona-EQU nesta quarta-feira (11), às 21h30, no Maracanã, pela segunda rodada da Libertadores.

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Alexandre Vidal / Flamengo

Compartilhar: