Compartilhar:

Jogador foi entrevistado pela Fox Sports e disse que aprendeu com o técnico português

MRN Informação | Bruno Guedes – Twitter: @eubrguedes

Novo reforço do Olympiacos, da Grécia, o lateral-direito Rafinha revelou bastidores dos treinamentos do técnico Jorge jesus em sua passagem pelo Flamengo. De acordo com o jogador, ele e o português brigavam bastante, mas que “no final do ano ele já estava abraçando e beijando todo mundo”. As declarações foram feitas no programa “Aqui com o Benja”, da Fox.

LEIA TAMBÉM: Os segredos do Del Valle: forte no ataque, time sofre na bola aérea. Entenda o rival do Flamengo

Segundo Rafinha, Jesus tinha um jeito próprio de comandar a equipe e que o início foi bem diferente do que os jogadores estavam acostumados no Brasil: “Ele tem o jeito dele, as opiniões dele e não tinha muito diálogo no começo. Quando ele falava, tinha que ser daquele jeito. Claro, ele é um grande treinador, mas ele também tinha grandes jogadores no comando dele.”, declarou.

“A gente já tinha lidado com outros treinadores que eram muito bons também. Às vezes ele tinha as opiniões dele e eu, as minhas, não era sempre que batia. Então, claro, a gente tinha esse confronto de opiniões dentro do jogo, do vestiário… Era cada pega que a gente tinha ali! Mas era tudo para o bem do nosso time!”, afirmou o lateral, negociado no começo de agosto.

Por conta desse diálogo curto, o jogador revelou que ambos brigaram durante este período. Mas, como ressalta o atleta, as discussões eram consequências do trabalho e nunca saindo de campo: “Cheguei com 34 anos no Flamengo e achava que não ia aprender mais nada, mas eu aprendi muito com o Jesus. Muitas brigas eu e ele, discutíamos direto. Mas eu só tenho a agradecer a aquele velhinho, porque ele foi fundamental!”, exaltou Rafinha.

MAIS NOTÍCIAS: Guga completa sete jogos pelo Atlético e adia interesse do Flamengo

Entretanto, destaca que o português logo virou “carioca” e já estava tão adaptado ao Brasil quanto o time às suas ideias: “O Mister chegou muito duro com a opinião dele, mas foi se adaptando aos jogadores, ao carinho dos torcedores. No final do ano, em dezembro, ele já estava abraçando e beijando todo mundo, já estava conversando mais, já tinha incorporado o estilo brasileiro. Claro que com a cobrança e a disciplina dele”, brincou em meio às gargalhadas.

Treinado por nomes como Pep Guardiola e Jupp Heynckes, o jogador diz que se surpreendeu com Jorge Jesus. Para ele, o mister está entre os melhores técnicos que teve na carreira: “O que ele passava para nós todos os dias era uma coisa de louco. Não deixar cair o rendimento e a intensidade, sempre cobrando. E do jeito dele, falando aquelas palavras carinhosas que ele tinha… A gente ficava sempre na pressão de estar sempre bem. Mas foi um casamento fenomenal. Eu aprendi muito com ele, mas muito, muito mesmo. Então só tenho a agradecer. Está entre os três, quatro melhores treinadores que peguei na minha carreira”, confidenciou a Benjamin Back.

*Créditos da imagem destacada no post e nas redes sociais: Alexandre Vidal / Flamengo

Compartilhar: