Compartilhar:

O Flamengo segue enfileirando títulos em 2020. Depois de levantar as taças da Supercopa do Brasil e da Guanabara, foi a vez do Rubro-Negro comemorar a conquista da Recopa Sul-Americana. O placar foi o mesmo 3 a 0 imposto contra o Atlético Paranaense, na final nacional, mas a partida foi completamente diferente. Para quem está acostumado a ver o Mais Querido dominando duelos e imprensado adversários contra o gol, dessa vez a expulsão de William Arão, um pouco depois do 20 minutos de partida, somada ao bom jogo coletivo do adversário obrigou os comandados de Jorge Jesus mostrarem um time reativo, porém extremamente seguro e eficiente.

O Del Valle teve apenas uma chance clara de gol, mas foi parado por um milagre de Diego Alves. No mais foi esperar os erros adversários aparecerem para fazê-los buscar a bola na rede, coisa que o Flamengo de JJ faz maravilhosamente bem. No primeiro tempo, Gabigol abriu o placar após um erro de recuo de bola do zagueiro adversário. E no segundo Gerson balançou o barbante duas vezes em contra-ataques mortais.

O elenco também mostrou sua força. As entradas de Thiago Maia, Vitinho e Michael não deixaram o rendimento técnico e tático da equipe caírem. Isso porque já não se contava com Bruno Henrique e Rodrigo Caio, lesionados na partida de ida.

Mais uma vez a Nação grita É CAMPEÃO Brasil a fora. Mais uma vez as vizinhanças são preenchidas com os gritos de gol do Flamengo, e na manhã do dia seguinte é mais do que certo que a comemoração do Gabigol será repetida em cada cidade desse país. O Flamengo é campeão de tudo.

Notas

Diego Alves

Seguro e decisivo como sempre, operou um milagre quando o jogo ainda estava 1 x 0, fora os outros lances em que foi excepcional seja nas defesas ou na arte de esfriar o jogo (arte essa que ele domina). Nosso arqueiro está em “oto patamar”. Nota: 10.

Por Caroline Menezes – Twitter @kaka_menezes07

Rafinha

A completa ineficácia dos equatorianos no Maracanã passa diretamente pela aula defensiva dada por Rafinha e Filipe Luis nas laterais do Flamengo. Da até um alívio só de escrever Rafinha. Sabe quando o narrador fala sobre atalhos do campo e você fica se perguntando como é que pode ter atalho num gramado plano? Pois bem, vendo Rafinha jogar você vê ele pegando os mais variados atalhos. O ponta da um tapa na frente, ele chega antes; o ponta corta para o meio, ele bloqueia o cruzamento; ou até mesmo o ponta se prepara para dominar a bola, mas Rafinha se adianta. Se hoje no futebol mundial o meio de campo é muito congestionado e espaços aparecem mais pelos lados, o Flamengo segue extremamente seguro pois nos seus lados há espaço mas não há caminho. Nota: 10.

Por Edson Lira – Twitter: @Edsonjslira

Gustavo Henrique

Fez um bom jogo, foi exigido pelo alto em alguns lances e se saiu bem em todos. Pelo chão, o grande salto no jogo de hoje foi ter começado a acertar a linha de defesa que Jesus gosta de jogar, evitando o espaço nas costas. Vai se firmar aos poucos, mas é outro jogador jogando pelo lado direito da defesa, quando inverte e vai para o lado esquerdo sente dificuldade na saída de bola. Será importante ao longo do ano principalmente em caso de convocação do Rodrigo Caio que irá acontecer muitas vezes, pelo visto. Nota: 8,5.

Por Marcio Marcondes – Twitter: @mjmarcondes.

Leo Pereira

Fez uma partida simples e segura, como zagueiros devem fazer. Foi bem nos cortes e no posicionamento, além de ter sido muito importante segurando a pressão do del Valle na segunda metade do primeiro tempo. Nota: 7,5.

Por Miguel Peters – Twitter: @miguelpeters.

Filipe Luis

Como já diria o próprio: que time do caralho! Após um jogaço o Mais Querido sai com mais uma vitória e colecionando títulos. Filipe Luiz fez uma excelente partida e fecha a lateral junto a Rafinha não tendo o que criticar, sem falhas, apenas elogios para uma partida monstruosa onde a gente só confirma que ele joga de terno. Nota: 10.

Por Millena Dourado – Twitter: @falconcrf_.

Willian Arão

Muito mal no jogo, errou passes bobos e deixou o time na mão ao ser expulso ainda no início. Começou o lance do primeiro gol, mas foi a única coisa que fez de bom em campo. Que não repita os erros de hoje pois Thiago Maia está pedindo passagem. Nota: 5.

Por Rafael Albuquerque – Twitter: @R_Albuquerque01.

Gerson

Tinha uma função tática de marcar o capitão do delvalle, com a expulsão do Arão todos tiveram que se desdobrar com isso Gérson se apresentou mais e premiado com 2 gols. Nota: 8,5

Por Ricardo Bitencourt – Instagram: @drbitenco.

Everton Ribeiro

Quem pouco acompanha ou só olha os resultados dos jogos pouco entende a importância e a genialidade desse grande jogador, ele rege o meio campo de maneira invisível, mortal, sempre esperando o bote, e um dos grandes responsáveis em dar harmonia ao time. Faz uma dupla incrível com o Rafinha, tanto na parte defensiva como na ofensiva, faz o que quer com a bola. No jogo, fez uma partida gigante, incansável na marcação, uma dupla incrível com Rafinha por ali. Como diria o saudoso Jorge Perlingeiro ao narrar uma nota na apuração das escolas de samba, quesito harmonia. Nota: 10.

Michael

Participou bem do 3 gol e vem em uma boa sequência, vem evoluindo e quando entender que não precisa resolver sozinho seu futebol vai crescer ainda mais. Nota: 7,0.

Por Willian Sian Herzog – Twitter: @willian_sian.

Arrascaeta

Até a expulso do Arão estava completamente apagado em campo, lento e não dava continuidade em quase nenhuma jogada. Após a expulsão, mudou completamente. Taticamente perfeito, jogando na segunda linha de 4 fez uma dupla com o F. Luis fechando o corredor esquerdo que obrigou o time adversário concentrar suas jogas por dentro ou pela direita, isso mostra como um jogador que aparentemente é lento consegue produzir um jogo defensivo de alta qualidade. Nota: 8,0.

Vitinho

Aparatemente parace que terá um ano diferente, jogador muito mais intenso e confiante. Hoje, de novo, entrou bem pela esquerda com muita velocidade, ainda acho que no um contra um é o melhor no elenco. Na jogado do terceiro gol, não foi fominha e teve a frieza de segurar e pentear a bola, dando um passe açucarado para o Gerson. Nota: 8.

Por Sérgio Ribeiro – Twitter: @sergioribeiro04.

Gabigol

Se existe alguém que consegue ser em campo jogador, torcedor, artilheiro, decisivo, flamenguista e provocador, esse cara é o nosso Gabriel Barbosa, o Gabigol, o Gabiassistência, o Gabimengo, o Gabicampeão, jogou como nunca e ganhou como sempre. Na falta de seu companheiro de ataque chamou a responsabilidade e abriu o placar em uma jogada típica do goleador que acredita em todas as jogadas, quando ficamos com menos 1, criou nossas melhores chances, e fez uma super jogada no segundo gol. Pode levantar a plaquinha, hoje teve gol do Gabigol! Nota: 10 (sem medo).

Por Caroline Menezes – Twitter @kaka_menezes07.

Pedro

Nos poucos mais de 20 minutos que ficou em campo conseguiu realizar uma ótima jogada, que até agora nos perguntamos se foi pênalti ou não. Foi a peça escolhida por JJ para dar lugar a Thiago Maia e assim o Flamengo ter seu meio recomposto após a expulsão de Arão. Nota: 7.

Thiago Maia

Muito bem ocupando os espaços à frente da zaga e, consequentemente, na proteção da mesma. Fez ótima dupla com Gerson trancando a entrada da área e empurrando praticamente todas as jogadas dos equatorianos para as laterais. Nota: 8.

Por Edson Lira – Twitter: @Edsonjslira.

Jorge Jesus

Jorge Jesus tem mais taças que derrotas no comando técnico do Flamengo. Nada que seja colocado aqui mostrará o valor desse português para o Flamengo. Não precisa falar dele, os números falam, se quisermos falar algo do jogo de hoje, o maior mérito de Jorge Jesus no jogo foi não se encolher e ficar na trincheira depois de perder o Wiiliam Arão, ele manteve o time estocando a defesa adversária sempre que possível. Nota: Cincummmm taças x 2. (Nota 10!!!!!!!!!)

Por Marcio Marcondes – Twitter: @mjmarcondes

Compartilhar: