Compartilhar:

Após deixar de ser “novidade” e passar a ser estudado pelos rivais, estas novas soluções podem ser um trunfo que embaralha ainda mais as cartas do futebol brasileiro

Blog Ninho do Urubu | Bruno Guedes – Twitter: @eubrguedes

Domènec torrent não teve uma semana completa à frente do Flamengo, mas concluiu a primeira de preparação para sua estreia. E como vinha fazendo seu antecessor, Jorge jesus, o catalão reforçou os conceitos para uma equipe ofensiva e que tivesse controle do jogo. Foi a partir destas ideias que se utilizou de práticas voltadas para trabalhar a pressão sem a bola, a posse dela e intensidade, muita intensidade em campo.

Como trouxemos assim que sua contratação foi oficializada, Dome, como vem sendo chamado, trabalhou de forma pesada durante os treinamentos. Segundo a filosofia do novo técnico, é durante a semana, através da repetição das ideias, que os jogos são ganhos. E a resposta foi imediata. Profissionais e jogadores tiveram boa aceitação deste estilo e também do comportamento do comandante. À base da conversa e muitas informações previamente pedidas, Torrent adaptou suas correntes de trabalho com as deixadas pelo Jorge Jesus.

Do mesmo autor: Domenèc Torrent x Jorge Jesus: as diferenças e semelhanças de trabalho no Flamengo

Entretanto, todos são unânimes: a única coisa parecida entre ambos é a ideia de jogo ofensivo. Enquanto a transição será feita ao longo das semanas, Dome se mostrou mais exigente quando o time estava sem a bola e mais atenção com ela. Por isso, no seu primeiro dia de práticas em campo, na quarta-feira, pediu bastante a reação sem a posse. Cobrou, principalmente, da atenção de todos quando o adversário estivesse com o controle para que impedisse a sua progressão.

O catalão trouxe três auxiliares: Jordi Guerrero, o seu imediato; Jordi Gras, analista de desempenho no Fla e quem ajuda no desenvolvimento nas estratégias/leituras para as partidas seguintes; e Julián Jiménez, preparador físico pedido por Torrent. É o quarteto quem monta, principalmente em campo, os trabalhos específicos para cada atividade. E como informamos, estes são feitos de forma conjunta, não separando as partes táticas das técnicas ou físicas. Porém, neste começo, ainda as dividem de acordo com o legado do Mister português.

Por isso, trabalhou muito a fomentação da equipe nos toques rápidos e de forma que envolvesse o adversário. Os famosos “rondos”, que ficaram populares na internet e vídeos por causa da Seleção da Espanha e também dos livros que narram a trajetória de Pep Guardiola, apareceram. Os atletas precisaram trabalhar o passe de primeira ou no máximo dois, sem que perdesse a posse. Segundo pessoas ouvidas pela coluna, Torrent gostou da qualidade da equipe. Já os jogadores, da mentalidade.

Na quinta e sexta-feira, o novo técnico do Flamengo voltou a trabalhar e exigir bastante a posse da bola. Mas, já em preparação para a partida contra o Atlético-MG, passou ideias e conceitos que o time mineiro deve usar. Já com base nisso, preparou treinos específicos para tentar controlar não só a partida, como a recuperação da bola com as ideias de Sampaoli. A análise de desempenho gerou diversas informações e também observaram os três últimos confrontos do Galo. A partida contra o América-MG, na quarta, principalmente.

A busca por passes rápidos e aceleração das jogadas tem uma função: extrair ao máximo a qualidade que o elenco tem. Poucos clubes conseguem juntar tantos atletas do nível que o Flamengo juntou. Com isso, consegue adequar o padrão europeu em um continente acostumado a apenas “fechar a casinha”. Dome veio para implodir essa “casinha”. Quem tentar se fechar e impedir o jogo rubro-negro, como alguns tentaram durante 2019 e até 2020, vai ter dificuldades.

Ajude a divulgação rubro-negra de qualidade: Seja apoiador do MRN e participe do nosso grupo de Whatsapp

Apuramos que jogadores vêm recebendo, através até dos celulares, informações importantíssimas sobre o rival. Com imagens e vídeos, a comissão e a análise de desempenho prometem, a cada nova partida, preparar um “dossiê” de comportamentos específicos das equipes com e sem a bola, jogadas, pontos fortes e fracos, especificidade de cada jogador etc. Algo que vinha acontecendo, também, com Jorge Jesus. Entretanto, desta vez, a carga de conteúdo será maior.

Domingo um novo Flamengo estreia em 2020. Tentando seu oitavo título, o clube agora busca estar numa nova fase com um técnico que traz mentalidades ofensivas e ideias arrojadas. Após deixar de ser “novidade” e passar a ser estudado pelos rivais, estas novas soluções podem ser um trunfo que embaralha ainda mais as cartas do futebol brasileiro. O legado do Jorge Jesus existe, mas ele está em transformação e seu estilo também…

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Alexandre Vidal / Flamengo

Compartilhar: