Brasileirão 2019 – Análise sem clubismo feita pelo Matuto

Raony Furtado
Formado em Licenciatura Plena em Educação Física, Especialista em Educação Física Escolar, Professor Especialista de Educação Física pela Rede Estadual de Ensino Médio do Estado do Ceará. Técnico de Futebol Amador, atualmente dirigindo o Marechal Futebol Clube de Mauriti, Ceará.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

 

Raony Furtado


 

Nesse sábado, 27 de Abril, o Flamengo inicia sua 54ª participação no Campeonato Brasileiro de Futebol, todos na Elite. São 6 títulos, times icônicos que ficaram na história, fugas do rebaixamento que fizeram a Nação Rubro-Negra sofrer e respirar aliviada e tantas outras histórias e recordes.

É do Flamengo as duas primeiras posições no ranking de público na história do Brasileirão, a maior em 29 de Maio de 1983, numa vitória por 3-0 contra o Santos no Maracanã, diante de 155.523 pessoas.

 

Maracanã tomado pela Nação para a grande vitória no ano do TriCampeonato Brasileiro (Anibal Philot/O Globo)

 

Esse ano, o primeiro como administrador do Maracanã (com tamanho impossível para um público parecido com os dos anos 80), o clube já começa entre os favoritos, mesmo amargando um momento turbulento na Libertadores, e com a pressão de fazer campanha melhor que os anos anteriores. Em breve regressão, chegamos ao 3º lugar em 2016, ao 6º em 2017 e tão comemorada vaga na Libertadores arrancada na última rodada e o recente vice campeonato de 2018.

 

Flamengo Campeão da Copa do Brasil 2013
Em período complicado de reorganização, Flamengo leva Copa do Brasil, único título Nacional conquistado até agora na década.

 

O elenco é visto como o melhor tecnicamente em anos e a expectativa é de que o tão sonhado hepta venha em dezembro. Como torcedor e curioso por futebol, vou analisar alguns pontos que nos fazem acreditar que o sonho tem grandes chances de se tornar realidade.

Vamos a eles.

 

Qualidade do elenco

Desde o início da disputa do Campeonato Brasileiro de pontos corridos, alguns elencos fizeram boas campanhas e temos um título conquistado em 2009, após uma épica campanha do Mengão de Pet, Adriano e do herói eternizado pelo gol de cabeça de Ronaldo Angelim. O fato é que nenhum deles teve tantas peças de qualidade, principalmente do meio para frente.

Atualmente contamos com a qualidade e experiência de várias temporadas da Europa de Diego, camisa 10, jogadores de técnica refinada como Giorgian de Arrascaeta e Everton Ribeiro e pontas velozes, agudos e com poder de fogo como Vitinho e Bruno Henrique. Sem falar no atacante jovem e com faro de gol Gabriel Barbosa.

 

 

Diferença financeira conta?

O atropelado calendário do futebol nacional sempre nos traz insegurança quanto a permanência dos principais jogadores dos clubes da elite do Brasil. O poder financeiro, principalmente da Europa e China, quase sempre leva peças importantes no meio do ano, enfraquecendo as equipes com a temporada ainda pela metade. Com maior força nos cofres, o Flamengo pode se sair melhor nesse período e ainda buscar alguns reforços, ficando ainda mais forte para a sequência do ano.

 

Gestão do Maracanã

O eterno Ary Barroso sonhou com um estádio para o Flamengo do tamanho de sua torcida e assim ele foi construído, mesmo que simbolicamente. Mas a enorme praça esportiva, que já abrigou mais de 200 mil pessoas para ver uma partida de futebol, nunca havia sido entregue de fato ao seu dono.

Em 2019, o governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel, encerrou de vez a concessão, no mínimo polêmica, com a Odebrecht e repassou, finalmente, ao seu verdadeiro dono. Mas onde isso influencia, Matuto? É simples. Agora com um lugar pra chamar de seu definido para jogar e a já consagrada identificação com o lugar, é natural que o rendimento esportivo seja amplificado. Sem falar que agora que o clube pagará menos pelo uso do estádio, vai poder baratear o acesso e contar cada vez mais com a já maciça presença do seu torcedor.

witzel bap landim flamengo

 

Pressão por títulos

Do início do século XXI até agora, o Flamengo conquistou títulos esporádicos e amargou outras tantas decepções em campo. Após esse período de 6 anos onde viveu uma fase de reconstrução financeira, ética e moral, o clube penou ainda mais e ganhou somente a Copa do Brasil em 2013 e alguns estaduais.

Diante desse cenário, reforçado por todos os fatores citados acima, a pressão que não vem só das arquibancadas, mas também de torcedores do país inteiro, nas mais variadas formas de manifestação, por um título de expressão é a maior em anos. E o Brasileiro surge como grande oportunidade.

 

Foco na competição

Com a incerteza que é um mata-mata, é sugestivo que o foco esteja sempre voltado para a briga no Campeonato Brasileiro. Logicamente não existe facilidade, mas é menos difícil planejar dentro de um cenário onde existe a certeza que você terá o mesmo número de rodadas que seus adversários para vencer. Em disputa eliminatória o imprevisível geralmente é fatal.

Isso não implica abrir mão totalmente de todas as outras chances de levantar um caneco importante na temporada, já que o imprevisível pode ser fatal para os adversários. Além disso, planejar jogos para fase eliminatória de Copas exige esforço pontual, não entrando necessariamente a qualidade do seu elenco.

Se seremos campeões ou não só em dezembro para saber, mas as condições nunca foram tão boas para que a Gávea receba a sétima taça do campeonato mais importante do Brasil e, AINDA, um dos mais importantes do mundo.

Agora é com você. Diz aí nos comentários o que você acha de nossas chances no Brasileirão 2019. Só não vale xingar o Matuto, tá?

Forte abraço, Saudações Rubro-Negras!

 

“Se Euclides da Cunha fosse vivo teria preferido o Flamengo a Canudos para contar a história do povo brasileiro.”

Nelson Rodrigues

 

 


Você pode contribuir com o nosso projeto:

Via Paypal:

 

 

Via Transferência Bancária:

Banco do Brasil:
Agência 3652-8
Conta Corrente 43937-1

Notícias do Flamengo

- Advertisement -

Blogs