Compartilhar:

Em entrevista na Fox Sport nesta segunda feira, dia 25, o presidente do Flamengo falou sobre o retorno aos treinos e a discussão política dos últimos dias. “Se é seguro, por que não voltar?”

Landim iniciou sua fala abordando que os treinamento estão sendo feito por grupos separados, e enfatizou que os protocolos de segurança estão sendo seguidos a risca. Ele ainda defendeu que os métodos de segurança aplicados pelo Flamengo podem servir como modelo de cuidado para a comunidade. Desconsiderando assim, que o retorno das atividades poderia incentivar uma quebra do isolamento social por outras instituições ou empresas não essenciais durante a pandemia. 

O presidente enfatizou ainda a necessidade dos jogadores dependerem da rotina de treinos para a manutenção física, e que eles mesmos expressaram desejo pelo retorno. Apontou também que a Federação está custeando os protocolos de seguranças para os clubes, mas que o Flamengo abriu mão do valor e o fez com dinheiro próprio. 

Flávio Gomes e Mano questionaram se as medidas tomadas pelo Flamengo vão ser igualmente feitas pelos demais clubes, tendo em vista as melhores condições da Gávea. Landim foi incisivo defendendo que a parada geral é um exagero, e defendeu a continuidade das atividades com medidas rígidas de segurança. O Flamengo, segundo ele, não está fazendo pressão nos bastidores para o retorno do futebol, mas que assumiu um protagonismo em nome do futebol do Rio de Janeiro.

Veja também: Em novo exame, jogadores do Flamengo testam negativo para coronavírus

Landim utilizou inclusive a mesma fala de Bolsonaro de que o futebol manteria as pessoas em casa, e que mesmo o isolamento é ineficaz contra o vírus, citando casos de quem se infectou mesmo dentro de casa. Reforçando assim sua compatibilidade com os recentes pronunciamentos de Jair Bolsonaro, com quem sua reunião foi alvo de críticas. 

Sobre os questionamentos acerca desse encontro, Landim falou que deveriam retirar o elemento político do Flamengo, mas que buscaria autoridades em razão dos interesses do clube. Essa foi também sua fala na Carta à Nação Rubro-Negra publicada pelo site oficial.

“Obviamente, o cidadão Rodolfo Landim tem suas convicções políticas pessoais, mas posso garantir que as guardo para mim e em nada deixo-as interferir na atuação do presidente do Flamengo. Este, por dever de ofício, deve se relacionar igualmente com todas as autoridades, respeitando a vontade do povo que as elegeu. É assim que funcionam as democracias.”

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Alexandre Vidal / Flamengo

Ajude a divulgação rubro-negra de qualidade: Seja apoiador do MRN

Compartilhar: