Compartilhar:

Protagonista do lance que decidiu a final da Libertadores, o zagueiro do River Plate Javier Pinola falou sobre a jogada em uma entrevista ao jornak argentino “Olé”. E mostrou que mais de um mês depois, ainda não se recuperou psicologicamente do lance em que foi vencido por Gabigol, que marcou o gol da virada e do título rubro-negro aos 47 do segundo tempo, minutos após ter marcado o gol de empate.

— Eu quase não falo da final. Já aconteceu. As coisas aconteceram assim, tenho que assumir a responsabilidade pelos erros que cometi e seguir em busca do próximo objetivo. Não voltei a ver a final. Tenho a partida na cabeça. E trato de não mentir a mim mesmo. Fiz uma grande partida, mas quando tive que ser frio, falhei — afirmou o zagueiro do River Plate.

Pinola disse que ficou emocionado com a quantidade de mensagens de apoio que recebeu após a derrota, que destacavam a grande partida que ele fez antes da falha no lance do gol decisivo, mas admitiu que não consegue enxergar a situação desta maneira.

— Antes do positivo, eu vejo sempre o negativo, e fiquei com isso. Sabia que no momento em que eu não podia falhar, falhei. E assumo a responsabilidade, dou a cara pra bater, tento virar a página.

O zagueiro do River Plate explicou porque não teve coragem de rever a final ainda.

— Porque não preciso. Porque não estou preparado para voltar a vê-la. Porque é uma dor. Porque em três minutos se mancha tudo de bom que tínhamos feito como um grupo. Sei no que errei e no que não errei. E tenho que continuar aprendendo com esses erros.

Apesar da falha no momento crucial, Pinola, de 36 anos, foi eleito pelo tradicional prêmio do jornal uruguaio “El País” um dos melhores zagueiros do ano passado na América do Sul, ao lado de Rodrigo Caio. No River desde 2017, ele ganhou cinco títulos, inclusive o da Libertadores de 2018. Mas pode entrar para a história do clube como o zagueiro que perdeu a disputa para Gabigol.

Compartilhar: