Jorge Jesus, brigas e bastidores: Gabigol surpreende com revelações em entrevista

MRN Informação | Bruno Guedes – Ídolos da torcida do Flamengo, Gabigol e Bruno Henrique surpreenderam os fãs com revelações neste domingo, 30. Em entrevista ao Esporte Espetacular, da Rede Globo, o camisa 9 afirmou que sente falta de Jorge Jesus. Entretanto, disse que mesmo após tantos títulos os jogadores brigam constantemente. Mesmo sem perder a amizade e o respeito, Bruno ainda revelou bastidores do elenco.

LEIA MAIS: Olympique de Marselha se aproxima de volante francês e esfria interesse por Gerson, diz jornal

De acordo com Gabigol, os jogadores estão sempre “pilhados”. Citando a bronca que recebeu do capitão Diego Ribas, no primeiro jogo das finais do Campeonato Carioca, o atacante disse que é normal. E foi assim. Segundo ele, as brigas são constantes em favor da equipe:

“Todo dia (a gente briga). Nos treinos é o que o bicho pega”, revelou em meio às risadas.

- Advertisement -

Formando uma das maiores duplas de ataque da história do Flamengo, Gabigol rasgou elogios ao companheiro Bruno Henrique. Mas o camisa 27 não ficou calado. Bruno declarou que a parceria vai muito além do campo. E contou um pouco dos bastidores entre eles para tanta sintonia:

“A gente tem uma relação muito boa, sempre que pode a gente consegue se encontrar. Temos que ter essa união, não só dentro de campo, mas fora também. As coisas não dão certo à toa, eu e Gabi sempre que dá estamos juntos, é festa, aniversário, jantar…”, afirmou Bruno Henrique.

Gabigol revela saudades de Jorge Jesus

Mesmo após quase um ano após a saída de Jorge Jesus, Gabigol revelou que sente falta do português. De acordo com ele, o Mister mudou a sua carreira e o tratou como filho. Explicando como era a convivência com o técnico, o artilheiro surpreendeu ao comentar que o ambiente mudou o estilo do professor:

“Como filho, (eu) era o que mais tinha carinho, mas era o que mais apanhava. Eu sentia que quando ele chegou, a gente conhece (o jeito dos europeus), ele era muito frio, não gostava de dar abraço. Sentia que ele precisava conviver não só como pessoa, como ser humano. A gente tem muita saudade dele”, relembra Gabigol.

CONFIRA: Isla ou Rodinei? Mauro Cezar Pereira projeta quem será titular da lateral do Flamengo

Contudo, ao falar sobre as características de trabalho, o atacante afirmou que Jesus era sistemático. Segundo Gabi, o Mister chegava a contar a quantidade de passes que ele e Bruno Henrique trocavam durante os jogos:

“Ele (Jorge Jesus) tinha um dado curioso, quantas bolas a gente tocava um para o outro. Todo jogo ele vinha: “Você tocou três bolas para o Bruno, você tocou cinco para o Gabriel…”. Ele foi fazendo a gente querer jogar mais juntos. Foi assim que deu certo”, explicou.

Acompanhe o jornalista Bruno Guedes no Twitter

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here