Compartilhar:

Apesar de uma saída no meio da temporada, a diretoria do Flamengo avalia alguns nomes.

Blog Ninho do Urubu | Bruno Guedes – Twitter: @eubrguedes

Como adiantamos com exclusividade no dia 6 de julho, Jorge Jesus acertou sua ida para o Benfica, de Portugal. O técnico teve o primeiro contato com os encarnados na última semana de junho. Sem entrar em detalhes, preferiu esperar. Os benfiquistas fizeram uma proposta oficial duas semanas depois. De acordo com pessoas ouvidas pela coluna, a motivação para o acerto é de ordem familiar e também incertezas sobre o futebol no Brasil por conta da descontrolada pandemia. O contrato será de três anos.

Uma reunião entre as partes vai selar a saída ainda nesta sexta-feira, 17, que deve ser anunciada assim que o Mister assinar com a rescisão. No acordo previsto com o Benfica, Além de Jorge Jesus, toda sua comissão técnica formada por portugueses também voltará para a terra natal: João de Deus e Thiago Oliveira, os preparadores físicos Mário Monteiro e Márcio Sampaio, e os analistas Gil Henriques e Rodrigo Araújo, O médico rubro-negro, Márcio Tannure, que está no clube há mais de 15 anos e especialista na Medicina Esportiva, também foi exigência. Sua saída está sendo discutida.

Do mesmo autor: Um ano de Jorge Jesus no Flamengo: cinco títulos, quatro derrotas e centenas de bocas caladas

Segundo algumas pessoas próximas, a decisão foi consciente. A motivação para a mudança foi desde ordem familiar, seus parentes o querem mais próximo em Portugal, até a indefinição política que ronda o Flamengo e o Brasil. Há um temor de que os campeonatos sejam paralisados novamente após o aumento dos casos de coronavírus. Há duas semanas, como informamos, a falta de um calendário já era preocupação. O profissional viajava constantemente para ver seus familiares. Por conta da pandemia, estes tinham limitações para vir ao país e depois ficar em quarentena.

E a falta de proposta para clubes maiores mesmo após um total domínio continental, como o Mister esperava, tirou a perspectiva de que pudesse ir para um dos cinco que ele apontava como postulantes a tirá-lo do Rubro-Negro. Portanto, essa investida dos Encarnados foi vista como oportunidade para regressar à Europa.

O Benfica enviou no começo de julho ao Brasil o agente Bruno Macedo, pessoa próxima ao Jesus, para acelerar as negociações. No clube português havia uma divisão de opiniões sobre sua chegada, havendo resistência principalmente por causa do empresário Jorge Mendes. Diversos atletas do atual elenco são agenciados por Mendes e o temor é que haja reformulação. Porém, nos últimos dias, quem comandou as negociações foi Luís Filipe Vieira, candidato à reeleição do clube português e mandatário desde o começo dos anos 2000.

Aos 66 anos, um contrato longo foi decisivo para a decisão. Além de um salário levemente superior ao que recebia no Flamengo, Jorge Jesus também ouviu promessas de que terá um time capaz de disputar títulos em Portugal e na Champions League. Um dos pedidos do Mister era a chegada de alguns jogadores do atual elenco rubro-negro. As tratativas quanto a isso ainda não estão encaminhadas.

Ajude a divulgação rubro-negra de qualidade: Seja apoiador do MRN e participe do nosso grupo de Whatsapp.

Apesar de uma saída no meio da temporada, a diretoria do Flamengo avalia alguns nomes. A definição por um escolhido passa pelas preferências do diretor Marcos Braz e aval do do presidente Rodolfo Landim. Segundo fontes ouvidas pela coluna Ninho do Urubu, duas opções estão à frente dos demais e ambos portugueses: Marco Silva, ex-técnico do Éverton, e Leonardo Jardim, ex-treinador do Mônaco.

Correntes internas preferem outros profissionais, como Jorge Sampaoli, atualmente no Atlético-MG, e Marcelo Gallardo, do River Plate. Entretanto, a avaliação é de que estes dois seriam filosofias e metodologias diferentes do Jesus, o que poderia causar uma enorme mudança. Um brasileiro está descartado até o momento.

Durante os 13 meses em que esteve no Flamengo, Jorge Jesus disputou 57 jogos, com 43 vitórias, 10 empates e apenas quatro derrotas. Foram cinco títulos e um aproveitamento de 81%.

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Alexandre Vidal / Flamengo

Compartilhar: