28.8 C
Rio de Janeiro
quinta-feira, janeiro 21, 2021

Morte de gêmeos torcedores do Flamengo comove a web

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Jovens torcedores do Flamengo faleceram juntos ao tentarem se salvar no mar

Nessa terça-feira, a internet deu início a uma campanha para que dois jovens fanáticos pelo Flamengo sejam homenageados antes da bola rolar no Fla-Flu dessa quarta-feira. Nascidos no dia 31 de outubro de 1999, Diogo e Diego Lima, irmãos gêmeos, vieram a óbito na madrugada do dia 5 de janeiro.

Além do sangue, ambos tinham muita coisa em comum. O amor pelo time do coração era uma delas. Além do afeto um pelo outro. E, tragicamente, foi assim que faleceram. A praia do Arpoador, conhecida pela sua beleza e por reunir diversos jovens que tem esse ponto do Rio de Janeiro como uma forma de lazer, foi onde tudo ocorreu. Depois que um pulou no mar e não conseguiu sair, o outro foi tentar salvar. Sem sucesso.

A repercussão do ocorrido

A história de Diego e Diogo ganhou notoriedade depois que Guilherme Medeiros, um amigo de infância, publicou no Twitter um apelo ao Flamengo. Não demorou muito para viralizar. Poucas horas depois, já eram 20 mil curtidas e mais de seis mil compartilhamentos. Todas as torcidas empenhadas em fazer a mensagem chegar a membros que ocupam cargos do alto escalão do clube.

E deu certo. Em uma rápida conversa com Guilherme, o jovem confirmou que, apesar de não esperar toda a repercussão que o tweet teve, o seu pedido já chegou aos ouvidos de quem pode fazê-lo se realizar. “Sinceramente, esperava uma proporção maneira, mas não como essa. Alguns membros, sócios e funcionários já entraram em contato e já estão vendo isso, até com próprios jogadores.”, disse.

As boas lembranças

A amizade começou quando ainda eram crianças e, como não poderia ser diferente, o que os uniu foi o futebol. Mesmo que o curso natural da vida tenha feito Guilherme se afastar dos gêmeos, o que ficam são as boas lembranças. “Eu os conheci em 2007, jogando futebol na escolinha aqui do bairro. E, ao longo dos anos, jogamos torneios, vencemos e perdemos juntos, saímos juntos, o tempo foi se passando e cada um teve a sua ‘própria vida'”, explicou.

Apesar disso, era comum os três se reunirem para bater um papo, se divertirem e encontrarem os outros amigos. Na escolinha, ficava evidente que as semelhanças entre os irmãos não ficava somente na aparência, ou na predileção por um clube de futebol. Mas também no desempenho dentro das quatro linhas. Fãs de Diego Alves, Diogo e Diego fechavam o gol.

O sorriso estampado no rosto era marca registrada dos irmãos. (Arquivo pessoal)

Profissionalmente, a aspiração era de, um dia, quem sabe, estar aqui no nosso site, escrevendo sobre suas maiores paixões. Afinal, como revelou Guilherme, os dois se interessavam pelo fazer jornalístico. “Os dois sempre gostaram de história, do jornalismo, e do trabalho pesado. Acredito que o desejo deles sempre foi passar informações corretas, para que as pessoas pudessem saber o que é verdadeiro, e o que é falso”, acrescentou.

A relação dos gêmeos com o Flamengo

No lar que Diogo e Diego nasceram, não tinha como torcer para outro time. Desde pequeno, os adereços que traziam as cores vermelha e preta, além do brasão com as letras “C, R e F”, faziam parte do cotidiano das crianças da família Lima. E, foi a partir daí, que uma relação de amor incondicional surgiu. Proporcionando histórias irreverentes, na mesma medida que são maravilhosas.

Amor dos gêmeos pelo Flamengo já esteve estampado em capa de jornal. (Arquivo pessoal)

“O Diego uma vez foi para a escola, confirmou a presença, pulou o muro do colégio e a gente se encontrou na estação Gramacho. Fomos comprar um ingresso para o jogo do Flamengo, porque não éramos sócios torcedores ainda, então tínhamos que pegar uma fila enorme”, lembrou. E, para eles, não havia necessidade de realizar testes cardiológicos. Pois os jogos do Flamengo já serviam para colocar seus corações a prova.

“Os dois eram estressados! Nunca ficavam calmos, sempre gritava, batia na mesa, xingava, mas quando saía o gol… poderia ser até no carioca, era explosão pura”, descreveu Guilherme. E, se no passado, ambos estavam sempre presentes nas arquibancadas do Maracanã para apoiar por 90 minutos, futuramente, esse panorama mudou.

Motivo de protestos da torcida do Flamengo, o valor dos planos de sócio-torcedor, assim como dos ingressos para o público geral, acabou afastando Diogo e Diego do Mais Querido. “Ultimamente eles iam poucos, pois não eram sócios torcedores, mas antes eles iam MUITO”, pontuou o amigo.

Gêmeos serão homenageados

A última vez que Guilherme esteve na companhia dos amigos foi em sua casa. O rapaz, que tem o costume de fazer lives na plataforma do Twitch, revelou que, nessa última oportunidade, os irmãos manifestaram o interesse de ajudar o amigo. “Eles foram lá para a minha casa falar comigo sobre estarem construindo uma nova casa para mim”, contou.

E toda a mobilização foi bem sucedida. Após o movimento que tomou conta da internet durante toda a tarde dessa terça-feira, a assessoria de imprensa do Flamengo divulgou que a homenagem aos dois meninos será prestada. Ela acontecerá, de fato, no clássico diante do Fluminense, no Maracanã, às 21h30 dessa quarta-feira.

Gostou desse conteúdo? Nós acreditamos ser possível falar sobre o Flamengo com qualidade. Seja nosso apoiador!

Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Arquivo pessoal

Notícias do Flamengo

- Advertisement -

Blogs