Compartilhar:

A publicação da Medida Provisória 984/2020 foi motivo de celebração para Mario Celso Petraglia, presidente do Athletico Paranaense.

O dirigente já vinha defendendo os termos de concessão de transmissão para clubes mandantes, acredita que a resolução trará benefícios econômicos para todos os clubes, captando recursos e trazendo novos nomes para o mercado.

No entanto, defendeu a necessidade de um aperfeiçoamento da norma antes de ser estabelecida como noite. Petraglia defende que as vendas de transmissão sejam feitas em conjunto, tal como é na Europa, para não causar um desequilíbrio entre as equipes.

“De que adianta o Flamengo ser campeão todos os anos? Se não haver uma melhoria da competitividade do campeonato perde a graça”

Mario Petraglia elogiou Rodolfo Landim, defendendo sua liderança para iniciar o processo de criação de uma liga das equipes brasileiras. Ele agradeceu Landim pela iniciativa, apontando que novos players seriam extremamente necessários.

Veja também: André Galdeano do Flamengo fala sobre MP em live

Além disso, em termos políticos o Flamengo representa o futebol brasileiro, segundo o dirigente. A liderança de Landim significaria deixar um legado para a indústria do futebol. Petraglia reforçou sua compactuar com o Flamengo de Landim.

“O Landim entende que o caminho tem de ser de pensar nos outros. Temos falado em termos filosóficos, da posição do Flamengo, de como tem que ver a modernização e o crescimento de futebol brasileiro. E estamos 100% de acordo”

Em suma, a única discordância levantada por Petraglia foi justamente a ausência de discussão sobre a venda coletiva de transmissão, com valores igualitários afim de equilibrar a competição. Mas o presidente do clube paranaense vê com bons olhos a quebra do monopólio.

Compartilhar: