Compartilhar:

Definitivamente constato que os torcedores estão precisando ir no divã. Deve ser a pandemia, que deixou todos ansiosos

Blog Ficou Marcado na História | Allan Titonelli – Twitter: @AllanTitonelli

Após um longo período sem dar as caras em locais públicos resolvi ver o Fla x Flu com um amigo em um bar perto de casa. Protocolo funcionando. Termômetro e álcool em gel logo na entrada. Mesas afastadas, e como chegamos cedo, não havia muitas pessoas.

O garçom logo pergunta se hoje teria gol do Gabigol ou se o artilheiro começaria novamente no banco? Afinal Dome é imprevisível, conclui ele. Respondo que Dome vai com Gabigol de titular. Só que a incerteza e as fofocas da internet logo se espalham. Surge uma escalação com Gabigol no banco. Logo escuto na mesa da frente: “Esse Abel Catalão está de brincadeira. Vai deixar novamente o Gabigol no banco…”

Do mesmo autor: Retratos de um torcedor órfão

Fico aflito e procuro no Twitter a escalação, que informa Gabigol de titular, mas sem nenhum atacante de lado com características de velocidade, padrão que Dome parecia não abrir mão. Surpresa. O jogo começa e não é que o Flamengo se apresentava muito melhor que as últimas três decisões contra o rival.

Olho no grupo de WhatsApp dos amigos e o comentário é que: “se o Dome não inventar o Flamengo goleia o Fluminense”. Afinal “a qualidade individual dos jogadores é muito superior aos adversários.” Eu provoco: “Verdade, esse time não precisa de técnico, até Renato e Vanderlei disseram que ganhariam tudo com a qualidade desse elenco.”

Olho ao redor, “estico os ouvidos”, e percebo comentários negativos sobre o rodízio que Dome tem promovido. Penso comigo. Dome rodou o time tanto quanto Jesus fazia em algumas partidas no ano passado. Troca no máximo quatro atletas. Inclusive, o time titular, campeão da Libertadores, só atuou conjuntamente oito vezes sob o comando de Jesus em 2019. Além do que o calendário desse ano será muito mais intenso do que o do ano passado, então natural a necessidade de rodízio.

Gol do Flamengo. Torcida grita e levanta. Por um segundo parece que todos haviam esquecido da pandemia. Detalhe, cruzamento de Isla e conclusão de Felipe Luís, após rebote do goleiro do Fluminense, em cabeceada de Arrascaeta. Dois laterais no último terço do campo, e cinco jogadores na área do Fluminense, objetivando concluir a jogada. Um dos fatores que talvez explique o Flamengo como o time que mais criou chances claras no Brasileiro 2020.

Todavia, em uma mesa mais à frente, um rubro-negro comenta que o Fluminense estava sentindo a falta de Evanilson, e que o Flamengo estava se “aproveitando” dessa deficiência, mas tal fator não era virtude de Dome, mas deficiência do adversário. Percebo claramente que há muita má vontade com a análise do trabalho de Dome.

Veja também: Rodízio no Flamengo: Estar na reserva é diferente de ser reserva

Em seguida mais um gol do Flamengo, após rebote em cruzamento de Arrascaeta, a bola sobra limpa para Gabigol aumentar o placar. Flamenguistas eufóricos. Escuto de uma mesa ao lado: “Esse time joga demais. É só o técnico não inventar moda…”

Definitivamente constato que os torcedores estão precisando ir no divã. Deve ser a pandemia, que deixou todos ansiosos. Se fosse Zagallo já teria dito: “Vocês vão ter que me engolir.” Porém o catalão é educado, talvez por isso os torcedores peguem no pé, afinal todos se amarravam na marra do JJ. E não tem nada de gritaria na beirada do campo, aí sim um incômodo ainda maior da torcida, que confunde intensidade, raça e disposição, com gestos e berros cobrando os jogadores. E não é que Dome está desfazendo esse mito popular.

Mal comparando o que não se deve comparar, o Flamengo de Dome, em menos tempo de treinamentos que Jorge Jesus teve em seu início, possui resultados melhores e apresenta uma evolução tática constante. Contudo natural haver uma oscilação, ante o pouco tempo para treinamentos, em virtudes de jogos a cada três a quatro dias.

Porém para a maioria da torcida do Flamengo a vitória vem pelas individualidades, mas as derrotas são culpa do técnico. Vai entender. Vamos em frente Dome, estou com você.

Gostou desse conteúdo? Nós acreditamos ser possível criar conteúdo de qualidade sobre o Flamengo. Se você também acredita, clique aqui e torne-se apoiador do MRN.

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Alexandre Vidal / Flamengo

Compartilhar: