Compartilhar:

Veja as notas e análises das atuações da imensa vitória do Flamengo contra o Grêmio, pela 33ª rodada do Brasileirão

Confira as notas das atuações desse Flamengo 0 x 1 Grêmio, feitas pelos membros do grupo de Whatsapp do MRN Pensar Flamengo.

Acesse agora useartillero.com e concorra a uma camisa irada na promoção de lançamento do site!


Notas dos jogadores e técnico

Diego Alves: Como descrever essa parede que se estabeleceu no gol do Flamengo e que não deixa passar nada? Diego Alves fez uma excelente partida, sempre comparecendo quando solicitado e administrando bem o tempo com a bola, esfriando o jogo quando necessário. No segundo tempo foi muito necessário, devido a expulsão do Gabriel o time ficou mais recuado e com mais pressão do Grêmio, mas nada passou pelo nosso MURO (Deus me livre “muralha” 😂). Nota: 10,0.

Millena Dourado – Twitter: @millefalcon

Rodinei: Muitos ao verem a sua escalação colocaram as mãos na cabeça e começaram a rezar. Eu fui um deles, não nego, tenho certeza que Jesus ouviu nossas preces, e nos ajudou em campo, rs.

No jogo, muitos creditarão uma péssima partida ao Rodinei. Entretanto, cabe analisar que a cobertura do Lucas Silva foi muitas vezes inexistente, tanto que no segundo tempo Reinier o ajudou ali, pois era o foco das jogadas do Grêmio, que no primeiro tempo muitas vezes tinha alguém livre lá recebendo e o Cebolinha como opção. Rodinei foi bem, aí você me diz: “Ahh mas o Cebolinha conseguiu uma jogada ou outra”. Temos que entender que Cebolinha é um dos grandes jogadores brasileiros que vai ganhar um ou outro embate com seu marcador – por isso é importante ter uma boa cobertura. Nesse contexto, Rodinei fez uma grande partida defensiva e pouco subiu ao ataque; uma clara intervenção divina realizada pelo ser que comanda o time ao lado do campo. Nota: 7,5.

Por Willian Sian Herzog – Twitter: @willian_sian

Thuler: Partida corretíssima do cria. Marcou, antecipou os adversários, foi preciso na cobertura em jogadas do pequeno cebola, e principalmente, ganhou a maior parte dos duelos aéreos. Jogão do garoto. Nota: 8,0.
⬇⬆
Rodrigo Caio: Entrou no meio da fogueira e deu conta do recado. Muito bem, como de costume, no festival de bolas alçadas na área pelo time gaúcho. Nota: 7,0.

Por Marcelo Franco – Twitter: @FrancoMarcelo_

Rhodolfo: Boa partida do zagueiro, foi seguro na bola alta, e no combate direto aos atacantes adversários. Ajudou na saída de bola e deu apoio aos volantes, fez uma partida correta, se não fosse as seguidas contusões teria jogado mais e participado mais da campanha. Nota: 7,0.

Por Marcio Marcondes – Twitter: @mjmarcondes

Renê: Burocrático como de costume, sua a camisa, deixa a alma do meio para trás. Do meio para frente e só um jogador bem comum. Mesmo assim, tomou algumas bolas nas costas. Nota: 6,5.

Por Ricardo Bitencourt – Instagram: @drbitenco

Piris da Motta: Enquanto o Flamengo esteve inteiro em campo, dominando o jogo, Piris estava de mal a pior. Errou passes na saída de bola, algumas vezes se esqueceu de ir se posicionar entre os zagueiros quando o Rubro-Negro ia começar as jogadas. No segundo tempo, quando o Flamengo ficou com menos um e estacionou o ônibus na grande área, Piris funcionou bem como rebatedor dos inúmeros chuveirinhos feitos pelo Grêmio. Mais uma atuação abaixo do que o Flamengo precisa para um volante. Nota: 4,0.

