35.3 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, janeiro 18, 2021

Alexandre Kalil critica modo que Fla negocia contratos de TV: “não adianta querer ser o produto”

Em entrevista concedida ao programa ‘Roda Viva’, o ex-presidente do Atlético-MG criticou a forma que os contratos de TV são negociados

O ex-presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, que acabou de se reeleger prefeito na cidade de Belo Horizonte, foi entrevistado pelo programa “Roda Viva”, da TV Cultura, nessa última segunda-feira (30). Entre os temas abordados, a negociação dos contratos de TV no futebol brasileiro. O político demonstrou insatisfação com a forma que os dois clubes de maior torcida do país – Flamengo e Corinthians – lidam com tal situação.

“É uma burrice isso”, diz Kalil sobre a maneira que o Flamengo negocia contratos

“O maior produto da televisão brasileira se chama futebol. Se estragar o produto, se quiser ganhar muito em cima do produto, vai jogar o produto fora… Faz o campeonato Flamengo x Corinthians e vê o que vai valer daqui a pouco, isso eu cansei de falar”, explanou Kalil. O antigo mandatário do Galo foi mais incisivo nas críticas ao Mais Querido, discordando da postura do clube carioca em priorizar seus interesses.

Não adianta o Flamengo querer ser o produto, tem um produto que se chama Campeonato Brasileiro, Libertadores… são produtos. Faz o seu campeonato então, Flamengo contra Flamengo, é uma burrice isso”, acrescentou. Vale lembrar que, há seis anos, ao participar do programa “Fox Sports Rádio”, Kalil fez uma análise da situação econômica dos clubes brasileiros. Sua preocupação já era de que, caso o Flamengo saneasse suas dívidas e tivesse condições para investir, o domínio seria rubro-negro no futebol nacional.

“Fazer teto de gastos para quê? Para o outro me sacanear e gastar por fora? O que tem que acontecer é, quem tem interesse comercial no futebol, tomar conta do futebol”, falou à época. Sua intenção, com isso, era sugerir uma alternativa para que o Flamengo não estabelecesse uma notável diferença técnica para os demais, a partir de sua reestruturação financeira.

“O Flamengo está com uma diretoria que está arrumando o clube. Se arrumar o Flamengo, acabou o futebol brasileiro. A não ser que eles tenham um Alexandre Pato por ano”, comentou, fazendo alusão a contratação do atacante pelo Corinthians, feita em moldes prejudiciais ao clube paulista. Kalil finalizou sua fala na ocasião indo na direção do que discursou no Roda Viva. “Quem tem que cuidar do produto é quem vive dele”.

Gostou desse conteúdo? Nós acreditamos ser possível falar sobre o Flamengo com qualidade. Seja nosso apoiador!

Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Divulgação

Notícias do Flamengo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Blogs