Compartilhar:

Richard Schunke disse ainda que o time equatoriano fez uma partida quase perfeita para vencer os atuais campeões da Libertadores

MRN Informação | Bruno Guedes – Twitter: @eubrguedes

A goleada sofrida pelo Flamengo no Equador segue repercutindo no mundo do futebol. Em entrevista ao Diário Olé, o zagueiro argentino Richard Schunke, do Independiente del Valle, afirmou que os jogadores rubro-negros pediam que “jogassem sério, sem passar o pé na bola”. Contudo, segundo o jogador, em momento algum a equipe equatoriana menosprezou ou desrespeitou o time carioca durante a vitória de 5 a 0, nesta quinta-feira (17). O atleta afirmou ainda que eles impuseram o seu jogo sobre os atuais campeões da Libertadores.

EXCLUSIVO: Goleada para del Valle incendeia ambiente político do Flamengo e abre crise

De acordo com Richard, o del Valle sabia quem estava enfrentando e tinha na cabeça ainda a final da Recopa, onde o Flamengo saiu vitorioso após 2 a 2 no Equador e 3 a 0 no Maracanã. Porém, não sabia explicar o placar tão elástico: “Ainda não sei. Nós sabíamos contra quem estávamos jogando. Tudo o que tinha jogado, o que tinha ganho, embora o treinador tivesse mudado. Não é comum marcar cinco gols e não marcar nenhum. Acho que impusemos um estilo de jogo e uma maneira que eles não conseguiram encontrar o que tinham.”, disse o argentino, que ratificou ainda que a altitude fez diferença para que conseguissem vencer.

Quando questionado sobre algum comentário dos jogadores do Flamengo, Schunke afirmou que os rubro-negros pediam respeito: “Eles nos pediam para jogar sério, sem brincadeirinhas, essa coisas de jogo… o goleiro Pinos (da equipe do del Valle) tem esse estilo de passar o pé na bola, fingir que vai chutar. Mas a verdade é que não fizemos nada para desrespeitar o Flamengo rival e acho que ao mesmo tempo fomos capazes de continuar atacando e procurando outro gol. Sempre da mesma forma que fizemos”, desabafou o zagueiro.

LEIA TAMBÉM: Flamengo terá transmissões na Libertadores espalhadas; veja onde assistir todos os jogos

Lembrando dos confrontos do começo do ano, o argentino disse que enfrentar jogadores do nível de Bruno Henrique, Gabigol e Arrascaeta era complicado, mas que tudo funcionou perfeitamente dentro da estratégia traçada pelo técnico espanhol Miguel Ángel Ramírez: “Sabíamos da forma extraordinária deles, vimos que faziam a diferença como fizeram contra o River Plate (na final da Libertadores). O que tentamos fazer foi competir nesse nível e tentar o melhor que podíamos durante a partida. Ontem (quinta) deu tudo certo”, finalizou.

O Flamengo volta a entrar em campo na terça-feira, dia 22, contra o Barcelona do Equador, às 19h15. O rival foi derrotado pelo Junior de Barranquilla por 2 a 1 e está em situação crítica no Grupo A da Libertadores. A partida será transmitida pelo Fox Sports.

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Alexandre Vidal / Flamengo

Compartilhar: