Compartilhar:

O último Clássico dos Milhões de 2019 foi um dos mais disputados da história. A partida foi adiantada e valeu pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, que será disputada no final de semana que o time da Gávea estará no Peru na aguardada final da Libertadores da América. Os times entraram em campo com níveis de concentração completamente diferentes: o Mais Querido muito disperso, com falhas em todos os setores, além de desempenhos técnicos e táticos muito abaixo do que foi apresentado nesse segundo semestre, mas ainda assim conseguiu fazer quatro gols. Já o cruzmaltino foi um centrado franco atirador que soube aproveitar as falhas do rival, estufar o barbante quatro vezes, e conquistar um ponto.

Acesse agora useartillero.com e concorra a uma camisa irada na promoção de lançamento do site!

Para quem aprecia o futebol do ponto de vista rodriguiano, com suas licenças poéticas e mitos incontestáveis, o confronto foi um verdadeiro deleite de emoções, com o primeiro gol saindo com menos de 1 minuto e o último aos 48 do segundo tempo. As viradas no placar deram inveja aos mais inspirados roteiristas e adicionaram emoção poucas vezes verificada numa partida do atual Campeonato Brasileiro.

Já para os céticos analistas de números a partida se resumiu a uma disputa entre quem erra menos. Acabou que a qualidade técnica muito superior do Flamengo pesou e igualou o placar contra o bem montado e valente time do Vasco, pois numa disputa entre quem erra menos o Rubro-Negro perdeu de longe.

Confira as notas das atuações desse Flamengo 4 x 4 Vasco, feitas pelos membros do grupo de Whatsapp do MRN Pensar Flamengo.

Notas dos jogadores e técnico

Diego Alves: falhou no último gol do Vasco, e a rigor, fez apenas uma boa defesa no jogo. O resto do tempo praticamente assistiu a partida ou foi vazado. Nota 4,5.

Por Ivo Junior – Instagram: @ivofsjr

Rafinha: deu vacilos durante o jogo que não costuma dar, tomou cartão amarelo bobo, foi retrato de um time que tinha vontade de ganhar mas não tinha organização. Em algumas vezes faltou até foco. Ao tentar um cruzamento pra área, no final do primeiro tempo, contou com a sorte em um desvio da zaga dos vices e empatou o jogo. Foi o melhor que conseguiu fazer. Nota 5,5.

Por Caroline Menezes Twitter – @kaka_menezes07

Rodrigo Caio: partida horrível hoje. Jogou muito mal, falhou em todos os gols, atrapalhado na saída de bola. Noite para esquecer. Nota: 1.

Por Marcio Marcondes – Twitter: @mjmarcondes

Pablo Marí: partida totalmente atípica, time sem foco, desconcentrado, acredito que a cabeça já esteja em Lima. Com isso a zaga ficou desprotegida e vulnerável afetando a atuação de todos. Nota: 5,5.

Por Ricardo Bitencourt – Instagram: @drbitenco

Filipe Luís: atuação preocupante do nosso lateral cerebral. Com o time do Flamengo disperso, surgiram espaços para os jogadores do Vasco triangularem e Filipe Luís foi incapaz de acompanhar qualquer adversário que fez ultrapassagem pela esquerda rubro-negra. Até o Raul passou como quis por ali. Parecia eu, com 97 kg, correndo atrás de alguém com 65 kg. Preocupa pois o River Plate tem um raio em campo chamado De la Cruz, que aparece em todos os lugares. Se ele cair pela nossa esquerda pode ser complicado. Nota: 4.

Por Edson Lira – Twitter: @Edsonjslira

Arão: assim como quase toda equipe, esteve muito abaixo do que vinha jogando. Errou muitos passes, não deu continuidade nas jogadas. Mostrou disposição como sempre, mas pouco produziu. Nota: 4.

Por Sérgio Ribeiro Twitter: @sergioribeiro04

Gerson: partida ruim do camisa oito. Prendeu demais a bola em vários momentos e não ditou o ritmo como costuma fazer. Além disso, exagerou nas faltas. Fez de tudo para forçar seu cartão amarelo. Nota: 4.

Entrou Vitinho: hoje entrou com a setinha pra cima e entortou dois jogadores do Vasco no lance do segundo gol de Bruno Henrique. Depois, conseguiu boas jogadas individuais no ataque. Nota: 8.

Por Miguel Peters – Twitter @miguelpeters

Everton Ribeiro: o Messi rubro negro jogou dois tempos distintos, mal no primeiro, se manteve refém das linhas de marcação vascaínas. Na segunda etapa evolui junto com o trio ofensivo da equipe e voltou a ser o motor do meio campo. Na soma, partida mediana. Nota 6.

Entrou Piris da Mota: entrou para conter as subidas do Bacalhau, mas ao invés de dar sequência às jogadas que passavam pelos seus pés a falta de intimidade com a redonda chamou ainda mais o Anão da Colina para o campo do Fla. Nota: 3.

Por Marcelo Franco – Twitter: @FrancoMarcelo_

Reinier: entrou de titular, fez uma belíssima jogada e depois sumiu, foi substituído no intervalo por Arrascaeta. Nota: 6,0.

Entrou Arrascaeta: visivelmente fora de ritmo de jogo, fez um partida regular e deu uma assistência para Bruno Henrique. Deve jogar contra o Grêmio para adquirir ritmo de jogo para a final contra o River. Nota: 6,5.

Por Willian Sian Herzog – Twitter: @willian_sian

⚽⚽ Bruno Henrique: o Mister Clássico esteve entre nós. Em uma partida bem abaixo do time, em vários aspectos, o atacante conseguiu ser decisivo novamente mesmo depois de um primeiro tempo em que praticamente não tocou na bola. Voltou do intervalo mais participativo, principalmente devido a entrada de Arrascaeta, que modificou a forma de jogo da equipe. Acabou deixando mais dois gols e ameaçando, quem diria, a posição de artilheiro do campeonato do seu companheiro de ataque. Nota: 9,0.

Por Rafael Albuquerque – Twitter: @O_RafaelAlbuque

Gabriel Barbosa: hoje não teve gol do Gabigol… olha pro céu que hoje chove. Os gols perdidos fizeram muita falta no clássico, mas com um jogo tenso, o nosso artilheiro não conseguiu finalizar mesmo com diversas tentativas. Seu ponto forte do jogo foi a execução da jogada ensaiada que resultou no segundo gol do Flamengo. Ficou apagado na partida, nem parecia meu menino. Até na confusão não apareceu. Nota: 6,0

Millena Dourado – Twitter @millefalcon

Jorge Jesus: armou o time de maneira correta e fez as substituições necessárias. Mas, inexplicavelmente, a defesa que está acostumada a jogar junto há muito tempo, parecia um queijo suíço. Filipe Luís de zagueiro e Pablo Marí de lateral invertidos em um dos gols do Vasco; Rodrigo Caio falhando bisonhamente em vários momentos; Diego Alves errando no último gol. Com esses erros, não há Jesus, Deus ou Espírito Santo que deem jeito. Partida que deve ter deixado o Mister muito preocupado para a decisão contra o River. Nota: 6,5.

Por Ivo Junior – Instagram: @ivofsjr

Não deixe de ler também

O MRN depende do apoio de leitores como você para continuar fazendo uma cobertura criativa, propositiva e ética do Clube de Regatas do Flamengo. ➡ Junte-se a nós

Compartilhar: