Compartilhar:

O atacante Bruno Henrique, que anunciou hoje que renovou com o Flamengo até 2023, deu uma longa entrevista à Fla TV na qual o maior destaque foi explicar tudo que passou pela sua cabeça no lance decisivo do gol de empate na final da Libertadores, no qual surpreendeu ao mostrar frieza e qualidade aos 44 minutos do segundo tempo para escolher a melhor jogada no que acabou resultando no gol de Gabigol:

— Como o Mister sempre falou, pra enquanto o juiz não apitar o apito final não desistir. Eu ouvi muitas pessoas de fora falarem: se sou eu naquela bola eu já chego cruzando na área. A gente dentro de campo tem que ter calma, cabeça no lugar, pra fazer o melhor. Quando a bola chegou em mim eu pensei em duas hipóteses. Ou acelerar rápido… Mas como já vinham dois marcadores, se eu acelero eles com certeza iam roubar a bola de mim. Eu esperei o segundo marcador passar um pouco a linha e cortar ele pra trás. No que eu cortei pra trás, as pessoas perguntam; o que você imaginou ali, tinha 4 caras na sua frente. Eu consegui ver 2 pessoas na minha frente, 4 eu não consegui ver. Foi aí que eu me arrisquei. Só é lembrado, só ganha quem vai lá e tem iniciativa. E eu tive a iniciativa, já nos instantes finais do jogo, eu pude ir ali pra cima, coloquei no passe pro Arrascaeta que a gente sempre faz. E ele também com a qualidade dele… Se sou eu ali, eu nem sei se conseguiria dar aquele carrinho. Ele deu o carrinho, o Gabriel sempre com a leitura de jogo muito grande, e a gente conseguiu fazer o gol no apagar das luzes ali. E a gente retomou em pouco tempo e conseguiu fazer o gol da vitória.

Se lembra com detalhes do gol, a festa pela conquista não está tão clara na memória de Bruno Henrique. Perguntado se lembra de tudo daquele dia, respondeu:

— Lembro vendo os vídeos, né? Até hoje vejo vídeos, que emocionam, que me motivam a querer sempre mais. Vou poder mostrar pro meu filho, contar que o pai dele fez um feito no maior clube do mundo, que ficará guardado na minha memória e na memória de todos os flamenguistas, por tudo que a gente fez nesta Libertadores, que era um sonho. Tenho certeza que quando a gente tiver bem velhinho vai ser uma coisa que muitos vão lembrar da gente.

Naquele dia, a frase de Bruno Henrique no fim da partida contra o Vasco, sobre o Flamengo estar em outro patamar, ganhou um novo significado. O jogador repetiu o termo em vídeos que o mostravam em estado de euforia no ônibus da delegação e no trio elétrico. Ele disse que não esperava que a frase ganhasse tanta repercussão:

– -Eu não sabia a dimensão que poderia chegar esta fala minha. Uma fala normal, eu já ouvi muitas pessoas falarem, e repercutiu. Hoje tem até as figurinhas, a patinha e o mar. Foi uma coisa normal, no calor do momento, uma fala normal, que todo mundo fala e repercutiu. O povo gostou, e hoje é outro patamar mesmo.

Do 2019 quase perfeito, Bruno Henrique só lamenta a final do Mundial, na qual acredita que o Flamengo poderia ter tido melhor sorte. Mas assim como o técnico Jorge Jesus, o jogador já está focado no objetivo de voltar a Doha na temporada:

— O que a gente fez em 2019 vai ficar lembrado, mas vida de jogador é assim. Fomos para as férias, voltamos e já tem tudo novamente pra gente disputar. Então desde o primeiro dia já fomos pra campo mentalizando o que a gente quer para este ano de 2020. Todos sabem que a gente quer títulos novamente. Como o Mister falou…. Perdemos o Mundial, eu particularmente ficou aquele gostinho que poderíamos ter ganhado. A gente sabe que do outro lado tinha um grande time, todos viram que foi difícil para eles ganharem da gente, e o sentimento que ficou pra gente e para todos da nação foi que a gente jogou muito, a gente merecia ter ganhado também, Foi aquele jogo, quem fizesse seria campeão. Aconteceu de eles fazerem primeiro e conseguiram ser campeões. Então a gente está novamente na Libertadores. Com os pés no chão, fazendo aquilo que a gente fez no ano passado, pra se Deus quiser chegar no Mundial novamente.

O atacante disse que está muito feliz pela renovação do vínculo e que espera cumprir “cada dia” do novo contrato, que vai até o fim de 2023:

— Com os grandes jogadores que a gente tem, eu consegui ajudar, e eles me ajudarem também, a gente a chegar num nível muito grande, muito alto, com tudo que a gente fez no ano de 2019. Estou muito feliz de estar aqui no Flamengo renovando meu vínculo por mais tempo. Espero estar aqui e cumprir todos os dias dentro dessa casa que eu amo.

Compartilhar: