25.8 C
Rio de Janeiro
quarta-feira, janeiro 20, 2021

Polícia instaura inquérito sobre denúncia de injúria racial; entenda os próximos passos

Bruno Guedes
Jornalista e Historiador, é apaixonado por futebol bem jogado. Já atuou na Rádio Roquette Pinto e como colunista no Goal.com.

Polícia Civil abriu inquérito para apurar a denúncia de injúria racial do meia Gerson, do Flamengo

A Polícia Civil abriu inquérito para apurar a denúncia de injúria racial do meia Gerson, do Flamengo. Os agentes foram à Gávea, nesta segunda, 21, para uma reunião com Rodrigo Dunshee, vice-presidente jurídico do Flamengo. A investigação ficará a cargo da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (DECRADI).

De acordo os investigadores, Gérson irá prestar depoimento nesta terça, às 10h, na Decradi. Ele assinou hoje a intimação. O jogador e seus advogados já indicaram que vão levar o caso à frente e reúnem provas para auxiliar a apuração do caso de racismo disparado pelo atleta Ramírez, do Bahia. O colombiano nega as acusações.

Rodrigo Dunshee se pronunciou nas redes sociais sobre as ações que o clube tomará: “Além de apoiar o Gerson na esfera criminal, o Flamengo representará ao STJD contra o atleta que ofendeu racialmente o Gerson, assim como o fará contra o Mano Menezes, que apoiou a ofensa racial e chamou de malandragem. Temos que banir o racismo da nossa sociedade.”, escreveu Dunshee em seu Twitter. 

LEIA MAIS

Rogério Ceni exalta Bruno Henrique e se revolta com o racismo

Flamengo perde dois titulares para último jogo do ano

Junior Baiano fala sobre soco em Edmundo no Flamengo x Vasco de 1992; veja a briga

Após os depoimentos e abertura de investigação, a Delegacia de Crimes Raciais vai decidir pelo indiciamento ou não de Ramírez. O crime de injúria racial está previsto no parágrafo 3º do Código Penal. Para sua caracterização é necessário que haja ofensa à dignidade de alguém, com base em elementos referentes à sua raça, cor, etnia, religião, idade ou deficiência. A pena é de 1 a 3 anos de reclusão.

Relembre o caso

De acordo com Gérson, ele ouviu de Ramírez a frase “cala a boca, negro”. Ao reagir ao ataque de racismo, o meia também entrou em confronto com o técnico Mano Menezes, que minimizou o episódio.

Segundo imagens, o treinador afirmou ser “malandragem” do jogador e completou ainda com: “tem que tomar bico do Daniel Alves mesmo que é mais malandro que tu”. O vídeo com as declarações do treinador pode ser assistido através do site do GE.

Na súmula, o árbitro Flávio Rodrigues de Souza relatou o caso:

Aos 7 minutos do segundo tempo houve um conflito entre os jogadores sr. gerson santos da silva, de numero 8 da equipe do flamengo e do
atleta da equipe do bahia de numero 15 sr. juan pablo ramirez velasquez, onde o jogador do flamengo alega ter sido chamado de “negro” por seu adversário mencionado. informo que este suposto ato não foi percebido por nenhum membro da equipe de arbitragem no campo de jogo”
, complementa.

Gostou desse conteúdo? Nós acreditamos ser possível falar sobre o Flamengo com qualidade. Seja nosso apoiador!

Notícias do Flamengo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Blogs