26.6 C
Rio de Janeiro
segunda-feira, janeiro 18, 2021

No retorno de Júlio César, Flamengo bate Boavista com golaços de falta

Bruno Vasconcellos
Amante do bom futebol e apaixonado pelo Flamengo


O bom filho a casa torna! Depois de 14 anos, o goleiro Júlio César voltou a envergar o Manto Sagrado. Em partida válida pela Taça Rio, o arqueiro cria do Flamengo iniciou a sua saga de despedida dos gramados. Nesta quarta-feira (7), o camisa 12 atuou na vitória de 3 a 0 do Mais Querido sobre o Boavista, no estádio Raulino de Oliveira. Rodinei, Diego e Lucas Paquetá anotaram os gols do triunfo rubro-negro.

O Mais Querido lidera o Grupo B, com nove pontos. O próximo compromisso dos comandados de Carpegiani será diante Macaé, no próximo sábado (10), no Estádio Moacyrzão, às 19h30.

O jogo

Ofensivo, o Flamengo iniciou a partida ditando as ações. Com uma movimentação bastante interessante no ataque, envolvendo Éverton, Lucas Paquetá e Éverton Ribeiro, o Rubro-Negro construiu sua primeira partida logo aos dois minutos. Após jogada bem trabalhada de Paquetá, Rodinei cruzou pelo lado direito, Dourado fez o pivô e o próprio Paquetá definiu a jogada, finalizando por cima da meta.

O setor esquerdo do Mais Querido mostrou-se desequilibrado na primeira etapa. Se por um lado conseguia ser uma das armas ofensivas rubro-negras, também era onde o Boavista conseguia progredir com certa facilidade ao ataque. Aos 13 minutos, Renê abriu com Éverton na ponta canhota, que por sua vez devolveu para o lateral cruzar na área. Paquetá recebeu com liberdade, de frente para o gol, mas acabou furando. Diego isolou na sequência.

Lucas Paquetá se destacou foi o destaque do primeiro tempo (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

Apesar da maior posse de bola, o Flamengo demonstrou muitas dificuldades para chegar à área adversária. Quando o fazia, era por meio de jogadas aéreas, que não foram bem aproveitadas. Jogando pela direita, Lucas Paquetá foi quem mais arriscou, e por consequência, errou. Mas o que chamou a atenção foi a lenta transição ofensiva da equipe, sem nenhuma inspiração.

O goleiro Rafael foi exigido somente aos 39 minutos, quando Everton aproveitou bom passe de Renê e finalizou com perigo. Ainda na primeira, Paquetá foi derrubado na entrada da área, mas a arbitragem nada marcou.

Segundo tempo

Diferente do primeiro tempo, o Rubro-Negro mostrou mais apetite. Em apenas cinco minutos, a equipe flamenguista criou três boas situações. Na primeira, Everton recebeu passe de E.Ribeiro, e finalizou forte para boa defesa de Rafael. Em seguida, Diego cobrou escanteio e Juan cabeceou com perigo. A terceira chance nasceu em jogada individual de Everton Ribeiro.

A pressão rubro-negra se intensificou com o decorrer do jogo. Aos 12 minutos, Henrique Dourado recebeu livre, e pensando estar em posição de impedimento, chutou torto, sem direção. Mas a verdade é que Lucas dava condições ao Ceiflador. A oportunidade perdida foi muito criticada pelos torcedores presentes no Estádio da Cidadania, que gritaram o nome de Guerrero após o lance.

Com Everton Ribeiro mais incisivo, o Flamengo cresceu muito na partida. As jogadas passaram a ter início, meio e fim. O meia Diego Ribas, apagado até então, entrou definitivamente no jogo. No minuto 18, após cobrança de escanteio, a bola se apresentou para Rodinei, que acertou um forte chute rasteiro de fora da área: 1 a 0.

Aos 30 minutos, o técnico Paulo César Carpegiani promoveu as duas primeiras alterações em sua equipe. Felipe Vizeu e William Arão entraram nos lugares de Henrique Dourado e Everton Ribeiro, respectivamente. Sem ser ameaçado, o Flamengo seguiu no campo ofensivo em busca do segundo gol. E ele veio em uma cobrança de falta de Diego, aos 36 minutos, após falta sofrida por Vizeu, na entrada da área.

Já Lucas Paquetá deu números finais à partida também em cobrança de falta. Antes, Júlio César fora exigido em chute de Renan Donizete, que mesmo com pouco tempo em campo foi quem mais se destacou pela equipe alviverde.

Ficha Técnica

Campeonato Carioca – Taça Rio – 4ª rodada

Boavista 0 x 3 Flamengo

Data: 07 de março de 2018

Local: Estádio Raulino de Oliveira – Volta Redonda – RJ

Boavista: Rafael; Gabriel, Gustavo, Elivelton e Júlio César; Douglas Pedroso (Renan Donizete, 34’/2t) e Willian Maranhão; Marquinho (Thiaguinho, 24’/2t), Tartá e Lucas; Felipe Augusto. Técnico: Eduardo Allax. 

Flamengo: Júlio César; Rodinei, Rhodolfo, Juan e Renê; Cuéllar; Éverton Ribeiro (William Arão, 30’/2t), Diego, Lucas Paquetá e Éverton (Geuvânio, 37’/2t); Henrique Dourado (Felipe Vizeu, 30’/2t). Técnico: Paulo César Carpegiani.

Arbitragem: João Ennio Sobral, auxiliado por Thiago Rosa de Oliveira e Thiago Gomes Magalhães

Cartões amarelos: Elivélton (BOA); Diego e Lucas Paquetá (FLA)

Gols:  1-0, Rodinei, 18’/2t || 2-0, Diego, 30’/2t || 3-0, Lucas Paquetá, 42’/2t.

Público/Renda: 3.601 presentes; 2. 842 pagantes || R$ 67.000,00

Crédito da imagem destacada: Gilvan de Souza/ Flamengo 


Olá, grande rubro-negro! Quer entrar para o nosso grupo exclusivo de Whatsapp, participar de sorteios de livros incríveis sobre o Flamengo, ter acesso a matérias antes de todo mundo, virar blogueiro do Mundo Rubro Negro e ainda contribuir para o crescimento do projeto com o melhor conteúdo sobre Flamengo da internet? Entre para a nossa comunidade de apoiadores! Saiba mais clicando aqui.

Notícias do Flamengo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Blogs