Por Edson Lira – Twitter: @Edsonjslira

Diego: Voltando ao time titular pela primeira vez desde a lesão, se movimentou bem no primeiro tempo, deu bons passes, segurou bem a bola e estava atento na marcação e chama atenção dos companheiros em campo. No segundo tempo manteve o mesmo estilo e segurou mais a bola. Cansou na reta final sentindo a falta de ritmo. Nota: 7,0.
⬇⬆
Vinícius: Entrou bem. Fez o que Jesus pediu: intenso na marcação e ajudou muito. Nota: 6,0.

Por Sérgio Ribeiro Twitter: @sergioribeiro04

Arrascaeta: Se Arrascaeta jogar contra o River o que jogou hoje já podem entregar a taça. O uruguaio desfilou em campo toda sua técnica, clareando seguidos lances que pareciam sem solução. O primeiro toque dele na bola foi um lançamento de 30 m, de trivela, que deixou Lucas Silva na cara do gol. Foi a peça que manteve o Flamengo como melhor em campo no primeiro tempo, dominando o meio campo. No segundo tempo foram visíveis as inúmeras vezes que procurou alguém para lançar em contra-ataque, mas inexplicavelmente ninguém se apresentou. Durante os 45 minutos complementares foi um maestro sem orquestra. Não teve espetáculo mas o ganhamos os três pontos. Nota: 8,5.

Por Edson Lira – Twitter: @Edsonjslira

Lucas Silva: Apesar de não parecer, esteve em campo ao longo do primeiro tempo e início do segundo. E só. Nota: 3,0.
⬇⬆
Everton Ribeiro: Quando estava começando a ajustar a transição entre o meio e o ataque o time perdeu um jogador, fato que mudou completamente a sua disposição no campo. Precisou se concentrar em desfazer ao invés de criar jogadas. Nota: 7,0.

Por Marcelo Franco – Twitter: @FrancoMarcelo_

Reinier: Não fez uma partida brilhante, mas correu bastante e ajudou muito o time a fechar os espaços. Quando o time ficou com um a menos, esteve bem presente na marcação e tentando puxar algum contra-ataque. Nota: 6,0.

Por Ivo Junior – Twitter: @ivofsjr

Gabigol: Até o momento da expulsão era o melhor em campo na Arena. Movimentou-se muito bem e criou algumas chances de gol. Na cobrança de pênalti, foi muito frio como sempre e fez o gol da vitória rubro-negra. Mas é inaceitável que um jogador tão importante para o time seja expulso da maneira que foi. Fora de casa, o time vencendo um jogo dificílimo, não pode deixar o time na mão como fez hoje. A provocação à torcida do Grêmio lembrando os cinco gols da semifinal da liberta ajudou para uma avaliação mais positiva. Nota: 7,0.

Por Rafael Albuquerque – Twitter: @O_RafaelAlbuque

Jorge Jesus: Nosso Jesus quando chegou ao Flamengo disse que não veio para ser salvador. Mas a cada jogo que passa nos mostra que a salvação está cada vez mais palpável. Com o Mister não existe time reserva, existe o Flamengo em toda sua força e vontade. Mesmo com apenas três jogadores do time principal, o Flamengo faz um primeiro tempo impecável, mostrando o valor e a importância de um bom treinamento. Suas mudanças são sempre bem pensadas de acordo com a necessidade do jogo. Jesus não erra, por mais que nós, meros mortais, possamos discordar, achar descabida a decisão. Cada dia mais perto do objetivo principal dele e com alegria no coração, a torcida continua a entoar “Ole Ole Ole, Mister Mister”. Nota: 10,0.

Millena Dourado – Twitter: @millefalcon

Não deixe de ler também

O MRN depende do apoio de leitores como você para continuar fazendo uma cobertura criativa, propositiva e ética do Clube de Regatas do Flamengo. ➡ Junte-se a nós

Compartilhar: