Compartilhar:

O presidente do Flamengo respondeu questões sobre a volta do futebol, o acidente no Ninho do Urubu, Gerson e sobre o patrocinador Master.

Em entrevista ao programa “Bem Amigos”, do canal SporTV, na noite desta segunda (8), Rodolfo Landim foi questionado sobre a posição do Flamengo com o retorno das atividades, bem como seu contato com autoridades políticas.

Landim afirmou que sua carta justificando seus encontros com políticos eram direcionados aos sócios parceiros, e reforçou a qualidade do protocolo realizado pelo Flamengo para assegurar o retorno aos treinos de forma saudável. Afirmou ainda que os métodos do Flamengo serviram de referência para a CBF e para a Conmebol.

Questionado quanto ao futebol retornar sem o controle definitivo da doença, Landim argumentou que não via problemas, desde que todos os envolvidos na atividade testassem negativo. Defendeu que os protocolos estão servido para proteger seus jogadores, que por sua vez, expressaram o desejo de retornar e confiança nas práticas de segurança.

Landim afirmou falar pela maioria dos clubes do Rio de Janeiro em seu desejo de retorno ao futebol, e que deseja ser uma liderança no exemplo de protocolos de segurança, seguindo o indicado pelas autoridades. O presidente do clube salientou as conversas com o governo estadual e municipal quanto a esse processo de retorno.

Nesse sentido, quando perguntado sobre contrariar as orientações e iniciar os treinos, Landim afirmou que o clube colocou 34 médicos a disposição para elaborar as medidas de segurança, o que deu respaldo para o retorno dos treinos. E que considerou a orientação de restringir os treinos como uma ação política.

Landim defendeu a posição do prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, e que o retorno do Flamengo também se baseou em sua declaração de que os números de casos estavam caindo. Um juiz não sabe mais que o prefeito acerca da realidade da crise pandêmica, disse Landim ao ser questionado sobre a liminar que suspense o retorno do futebol no Rio.

Veja abaixo outros pontos da entrevista

Venda de Gerson

Sobre a venda de Gerson, Landim desconversou e disse não ter chegado nenhuma proposta diretamente a ele. Ressaltou que o jogador se encaixou perfeitamente no elenco, ressaltou a importância de Jorge Jesus nessa evolução, mas que não queria pensar sobre essa negociação.

Veja também: Flamengo aguarda proposta da Europa por Gerson

Tragédia do Ninho e indenizações

Acerca do das ações do clube quanto ao acidente no Ninho, Landim lembrou que houve a indenização dos treze jogadores presentes, dos três jogadores feridos. Salientou ainda a conclusão da indenização da família do jogador Bernardo Pisetta, sendo a quarta família entre as dez vítimas da tragédia.

Sócio-Torcedor

Sobre o Sócio Torcedor, disse que o Flamengo se lembrará daqueles que se mantiveram apoiando o clube durante a crise, e que estuda formas de premiação. Landim ainda destacou os bons números do Flamengo nas redes sociais e da atividade constante da FlaTV.

Patrocínio

Já sobre o patrocínio máster, Landim afirmou que a aprovação e conclusão se dará nos próximos três dias. Argumentou que o principal nome falado para estampar a camisa do Flamengo não é a mais provável, que há outras opções na mesa. O nome da Amazon não foi diretamente citado, mas o presidente disse que o torcedor ficará surpreso.

Veja ainda: Flamengo e Amazon ajustam termos nos bastidores

Renovação de Jorge Jesus

Quanto a renovação de Jorge jesus, Landim destacou a determinação do técnico em retornar a uma final de mundial com o Flamengo, e que compreendeu o lado do português em negociar seu contrato até metade de 2021.

Mercado da bola

Landim afirmou que a pandemia afetou os clubes mundialmente, e que acredita que o valor dos jogadores pode mudar. E no assunto mercado, ele reforçou que não faz sentido O Flamengo ir atrás de algum jogador esse ano. Sobre vender atletas, Landim reconhece o impacto econômico com a paralização, mas afirma que a situação também depende dos resultados do clube nas competições por vir.

Compartilhar: