29.4 C
Rio de Janeiro
quinta-feira, dezembro 3, 2020

Respeito é bom e mantém os dentes na boca

O imbróglio com o Maracanã ainda consumia grande parte do noticiário esportivo, quando o Flamengo anunciou acordo estratégico com a Portuguesa para reforma e utilização do estádio na Ilha do Governador. Entre a data de anúncio do acordo e a estréia contra a Ponte Preta, foram praticamente sete longos meses de espera. Mergulhado em um momento tecnicamente muito ruim, naquela quarta feira, o Flamengo não convenceu, mas venceu e com um placar de 2×0 estava inaugurada a Ilha do Urubu.

De lá pra cá, Ponte Preta, Chapecoense, Santos e São Paulo caíram de joelhos frente à hipnotizante e impiedosa Nação Rubro Negra. Com onze gols marcados e apenas um sofrido, o ambiente – com gigantesca pressão que quase culminou com o pedido de demissão do jamais unânime Zé Ricardo – ensaia ares de trégua, trazendo os raros e bons ventos a essa eterna panela de pressão chamada Gávea.

Vencer é bom demais, defender uma invencibilidade de seis partidas é tão bom quanto ver o seu time subindo na tabela do campeonato mais difícil do mundo, porém, ter um lugar pra chamar de seu, com as suas cores e a sua assinatura é sensacional. Ainda há muito a ser corrigido, dentre este ‘muito’ está o valor dos ingressos, a redistribuição das torcidas organizadas e a presença do povão na Ilha, mas não há como negar o quanto estar naquele lugar gera orgulho em nós e respeito (que é bom e a gente gosta) nos rivais.

Na entrevista após mais uma vitória do Mengo por 2×0 diante do peixe na Ilha do Urubu, o lateral Caju disse o que todo Rubro Negro sonhou ouvir um dia: “A gente sabia que o jogo não seria nada fácil, ganhar o Flamengo aqui é muito difícil”.

Fato é que há algum tempo, enfrentar o Flamengo no Rio de Janeiro estava uma tranqüilidade só, agora a história é outra, está decretado o terror na Ilha.

Que venham Grêmio, Palmeiras e Coritiba. Aqui não corre, não joga, não pensa e não respira. Se der mole na Ilha, a camisa, o time e a arquibancada humilham.

Fábio Justino escreveu para o site oficial do Flamengo, O Globo (Online), para o extinto Magia Rubro Negra e agora rascunha aqui no Mundo Rubro Negro.

 
Opina lá e não deixe de nos marcar: @MRN_CRF e @fabiojusttino

 
Fábio Justino escreveu para o site oficial do Flamengo, O Globo (Online), para o extinto Magia Rubro Negra e agora rascunha aqui no Mundo Rubro Negro. Siga-o no Twitter: @fabiojusttino

 


O Mundo Rubro Negro precisa do seu apoio para não acabar e melhorar ainda mais. Contribua mensalmente com nosso trabalho. Clique aqui: bit.ly/ApoiadorMRN


Este texto faz parte da plataforma de opinião MRN Blogs, portanto o conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor, assim como o uso de fontes e imagens de terceiros. O Mundo Rubro Negro respeita todas as opiniões contrárias.
Email: [email protected]

Leia também

Notícias do Flamengo

Flamengo x Racing deixa SBT com audiência 110% maior do que a Globo

Transmissão das oitavas de final da Libertadores coloca emissora como líder isolada no ranking de audiência

Renato Maurício Prado sobre Ceni: “Ou ganha o Brasileirão, ou vai procurar outro clube”

Jornalista Renato Maurício Prado criticou veementemente Rogério Ceni por sua atuação na eliminação diante do Racing

Conflito interno: VP da atual gestão discute com VP da ”Era Bandeira”

Flamengo vive momento delicado internamente. Todos os detalhes você encontra na matéria do site Mundo Rubro Negro. Fique ligado conosco!

”Torcida pode ficar tranquila”, disse Braz semana passada sobre finanças

Braz tranquilizou a torcida, mas revelou que o Flamengo contava com valores da Libertadores. Todos os detalhes na matéria do site Mundo RN

Andrés Sanchez provoca Mauro Cezar após eliminação do Flamengo

Mauro Cezar respondeu a Andrés Sanchez citando suas críticas aos cartolas do Flamengo, e comparando com a situação do clube paulista

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Blogs

Os problemas defensivos de mais uma eliminação rubro-negra

Erros defensivos do Flamengo se repetem sob comando de Ceni na eliminação do time da Libertadores nas oitavas de final

Bruno Henrique chega a cem jogos pelo Flamengo; confira os números

Contratado pelo Flamengo no início de 2019, Bruno Henrique atinge marca centenária; confira os números do camisa 27 no clube carioca

23 de Novembro de 2019. Lima. Peru. Um ano da Glória Eterna

O Flamengo é o que não se explica. Há um ano, a América voltava a ser pintada de vermelho e preto, em um roteiro digno de cinema

Voamos todos na parábola de Diego

Sempre temi o destino de ser um morto soprado de inveja nas bancadas da eternidade, ressentido por um auge tardio do Flamengo

23 de Novembro ficou marcado na história rubro-negra

Nem a vitória parcial do River tirou a certeza de que aquele dia seria abençoado, afinal foi no mesmo dia 23 de novembro