Respeito é bom e mantém os dentes na boca

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

O imbróglio com o Maracanã ainda consumia grande parte do noticiário esportivo, quando o Flamengo anunciou acordo estratégico com a Portuguesa para reforma e utilização do estádio na Ilha do Governador. Entre a data de anúncio do acordo e a estréia contra a Ponte Preta, foram praticamente sete longos meses de espera. Mergulhado em um momento tecnicamente muito ruim, naquela quarta feira, o Flamengo não convenceu, mas venceu e com um placar de 2×0 estava inaugurada a Ilha do Urubu.

De lá pra cá, Ponte Preta, Chapecoense, Santos e São Paulo caíram de joelhos frente à hipnotizante e impiedosa Nação Rubro Negra. Com onze gols marcados e apenas um sofrido, o ambiente – com gigantesca pressão que quase culminou com o pedido de demissão do jamais unânime Zé Ricardo – ensaia ares de trégua, trazendo os raros e bons ventos a essa eterna panela de pressão chamada Gávea.

Vencer é bom demais, defender uma invencibilidade de seis partidas é tão bom quanto ver o seu time subindo na tabela do campeonato mais difícil do mundo, porém, ter um lugar pra chamar de seu, com as suas cores e a sua assinatura é sensacional. Ainda há muito a ser corrigido, dentre este ‘muito’ está o valor dos ingressos, a redistribuição das torcidas organizadas e a presença do povão na Ilha, mas não há como negar o quanto estar naquele lugar gera orgulho em nós e respeito (que é bom e a gente gosta) nos rivais.

Na entrevista após mais uma vitória do Mengo por 2×0 diante do peixe na Ilha do Urubu, o lateral Caju disse o que todo Rubro Negro sonhou ouvir um dia: “A gente sabia que o jogo não seria nada fácil, ganhar o Flamengo aqui é muito difícil”.

Fato é que há algum tempo, enfrentar o Flamengo no Rio de Janeiro estava uma tranqüilidade só, agora a história é outra, está decretado o terror na Ilha.

Que venham Grêmio, Palmeiras e Coritiba. Aqui não corre, não joga, não pensa e não respira. Se der mole na Ilha, a camisa, o time e a arquibancada humilham.

Fábio Justino escreveu para o site oficial do Flamengo, O Globo (Online), para o extinto Magia Rubro Negra e agora rascunha aqui no Mundo Rubro Negro.

 
Opina lá e não deixe de nos marcar: @MRN_CRF e @fabiojusttino

 
Fábio Justino escreveu para o site oficial do Flamengo, O Globo (Online), para o extinto Magia Rubro Negra e agora rascunha aqui no Mundo Rubro Negro. Siga-o no Twitter: @fabiojusttino

 


O Mundo Rubro Negro precisa do seu apoio para não acabar e melhorar ainda mais. Contribua mensalmente com nosso trabalho. Clique aqui: bit.ly/ApoiadorMRN


Este texto faz parte da plataforma de opinião MRN Blogs, portanto o conteúdo acima é de responsabilidade expressa de seu autor, assim como o uso de fontes e imagens de terceiros. O Mundo Rubro Negro respeita todas as opiniões contrárias.
Email: [email protected]

Notícias do Flamengo

- Advertisement -

Blogs